Atriz Rogéria morre aos 74 anos no Rio

      



A atriz Rogéria, de 74 anos, morreu na noite de ontem, segunda-feira (4) no Rio. Rogéria se internou no Hospital Unimed Barra, na Zona Oeste do Rio, com um caso de infecção urinária, mas teve uma complicação após uma crise convulsiva.

O Hospital Unimed-Rio informou que a causa da morte de Rogéria foi um choque séptico. De acordo com a unidade hospitalar, ela estava internada na unidade desde 8 de agosto devido a um quadro de infecção urinária.

No último dia 25 de agosto, a atriz chegou a receber alta da Unidade de Tratamento Intensivo do hospital e foi levada para o quarto. Em julho, a atriz tinha sido internada por duas semanas em uma clínica em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. Ela deu entrada na unidade no dia 13 por conta de uma infecção generalizada. O seu quadro havia piorado depois de uma crise convulsiva.

O enterro está marcado para hoje (6), no município de Cantagalo, no norte Fluminense, cidade onde Rogéria nasceu. A atriz morreu ontem, aos 74 anos, devido a complicações provocadas por uma infecção urinária.

Ela estava internada desde o dia 8 de agosto em um hospital na Barra da Tijuca. Nascida Astolfo Barroso Pinto, Rogéria era a mais antiga transformista em atividade no Brasil. Ainda na adolescência, homossexual assumido, Astolfo virou transformista e começou a trabalhar como maquiadora, ainda com o nome masculino, na extinta TV Rio.

O nome Rogéria surgiu em 1964, quando venceu um concurso de fantasias no carnaval. Ela estreou nos palcos no mesmo ano, em um show de travestis na Galeria Alaska, então reduto gay de Copacabana.

Durante sua carreira, ela atuou em dezenas de shows e peças teatrais – tendo recebido o Troféu Mambembe em 1979, pelo espetáculo que fez ao lado de Grande Otelo – e programas de televisão, se destacando como jurada no programa do Chacrinha. Rogéria também participou de 11 filmes e atuou em novelas como Tieta, Paraíso Tropical e A Força do Querer. (Uol)