Batizados de capoeira encerram projeto “Ginga De Peito Aberto” em escolas municipais

      



Após ensinar a arte da capoeira gratuitamente a cerca de mil alunos da rede pública municipal, o projeto “Ginga De Peito Aberto” encerra as atividades do primeiro ano com batizado solene para a entrega da primeira corda aos formandos, com a presença de patrocinadores, autoridades e convidados.


A primeira solenidade foi realizada neste sábado (12), às 8h, na Escola Francisco Leite, em Águas Claras. No próximo dia 19, será a vez da Escola Arlete Magalhães, em Castelo Branco. Na Escolab da Boca do Rio, o batizado acontecerá na sexta-feira (25), encerrando o evento na Escolab de Coutos, no sábado (26).

Com duração de um ano, o projeto “Ginga De Peito Aberto” é realizado através da Lei Rouanet com o patrocínio da Cielo e Cateno, sob a gestão da organização De Peito Aberto Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer (DPA), e parceria com a Secretaria Municipal da Educação (Smed).

O projeto
O projeto atendeu alunos de 7 a 17 anos, oferecendo aulas de capoeira no contra turno escolar durante às segundas, quartas e sextas-feiras. A iniciativa garantiu aos beneficiados todo material para a prática da atividade, como calça, camisa, sandálias, berimbaus, atabaques e pandeiros, além de contratar coordenadores, professores e auxiliares para o ensinamento da didática educacional e pedagógica.

“O projeto tem como objetivo trabalhar o indivíduo no meio coletivo, incentivando o respeito e o diálogo, gerar reflexão da importância da prática e da preservação da capoeira e das danças afro-brasileiras, valorizar o ensinamento lúdico e difundir esta manifestação cultural mundialmente conhecida, tendo como público-alvo jovens em situação de vulnerabilidade social”, afirma Ricardo Santana, coordenador técnico do projeto.

Batizado
O batizado é uma roda de capoeira solene e festiva, em que alunos novos recebem sua primeira corda e a partir de então podem passar para graduações superiores. Em algumas ocasiões, podem-se ver formados e professores recebendo graduações avançadas, momento considerado honroso para o capoeirista. O batizado parte ao comando do capoeirista mais graduado do grupo, seja ele mestre, contramestre ou professor. Os alunos jogam com um capoeirista formado e devem tentar se defender. Normalmente, o jogo termina com a queda do aluno, momento em que é considerado batizado, mas o capoeirista formado pode julgar a queda desnecessária. No caso de alunos mais avançados, o jogo poderá ser com mais de um formando, ou até mesmo com todos os formandos presentes, para as graduações avançadas.