Página Inicial  |  Perfil  |  Equipe  |  Contato  | 
Links

  

redacao.noticia@noticiacapital.com.br
71 9128-9520

 
  Home - Poesias - Roberto Alban galeria de arte apresenta a exposição de Raul mourão
 

Categorias

  Brasil
  Cultura
  Cursos & Concursos
  Dos Blogs & Sites
  Economia
  Educação
  Entrevistas e Reportagens
  Esporte
  Geral
  Internacional
  Mosaico
  Municípios
  Notas
  Opinião
  Politica
  Salvador
  Saúde & Medicina
  Turismo
 

Colunistas

 Agenor Calazans
 Aldo Trípodi
 Alessandra Nascimento
 Gerson Brasil
 Gil Vicente Tavares
 Guto Amoedo
 Kim Niederauer
 Marcelo Torres
 Valter Xéu
 Vitor Carvalho
 

Serviços

  Coelba
  Embasa
  Auxílio a Lista
  Prefeitura de Salvador
  Previdência Social
  Receita Federal
 
COLUNISTAS
 Aldo Trípodi

 aldotripodi69@hotmail.com
 
Roberto Alban galeria de arte apresenta a exposição de Raul mourão
23 de Setembro de 2013 20:34

Continuando sua política de arte contemporânea A Roberto Alban Galeria de Arte (Rua da Senta Pua, 53, Ondina) traz “Movimento Repouso” que é o título da primeira exposição do artista carioca Raul Mourão em Salvador, que em cartaz até o dia 31 de outubro. A exposição inédita e inteiramente pensada para o espaço da galeria, reúne um conjunto de 10 esculturas em aço Corten e 34 fotografias realizadas entre 2012 e 2013.

“Desde 2010 venho desenvolvendo uma série de esculturas cinéticas que já foram apresentadas em Porto Alegre, Rio, SP, NY e Londres. É uma série bastante lúdica que requer a participação do público. É o toque do espectador na obra que aciona o movimento e cria uma nova condição da escultura, um segundo momento vivo” diz o artista. Além das esculturas cinéticas o artista apresentará 34 fotografias da série Timeline iniciada em 2012

 

“São instantâneos da vida, fotos do dia a dia, um olhar em busca de pequenos acidentes visuais. Comecei a fotografar no fim dos anos 80 quando estudava no Parque Lage ali eram anotações visuais da paisagem urbana que depois se transformaram na série Grades. Nos últimos anos andava afastado da fotografia, mas em 2012 iniciei a série TIMELINE onde novamente me debruço sobre a paisagem da cidade e suas sub arquiteturas. É um exercício anárquico de observação permanente, a fotografia bate na cara como um tapa, não é uma imagem construída, produzida. Não há a postura solene de sair em busca da foto, é ela que se apresenta.” diz o artista.

No texto do catálogo o ensaísta, pesquisador e professor de literatura Frederico Coelho comenta o título da exposição: "Desde 2010 Raul Mourão vem trabalhando com esculturas cinéticas. Sua pesquisa sobre materiais e movimentos trouxe uma nova rota estética para sua obra. Em uma trajetória marcada pelo ecletismo de meios e frentes de ação, Raul mergulhou nesse universo e se concentrou por um período em seus balanços. Suas últimas exposições exploraram as múltiplas possibilidades nessa relação entre a matéria bruta do aço e sua leveza através de sutis movimentos pendulares. Se antes sua obra podia as vezes encarcerar o olhar entre grades, a partir dos balanços ela passou a chamar o espectador para dançar. Nesses dias de renovação à fórceps da realidade política e social do país, evocar um Movimento que nos peça o repouso é um convite irrecusável. Não de esvaziamento, mas de renovação. Repousar os olhos sobre as obras, repousar as mãos sobre os balanços, repousar os dias sobre a arte, para, quem sabe, renovarmos as energias. Afinal, todo o menor movimento – seja do aço, seja dos homens – será sempre uma revolução."

Raul Mourão é artista plástico, nasceu no Rio de Janeiro em 1967, estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e atualmente vive e trabalha entre NY e Rio. Apresenta seu trabalho em exposições individuais e coletivas desde 1991. Suas obras, construídas com diversos materiais, desenvolvem um vocabulário plástico com elementos da visualidade urbana deslocados de seu contexto usual. Entre eles há referências ao esporte, à arquitetura, aos botequins e à sinalização de obras públicas.
Em 2010 iniciou sua série de esculturas cinéticas que foram exibidas nas seguintes exposições individuais: Tração Animal, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; Homenagem ao Cubo, na Lurixs Arte Contemporânea, Rio de Janeiro; Processo, no Studio X, Rio de Janeiro; Toque Devagar, na Praça Tiradentes, Rio de Janeiro; Balanço Geral, no Atelier Subterrânea, Porto Alegre; Cuidado Quente, na Galeria Nara Roesler, São Paulo; e Chão, Parede e Gente, na Galeria Lurixs, Rio de Janeiro. E também nas exposições coletivas Projetos (in) Provados, na Caixa Cultural, Rio de Janeiro; Ponto de Equilíbrio, no Instituto Tomie Ohtake, São Paulo; Mostra Paralela 2010, no Liceu de Artes e Ofícios, São Paulo; Travessias, no Centro de Arte Bela Maré, Rio de Janeiro; e From the Margin to The Edge, Sommerset House, Londres.