Bacelar defende a criminalização da homofobia

      



Antes da Caminhada do Orgulho LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Transgêneros e Intersexuais) de Salvador, no centro da cidade, o Grupo Gay da Bahia (GGB) homenageou personalidades e empresas que inovaram em ações voltadas à diversidade, em cerimônia no Teatro Castro Alves. O deputado federalBacelar, líder do Podemos no estado, foi o único parlamentar a receber o prêmio, na 16ª edição do evento.

Bacelar foi homenageado por ter apresentado a PEC 158, que reconhece como entidade familiar o núcleo social formado por duas ou mais pessoas unidas por laços sanguíneos ou afetivos. A iniciativa fez com que os cartórios passassem a validar nos documentos de crianças e jovens, a presença de duas mães ou dois pais. Ele é autor também do projeto que suspende a proibição de homossexuais doarem sangue. “ A atuação de Bacelar na Comissão do Estatuto da Família motivou a nossa escolha. O deputado luta em Brasília para acabar com o preconceito e criminalizar o extermínio de quem é diferente”, ressaltou o presidente do GGB da Bahia, Marcelo Cerqueira.
No discurso de agradecimento, Bacelar denunciou a pressão da bancada evangélica na Câmara dos Deputados para não transformar a homofobia em crime. “ Não vamos mais permitir a omissão das autoridades em adotar as providências para evitar que um homossexual seja assassinado a cada 23 horas, em algum ponto do Brasil. Precisamos mudar essa triste realidade”, defendeu.