Leão arranca empate. Mas volta pra degola

      



Por Zedejesusbarreto

Foto: Romildo de Jesus

Numa partida que terminou eletrizante, o Vitória arrancou no último minuto um empate contra a tinhosa equipe do Fluminense do Rio (2 x 2), o torcedor comemorou, porque poderia ter sido bem pior, mas com o resultado a equipe rubro-negra baiana voltou para a zona da degola, com 26 pontos, em função do triunfo do Avaí ( 1 x 0 ) em Recife, contra o Sport; o time de Santa Catarina foi a 28 pontos, passando inclusive o Bahia, que joga na segunda-feira, contra o lanterna Atlético Goianiense.


A partida no Barradão ganhou contornos emocionantes no segundo tempo, quando o Fluminense empatou logo no começo; depois, o tricolor do Rio teve um atleta expulso e recuou, sofreu pressão, mas conseguiu a virada na execução de um pênalti cometido infantilmente pelo lateral Thalysson no rápido Wellington Silva, já faltando pouco para acabar. Seria injusto demais, então apareceu o gigante Kanu, zagueirão de fibra, que se lançou todo ao ataque e, já nos acréscimos, achou uma cabeçada salvadora, empatando.
*
Timão caiu na Vila
Outro resultado importante na rodada de domingo foi mais uma derrota do líder, Corínthians, desta vez para o Santos ( 2 x 0 ), na Vila Belmiro.
O Corínthians continua em primeiro, com 50 pontos; em segundo o Grêmio, com 43 e na sequência o Santos (41 pontos) e Palmeiras, em quarto, com 37.
*
O empate na Toca
Barradão, tarde limpa de domingo, sol primaveril, público razoável; 23ª rodada do Brasileirão, Série A/2017.
*
- O Vitória com 25 pontos ganhos e em 16º lugar, na porta, do lado de fora da zona de degola, entrou em campo com os seguintes atletas, escalados por Mancini:
Fernando Miguel, Caique Sá, Kanu, Wallace e Juninho; Uíllian Correia, Patric e Felipe Souto; David, Tréllez e Neylton. Kieza de volta, no banco. Uniforme tradicional em vermelho e preto.
- O Fluminense de Abel Braga, em 11º lugar com 30 pontos ganhos, escalado: Julio Cesar, Lucas, Henrique, Renato Chaves e Marlon; Wendel, Orejuela e Douglas ; Scarpa, Henrique Dourado e Wellington Silva. Camisetas brancas.
No apito, Wagner Reway.
*
Antes do apito, um minuto de silêncio em homenagem ao ex-craque, o zagueiro baiano Mário Felipe, conhecido como Onça, nascido em Santaluz, que jogou no Galícia, no Flu de Feira, no Bahia, no Flamengo, falecido essa semana que passou, em Salvador.
*
Bola em jogo:
- Logo que começou a partida, o time da casa foi para cima, numa postura agressiva, marcando pressão no campo adversário, tentando sufocar os cariocas. Em alta velocidade, aos 6 minutos, boa trama pela esquerda e Neilton entrou de cara, dividindo com o goleiro Julio Cesar, que prevaleceu no lance, impedindo a abertura do placar.
O Vitória impondo ritmo, correria e o tricolor do Rio bem postado, tentando quebrar o elã adversário, cadenciando.
- O Flu chegou bem aos 24 min, com Henrque Dourado ajeitando de cabeça um cruzamento da esquerda para a chegada de frente, livre, do meia Douglas, que encheu o pé ... nas nuvens.
Aos 44’, após um erro na saída de bola de Orejuela, Patric cruzou e a pelota não foi alcançada pelos atacantes na pequena área. O Vitória melhor, no ataque, tentando...
- Gol ! 1 x 0 Vitória, Neylton. Antes do apito final do árbitro, na sequência Patric alçou uma bola longa da direita para a esquerda, a defesa tricolor deu mole, cochilou e Neylton, fechando em diagonal, pegou livre, ajeito com calma e bateu enviesado, rasteiro, no canto oposto.
*
Foram 45 minutos iniciais de muito lufa-lufa, pressa, chutões, suadeira e pouca criação, troca de passes, técnica, foram raros os lances de área. Mas, no finalzinho, o rubro-negro achou seu gol, no velho estilo Mancini: cruzamentos largos de um lado a outro, alçados para dentro da área adversária. Se a zaga vacilar ...

*
Segunda etapa. Mesmas equipes voltaram do vestiário. Mancini trocou Neylton e David de lado. Abel adiantou mais a marcação no campo do rubro-negro e abriu mais o baixinho Wellington pela direita. .
- Gol ! 1 x 1 , Fluminense. O empate aconteceu logo aos 2 minutos. Wendel aproveitou um rebote de Fernando Miguel, que não conseguiu segurar uma finalização forte de Henrique Dourado. O tento botou fogo na partida. Mais lá e cá.
Aos 18’, Neylton emendou de primeira um cruzamento do lateral Caíque, Julio Cesar pegou, bem colocado. A resposta, aos Aos 20, com Wendel batendo no canto para F Miguel espalmar. Jogo aberto e franco.
Aos 15 min , Mancini colocou o avante Kieza, há meses no estaleiro, no lugar de David, mandando dois atacantes altos e cabeceadores para aproveitar os cruzamentos. E tome-lhe bola alçada, marcação dura, corre-corre, o torcedor cobrando mais da equipe baiana em campo. Depois, pois em campo Todinho, no lugar de Felipe Souto.
Aos 27’, Abel Braga mexeu no meio campo. Promoveu a estréia de Robinho no lugar de Douglas, já cansado. Aos 28’, na primeira bola que Robinho dividiu com o lateral Caíque Sá, solando, o árbitro expulsou o atleta estreante que nem tinha tocado na bola ainda. O Flu, então, ficou com um atleta a menos, para desespero de Abel Braga. Mudou muito o panorama da partida. O experiente Abel fechou a equipe, postando-se todos atrás da linha da bola, só saindo na boa.
Aos 33’, o lépido Caíque Sá fez ótima arrancada pela direita, foi na linha de fundo e rolou para trás; Patric, livre, de frente, chutou por cima, perdendo clara chance do desempate.
Saiu Juninho, lateral do Vitória, sentindo o joelho, entrou Thalysson; no Flu, o zagueiro capitão Henrique, também machucado, deu lugar a Chaves.
Aos 40’, Kanu subiu mais do que a zaga e testou forte, raspando o poste de Julio Cesar.
Aí, quando a pressão rubro-negra era absoluta, o gol por saí ... eis que, num raro contragolpe, aos 42’, Wellinton Silva caiu pela direita, levou a marcação de Thalysson e foi derrubado perto da linha de fundo. O árbitro viu pênalti.
- Gol ! 2 x 1 Fluminense ! , de pênalti, Henrique Dourado tocou de um lado, Fernando Miguel arriscou o outro. Ê futebol !
- Gol ! 2 x 2 , Vitória, Kanu. Mais uma vez o zagueirão salva, com um gol de cabeça, a manjada bola alçada, ele entrando livre do lado direito, oposto, e testando de cara. Ufa ! Ainda bem.
**
Destaques
Kanu pelo gol de empate salvador, pela raça. Patric, Neylton, Tréllez ... mas o melhor em campo, sem dúvida, foi o lateral Caíque Sá, veloz, criativo, incansável.
No Flu, a esperteza de Abel, jogando Wellington Silva em cima do lateral canhoto adversário, onde estava o buraco. Ali arrumou o pênalti. É uma equipe sem estrelas , mas bem arrumada, manhosa. Henrique Dourado é um centroavante perigoso.
*
- As linhas de marcação do gramado do Barradão praticamente invisíveis, de longe. Ruim para a tevê, prejudicial a arbitragem. Grama alta, cal fosca ?
*