Ofensiva contra Estado Islâmico provoca fuga em massa no Iraque

      



Uma ofensiva militar iniciada este fim de semana no Iraque para retomar áreas ainda controladas pelo grupo terrorista Estado Islâmico deve provocar a fuga de milhares de civis do distrito iraquiano de Tel Afar e comunidades vizinhas, estima a ONU. As informações são da ONU News. A coordenadora humanitária das Nações Unidas no Iraque, Lise Grande, disse hoje (21) que cerca de 30 mil pessoas já abandonaram a área em busca de segurança. Os relatos dos deslocados incluem casos de famílias que chegam a caminhar “entre 10 e 20 horas debaixo de calor extremo para chegar aos pontos onde os deslocados se concentram chegando exaustos e desidratados".

Lise disse que não se sabe quantos civis ainda estão nas áreas onde ocorrem os combates, mas as agências preparam-se para que "milhares de pessoas fujam nos próximos dias e semanas". Ela afirmou que a movimentação ocorre em condições "muito difíceis e que, na cidade, a comida e a água estão acabando e as pessoas não podem mais atender suas necessidades básicas para sobreviver."

O deslocamento acontece num momento marcado por desafios nos fundos de auxílio. Até este domingo, as agências das Nações Unidas receberam apenas metade do financiamento necessário para o Plano de Resposta Humanitária deste ano no país.

A chefe humanitária da ONU no Iraque defendeu que "nada é mais importante do que proteger os civis e as famílias durante o conflito", que enfrentam "riscos extremos". Ela apelou para que tudo seja feito pelas partes do conflito para evitar mais vítimas civis e garantir que as pessoas tenham assistência e direito ao abrigo como prevê o direito internacional humanitário.

Lise Grande afirmou que o Governo do Iraque lidera a operação humanitária, fornecendo transporte e ajuda. E os parceiros humanitários atuam oferecendo assistência essencial em locais onde estão concentrados os desalojados, apoiando as famílias na sua chegada. As agências da ONU também fornecem acampamentos de emergência.