O Bahia não passa do empate com o Coxa

      



Por Zédejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus

Não foi dessa vez que o Bahia quebrou o tabu de 32 anos sem vencer o Coritiba, lá ou cá. O jogo foi na Fonte, a casa tricolor, bom público, mas a equipe não mostrou futebol. Não foi um bom jogo. Mas o Coxa mostrou-se bem mais arrumado em campo, ocupando melhor os espaços, marcando duro, ganhando as divididas e rebotes, perigando mais o jogo inteiro.
Com erro primário de escalação (um garoto da base, 19 anos, quarto-zagueiro, canhoto, escalado de lateral direito para marcar o veloz Rildo), o Tricolor não tinha jogada pela direita e atacava com pouca gente, o Rodrigão cada dia mais pesado, rechonchudo.
O empate, até justo, não foi bom pra nenhuma das duas equipes. O Coritiba continua pastando na zona de rebaixamento e o Bahia foi a 31 pontos, subindo para o 11ª lugar, até amanhã, domingo, quando segue a rodada e certamente haverá mudanças na tabela de classificação das equipes.
Para o torcedor que marcou presença na Fonte, a equipe perdeu ou deixou de ganhar mais dois pontos nesse confronto. E, no final, boa parte das arquibancadas pedia a cabeça do treinador (?) Preto Casagrande.
**
Times em campo
- Bahia: Jean, Éderson, Tiago, Tiago Martins e Juninho Capixaba. Edson, Juninho, Zé Rafael e Vinícius (Edigar Junio); Rodrigão e Mendoza ( Regis). No banco, Preto Casagrande.
- Coritiba : Wilson, Leo, Wéleson, Wallison e Carleto; Jonas, Allan Santos, Galdezani (Filigrana) e Tiago Real (Anderson); Rildo e Henrique (Keirrisson) Almeida. Treinador, Marcelo Oliveira.
No apito, Péricles Bassol.
**
Bola rolando
O tricolor entrou morno, atrás, sem iniciativa. O Coritiba marcando mais avançado, pegando mais justo, tentando impor ritmo. Até uns 18 minutos o time da casa não achou a bola, o Coxa muito mais arrumado em campo. Sò depois dos 20/25 o tricolor equilibrou as ações.
- Aos 6 min, Henrique Almeida tentou a primeira e bateu pra fora; o mesmo Henrique aos 16 minutos pegou uma bela bicicleta, da marca penal, para vistosa defesa de Jean. O Bahia chegou bem aos 30 min, bola parada longa, levantada por Vinícius, e Rodrigão testou na linha pequena área para milagrosa defesa de Wilson, no contrapé.
- Gol ! 45’, 1 x 0 Bahia. O tricolor achou o gol no final da primeira etapa. Rodrigão disputou e ganhou pelo alto o falta alongada por Edson, o zagueiro Wallison tentou atrasar de peito para o goleiro mas Zé Rafael foi mais esperto, dividiu com Wilson e ganhou, empurrando para as redes, mesmo caindo. Valeu pelo placar.
*
A segunda etapa e o mesmo panorama em campo. O Coritiba mais avançado e o Bahia no contragolpe. A chance de ampliar veio aos 10 minutos, num contra-ataque, mano a mano. Mendoza, pela esquerda recebeu, livrou-se do marcador e encheu o pé de cara, acertando a trave de Wilson.
- Gol ! 1 x 1 , Rildo, aos 19 minutos. Bola cruzada da direita atravessando toda a zaga, o garoto Ederson parou e Rildo, nas suas costas, bateu rasteiro, no canto, empatando.
Aos 28’, Capixaba recebeu e entrou na área pela esquerda, batendo rasteiro e rasante na pequena área; Rodrigão não chegou a tempo de empurrar para as redes. E o jogo foi se arrastando. Bolas na área e perigo de gol só em cobranças de falta e escanteios.
Aos 46’, o Tricolor teve boa chance de empatar. Escanteio cobrado da direita e Tiago testou de longe, a bola descaiu na pequena área, mas Wilson ficou com a bola, mesmo com dificuldades.
*
Destaques
Os dois Juninho e Zé Rafael foram os melhores no Bahia. Rildo, pela velocidade e Galdezani pelo Coritiba.
**
Quinta-feira, dia 12, no Pacaembú, Palmeiras x Bahia , às 21 horas, pela 17ª rodada.
**