Cidade histórica de Cachoeira recebe Feira Literária

      



                                                                       

Situada a cerca de 120 km da capital baiana, a histórica cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, guarda encantos únicos como o painel da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário formado por 13 mil azulejos portugueses. É o maior painel de azulejos portugueses fora de Portugal, de acordo com informações do Ministério da Cultura. Situada a beira do rio Paraguaçu, em 1971 a cidade foi tombada pelo IPHAN e ganhou o título de Monumento Nacional por sua riqueza arquitetônica. É nesta atmosfera que acontece, desde ontem, dia 5 de outubro, a sétima edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), que este ano homenageia o poeta e escritor Rui Espinheira Filho.

É também neste ambiente que a Odebrecht vai montar uma exposição que conta a trajetória e tradição do grupo em investir na Cultura. É o sexto ano consecutivo que a Odebrecht participa da Flica, seguindo uma tradição da empresa de valorizar a cultura baiana e brasileira. Desde os anos 1950, o grupo Odebrecht vem investindo na cultura e até o momento já publicou mais de 300 livros.


A mostra montada especialmente para a Flica é composta por 14 painéis e 28 lâminas que mostram discos e livros de artistas e grupos culturais que foram patrocinados pelo grupo Odebrecht. Muitos tiveram esse apoio no início da carreira, bem antes de terem o trabalho reconhecido e de se tornarem famosos. É o caso do primeiro disco do Ilê Ayiê, cuja capa faz parte da exposição.

Livros de caráter histórico como Homenagem à Bahia Antiga, lançado em 1959. Ou ainda uma publicação preciosa com poemas de Castro Alves ilustrados por artistas baianos como Carybé, Carlos Bastos e Calazans Neto. Além da edição Os Naturalistas do Império - o conhecimento científico de Portugal e suas colônias no período de 1768 a 1822, organizado por Magnus Roberto de Mello Pereira e Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz.

“O Grupo Odebrecht tem apoiado a arte em suas múltiplas dimensões, principalmente em projetos nas áreas de Literatura, Artes Plásticas, Dança e Recuperação Arquitetônica. Esta longa trajetória de apoio ao segmento cultural é o tema da exposição que será montada em Cachoeira”, afirma Marcelo Gentil, responsável pela Comunicação na Odebrecht S.A.

A exposição pode ser conferida no A Magia das Histórias, um charmoso e diferenciado espaço construído a partir de material reciclável e que será totalmente aberto ao público. “Será um espaço de convívio onde vamos realizar oficinas de sussurro poético e contação de histórias com Renata Fernandes, Sandra Popov e Saula Chequer”, afirma Raíssa Martins, do Movimento Livres Livros.

Durante os dias da Flica vão ser distribuídos gratuitamente cerca de 1.700 obras entre livros de arte e CDs das Edições Culturais Odebrecht.

Samba e bate-papo

O espaço A Magia das Histórias conta com uma intensa e diversificada programação e tudo de graça. No dia 5 de outubro, às 10h, tem a oficina “Vamos Libertar Poesias?”. Às 15h tem contação de histórias com Luciana Ávila e às 16h tem bate-papo com o garoto Guilherme Santana, criador de uma gibiteca em Santo Amaro.

Além disso, às 16h30 será feita a doação da primeira minibiblioteca da Livres Livros para a cidade de Cachoeira. A cerimônia contará com a presença do homenageado da Flica deste ano, o escritor e poeta Rui Espinheira Filho, além do prefeito de Cachoeira, Fernando Antônio da Silva Pereira.

Escritora Moina Bartilotti, autora do livro O Pequenique de Platão Tão-Tão - uma versão livre e lúdica de “O Banquete” de Platão"

No dia 6 de outubro, sexta-feira, às 9h30, tem contação de histórias em frente a Biblioteca Municipal. Às 15h o bate-papo é com a escritora Moina Bartilotti, autora do livro O Piquenique de Platão Tão-Tão – uma versão livre e lúdica de “O Banquete” de Platão". Para encerrar o dia, às 18h tem apresentação da Associação dos Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia.

No sábado (7) pela manhã, tem oficinas e contação de histórias com Saluar Chequer. Às 15h acontece o encontro com a escritora Renata Fernandes, autora dos livros infantis “A Turminha da Janelinha", "Como é que é, o chulé quer morar no meu pé?" e "Posso te contar um segredo? É legal compartilhar o brinquedo". Às 17h tem um show infantil com o grupo Espaço Musical do violonista Gabriel Macedo, neto do lendário Osmar Macedo, um dos criadores do trio elétrico.

O encerramento acontece no domingo, ao meio dia, com recital de poemas. Mas antes, às 10h, tem contação de histórias seguido da atividade de Trança fitas. Tudo gratuito.