Hemóveis realizam coleta de sangue e cadastro de medula em shoppings

      



Ir ao shopping passear, fazer compras e, por que não, doar sangue? Até sexta-feira (18), as unidades móveis da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) atendem a população nos estacionamentos do Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping. Coleta de sangue e cadastro de medula óssea são realizados das 8h às 17h, com o objetivo de ampliar a reserva nos bancos de sangue que garantem o fornecimento para unidades de saúde.

“É uma ação que visa aumentar o estoque de sangue e abastecer unidades de saúde para o benefício dos pacientes. Todos deveriam assumir esse compromisso social que, sem dúvida, salva vidas”, afirma a assistente social da Hemoba, Cátia Rocha.

A doação também pode ser direcionada para algum paciente específico. No segundo dia do atendimento no Salvador Shopping, a vendedora Agda Sampaio levou um grupo de colegas de trabalho para fazer a coleta de sangue que será encaminhada ao irmão, internado há dois meses no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). “Como eu já tive câncer, não posso doar. No entanto, fiz uma campanha no meu trabalho convidando os colegas para contribuírem para a saúde do Gilberto. Eles abraçaram a ideia e vieram doar”, conta Agda.

A técnica administrativa Aghatta Oliveira, que doa sangue há oito anos, é amiga de Agda e se voluntariou. Ela reconhece a importância do ato de solidariedade. “Comecei a doar por incentivo de amigos aos 18 anos e não parei mais. Faço doação de sangue uma vez por ano e, desta vez foi direcionada para o irmão de uma colega. Acho importantíssimo doar sangue porque você está contribuindo para a vida de outra pessoa”.

Critérios para doar

Para doar sangue é muito simples. O interessado precisa estar bem de saúde, alimentado com itens de pouca gordura, estar há pelo menos 12 horas sem consumir bebida alcoólica e duas horas sem fumar, além de ter dormido no mínimo seis horas. Para quem fez tatuagem, exame de endoscopia ou colocou piercing é necessário um intervalo de um ano para voltar a doar.

O peso também é critério de doação. A estudante Marina Prates tem menos de 50 kg, o que não a impediu de fazer sua parte. “Sempre quis doar sangue. Acho um ato nobre e nunca pude por causa do peso. Mas descobri que posso fazer o cadastro de medula óssea e contribuir se tiver demanda”, destaca.

A partir de terça-feira (22), os Hemóveis atendem em frente à Catedral da Fé, na Avenida ACM, e na Unime, em Lauro de Freitas. Além dos caminhões da Hemoba, os voluntários podem se dirigir até a sede da fundação, no bairro de Brotas, ao lado do Hospital Geral do Estado (HGE).