Cantando e se salvando

      



Por Biaggio Talento

Em 1992, o cantor e compositor Geronimo Santana, causou polêmica ao gravar a principal oração da Igreja Católica, o Pai Nosso, em ritmo de samba-reggae. Havia muita tensão religiosa no ar, pois o comandante da Arquidiocese na época era o conservador cardeal Lucas Moreira Neves. Ele já se metera em atrito com o “povo de santo” de Salvador ao tentar fechar o adro da Igreja do Bonfim no dia da Lavagem, mas conselheiros o dissuadiram da besteira. Dom Lucas também vivia a condenar o uso de músicas religiosas no carnaval e a invasão da festa na Quarta-feira de Cinzas.

A pauta da matéria sobre o Pai Nosso em ritmo de samba-reggae ficou comigo, na sucursal do Estadão. Gerônimo me explicou por que teve a idéia de musicar a oração – era um momento difícil de sua carreira – disse que chegou a mostrar ao Vaticano que deu sua aprovação. Mas não pretendia registrar em disco. Agliberto Lima, nosso fotógrafo Bel, providenciou uma imagem de Geronimo com o violão tendo ao fundo os casarões do Centro Histórico. De posse da gravação da música, lá vou eu mostrá-la a dom Lucas. Ele ouviu com atenção e, para minha surpresa gostou, embora não desse a aprovação, pois alegou que Geronimo alterou uma frase da oração e o samba-reggae não seria um ritmo “litúrgico”, portanto não poderia ser usado dentro da igreja, nas celebrações. O editor do Caderno 2 do Estadão manteve minha sugestão de título e tascou: “Pai nosso cai no samba-reggae”.

O episódio foi mais um exemplo do sincretismo baiano, exaltado por uns e condenado por outros. Geronimo tinha planos de gravar uma versão da música que ele batizou como “Ser Tão Forte” em latim, mas desconheço se concretizou seu projeto.

Agora, Gerônimo se superou. 25 anos depois de musicar o Pai Nosso, o autor de “Eu sou negão” e considerado um dos criadores da axé music, surpreendeu de novo, gravou a Ave Maria de Bach-Gounod em ritmo ijexá e em latim. O resultado é maravilhoso. Imediatamente nos vem a cabeça hordas de foliões seguindo ao ritmo do ijexa, descendo a Praça Castro Alves, arrastados, talvez, pelo afoxé Filhos de Gandhy.
O que esse assunto tem a ver com a Economia Salvação? Tudo. Santa Maria é a principal intercessora para a salvação da alma durante o julgamento final. Não é sem razão que na Idade Média ela era “nomeada” a primeira advogada celestial dos pecadores nos testamentos católicos. Imagino que a partir da versão de Geronimo, as almas baianas já podem entrar na sala do julgamento final em ritmo do ijexá. Acredito que ajudará muito na salvação.