Ação dos batistas brasileiros promove transformação social

      



“O Brasil começou na Bahia. A presença dos batistas no Brasil iniciou-se na Bahia, em Salvador. As coisas boas no Brasil começam na Bahia”. Assim o pastor Edson Silveira, presidente da Ordem dos Pastores Batistas da Bahia, iniciou sua fala na sessão especial promovida pela Assembléia Legislativa da Bahia na manhã de segunda-feira (9), para homenagear os 135 anos dos evangélicos batistas no Brasil. “Hoje nós estamos presentes em todos os municípios baianos e em todo Brasil, contribuindo não só para a formação espiritual do nosso povo, mas também para a transformação social”, disse o ministro batista.

A sessão especial foi realizada por iniciativa do deputado Heber Santana (PSC), que destacou durante o evento a importante contribuição dos batistas brasileiros aos baianos e ao País, tanto na educação como nas ações missionárias. "Iniciada na Bahia, a atuação dos batistas alcança hoje todo o País, com ênfase na área social e na política, através dos seus representantes, além da orientação religiosa que se reflete na formação ética dos evangélicos", analisa Heber Santana.

“Muito me alegro pela oportunidade de proporcionar esse momento, que se justifica não só pela longevidade das instituições e pela quantidade, mas principalmente pela qualidade da atuação dos batistas brasileiros, tanto na área espiritual como na social, na educação e na transformação de vidas”, disse Heber Santana. Ele citou como exemplo o Colégio Taylor Egídio, fundado em 1898, em Salvador, e transferido para Jaguaquara em 1922 e até hoje funcionando como marco naquela cidade e na Bahia, e dentre outros o trabalho realizado com a recuperação de dependentes químicos. “Os batistas brasileiros realizam um magnífico trabalho de transformação de vidas, alcançando lugares desassistidos pela ação do Estado”, concluiu.

Além de centenas de convidados e do presidente da Ordem dos Pastores da Bahia, a sessão especial contou com as presenças do desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, Baltazar Miranda; do secretário executivo da Convenção Batista Baiana (CBBa), pastor Erivaldo Barros de Oliveira, e do seu vice-presidente, pastor Mateus Guerra; do presidente da Associação Batista de Salvador, pastor Daniel Costa; da missionária Eliete Moraes; da ex-presidente da CBBa, Antonia Ferreira, primeira mulher a presidir a denominação; do vereador de Salvador, Ricardo Almeida; do pastor Jorge Bezerra; do presidente do PSC na Bahia, ex-deputado Eliel Santana, e do pastor José Ivan, presidente da Assembléia de Deus Madureira, que compuseram a mesa presidida pelo deputado Heber Santana.

Durante a sessão, que teve momentos de louvor inspirados no Cantor Cristão, e da apresentação de um grupo de ex-drogados, recuperados pelo trabalho da Missão Cristolândia da Bahia, foram homenageadas as igrejas centenárias de Salvador, representadas pelas igrejas de Mares, Filadélfia e Plataforma, e as do interior do estado, representadas pelas igrejas PIB de Jequié e PIB de Valença. Também foram homenageados o diácono Deocleciano Ferreira e a diaconisa Georgina Carvalho, a líder da organização Mensageiras do Rei, Dilma Verçosa, e o líder dos Embaixadores do Rei, Elson Verçosa, além dos componentes da mesa.

Vindos dos Estados Unidos, os batistas chegaram ao Brasil em 1882, quando foi organizada a Primeira Igreja Batista, em Salvador, voltada para a evangelização do Brasil. Unidos em torno da Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, e para a pregação do Evangelho, os batistas brasileiros ampliaram seu raio de ação, com a organização centenas de igrejas, ampliando a ação social e educacional.

Ao agradecer a homenagem, em nome dos batistas baianos, o secretário geral da CBBa Erivaldo Barros, disse entender aquele momento como um reconhecimento do Estado à ação restauradora dos batistas na Bahia, e enalteceu a iniciativa do deputado Heber Santana em promover aquele momento.