BA X VI DO DESESPERO DOMINGO NA FONTE

      



Por Zedejesusbarreto

Foi uma noite de quinta-feira amarga para os times baianos no Brasileirão. O Vitória, mais uma vez em casa, foi derrotado, pela décima vez nessa competição perante seu torcedor. Levou 3 x 2 de virada para o Atlético(PR). O Leão não se acha na Toca. Que passa? 

No Rio de Janeiro, até os 30 minutos da segunda etapa o Bahia empatava com o Flamengo e até jogava bem, era uma partida equilibrada. Mas o Tricolor levou um gol de cabeça, após um escanteio, aos 31 minutos, e a equipe se perdeu em campo, faltou pernas, naufragou, entregou e foi goleada, 4 x 1 – um placar elástico demais para o que foi o jogo, cruel. Foi a primeira derrota de Carpegiani à frente da equipe.
**
Com os resultados que fecharam a rodada 29ª, o Bahia, com seus 35 pontos, acomodou-se no 13º lugar, a três pontos da zona de degola. O Vitória, com 33 pontos, está na porta da zona, de vigia.
*
Em função disso, o clássico Ba X Vi de domingo, na Fonte Nova, ganha cores dramáticas. Os rivais se pegam diante da ameaça real de um rebaixamento para a segundona em 2018. Faltam oitos jogos para cada um, retão final. E ambos os rivais de crista baixa, após duas derrotas daquelas que derrubam, podem afetar e muito o emocional das equipes e prejudicar o desempenho em campo.
Assim, teremos um resto de semana de muito trabalho para os treinadores Mancini e Carpegiani. É preciso recuperar ao atletas física e mentalmente. Vai ser uma batalha de desesperados, no domingo.
**
No ninho do Urubu
O estádio se chama oficialmente de Luso-Brasileiro, no Rio, Ilha do Governador, mas pro torcedor ruronegro é o ‘ninho do urubu’, com pouco mais de oito mil torcedores presentes.
O rubro-negro carioca começou trabalhando melhor a bola e atacando mais, explorando muito o lado direito, com Berrio, ajudado pelo lateral Pará, levando nítida vantagem sobre a marcação de Capixaba, envolvido. Jean trabalhando, a defesa tricolor suportando bem e nada de o meio de campo tricolor encaixar um bom contragolpe.
O Bahia chegou bem e pela primeira vez aos 22’, numa boa tabela pelo meio, Edigar Jr deixou Ze Rafael de frente, mas Diego Alves fez ótima defesa. Aos 28’, após um belo chute de Diego, de fora, foi a vez de Jean evitar o gol triscando num voo para escanteio. Na sequência, Vinícius tabelou com Edigar Jr e ficou de cara com o goleiro, livre, mas bateu mal, nas mãos do goleiro, desperdiçando a melhor chance do jogo, até então.
Aos 35’, Régis entrou no lugar de Vinícius, que machucou o pé e pode ser desfalque para o BaxVi de domingo. Equilíbrio de ações até o final da primeira etapa.
*
Na volta da merenda, o Flamengo mais ligado. Éverton Ribeiro no lugar de Berrio.
- Gol ! Flamengo 1 x 0, Rever, aos 5 minutos. Diego encarou Jean, que salvou no seus pés. O escanteio foi batido rápido, a defesa ainda se arrumando, Guerrero disputou no alto com Tiago e a bola sobrou na pequena área para o zagueirão Rever, livre, fuzilar.
A torcida se entusiasmou, mas o Tricolor foi pra cima, tentando o empate, equilibrando. Aos 18 min, saiu Edigar Junio, sentindo a coxa, e entrou Hernane, o ‘brocador’. de volta aos gramados depois de meses lesionado. Logo depois, Carpegiani trocou Ze Rafael, cansado, por Allione. No Flamengo, saiu Guerrero, machucado na coxa, e entrou o garoto Paquetá.
Aos 21 minutos, depois de ótima jogada de Allione, costurando pelo meio, a bola sobrou para Hernane, que foi derrubado na área e o árbitro marcou o pênalti.
- Gol ! 1 x 1 Bahia. Mendoza bateu muito bem a penalidade, com um tiro seco, forte, no canto, sem defesa, empatando.
- Gol! 2 x 1 Flamengo. Rever, de cabeça, desempatando. Mais uma vez o gol tomado numa cobrança de escanteio, bola alçada, bem aberta e Réver, que é bem alto, subiu no quinto andar, mais alto que Édson, e testou forte, sem defesa, desempatando e despertando a torcida rubro-negra, que já estava inquieta. Aos 31 minutos. Dai em diante, tudo mudou.
Desarrumou, desmantelou-se a defensiva baiana, a equipe de repente sem rumo, aberta e sem fôlego em campo. E veio a goleada.
Aos 37 minutos, após um contragolpe, a zaga tricolor desarrumada, bola alçada, o árbitro viu pênalti na disputa de bola de Paquetá com Lucas Fonseca, a bola já saindo pela linha de fundo.
- Gol ! 3 x 1, Flamengo. Diego, bateu o pênalti no cantinho, rasteiro.
- Gol ! 4 x 1, Flamengo, Diego. Já, entregue nos minutos finais, a defesa distraída, o Bahia levou o quarto. Lucas Fonseca perdido e vendido, sem pernas, Diego recebeu livre, na marca penal, girou e bateu forte, sem defesa.
Não era pra cair de quatro. Teve momentos que o torcedor até acreditou que o tricolor poderia vencer, pelo que produzia. Mas, como diria o outro, o jogo só acaba quando termina. O final foi triste.
*
Sem destaques do lado derrotado. Rever, em dois escanteios, decidiu, fez a diferença. Quem deveria marcá-lo?

Equipes escaladas:
Flamengo : Diego Alves, Pará, Rever, Juan e Trauco; Cuellar, Arão e Diego; Berrio, , Guerrero e Everton. Treinador: Reinaldo Rueda.
Bahia : Juan, Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Capixaba: Renê Jr, Edson e Vinícius (Régis); Ze Rafael, Edigar Junio e Mendoza. Treinador : PC Carpegiani.
No apito, Marcelo Aparecido (SP).
Capixaba, punido com cartão amarelo, está fora do BaVi.
**
Um Barradão carregado
Duelo de rubro-negros. A Toca do Leão com pouco mais de oito mil pagantes; muita gente ainda querendo entrar, outros se aconchegando nas arquibancadas, mal começou a partida e o time visitante deu o recado. Ribamar desbravou pelo lado esquerdo, entrou na área e despejou uma bomba, que Caíque espalmou a escanteio.
- Gol ! 1 x 0 Atlético (PR), 3 minutos. Na cobrança do esquinado da direita, aberto, Ribamar subiu sozinho do outro lado e testou forte, no canto, fora do alcance do goleirão Caíque.
O time paranaense recuou, marcando em seu próprio campo. A equipe da casa foi pra cima, em busca do empate, mais tempo com a bola no pé, atuando ofensivamente. Daí, aos 23 minutos, depois de uma lambança da defesa paranaense, David brigou pelo rebote, atirou-se na frente da pequena área e o árbitro pegou, viu um empurrão do lateral Jonathan nas costas do atacante, marcou o pênalti.
- Gol! 24’, Vitória, 1 x 1. Neylton, cobrou o pênalti, rasteiro e forte, no cantinho, decretando empate.
O time baiano continuou na frente, mas o Atlético assustou em dois chutes de fora: o primeiro Caíque rebateu, o segundo, na sequência, triscou e tirou de ponta de dedos: aos 35 e 36 minutos. Aos 41’, depois de boa trama coletiva, Caíque mandou o sapato, já dentro da grande área sulista, mas Wéverton trabalhou bem.
O Leão, dono da casa, foi melhor na primeira etapa; teve mais posse de bola e atacou mais. O Atlético, no entanto, ameaçou, assustou sempre que arriscou, que chegou na frente. Placar justo, chuva no intervalo.
*
A segunda etapa foi um rebuliço. Vira-vira, virou.
- Gol ! Tréllez, 2 x 1 , Vitória, aos 7’. Novamente boa jogada em velocidade de David pela esquerda, servindo o centroavante Tréllez que se antecipou ao zagueiro e desviou do goleiro, virando o placar. Mas... Deu cochilo na defesa.
- Gol, Atlético(PR), 2 x 2, Douglas Coutinho. Aos 21 minuntos, a defesa distraída, desligadona, e Douglas Coutinho enfiou-se no miolo da zaga, na pequena área, finalizando e novamente empatando a partida.
A torcida injuriada e o time baiano foi pro corre-corre... Então, outro branco na defesa e o caldo entornou.
- Gol ! 3 x 2 , Ribamar ... de cabeça. Após bobeira de Patric, que cometeu uma falta na lateral da área e distraiu-se, a bola foi levantada, a zaga de leseira permitiu a linha de passe e Ribamar detonou, virando de vez.
Logo depois, a defesa ainda azoada, quase Douglas Coutinho ampliou; Caíque salvou.
Daí por diante, foi só pressão, sufoco, na base do ‘Leão doido’, bola na área adversária e seja o que deus quiser. Chances perdidas, a defesa paranaense se safando de toda forma possível e garantindo o resultado.
A urucubada do Barradão continua. É a 10ª derrota do Leão na sua toca. Inexplicável. Em casa a equipe não funciona, corre menos, pernas presas, e falha demais no setor defensivo.
*
Destaques no Vitória : David e Tréllez. Noite tenebrosa para a defesa. No time paranaense, Ribamar e Douglas Coutinho azucrinaram.
*
Escalações:
Vitória: - Caíque, Caíque Sá (Patric), Ramon, Wallace e Juninho: Uíllian, Yago, Filipe Souto e Neylton; David e Tréllez. Treinador: Vagner Mancini.
Atlético (PR) : - Wéverton, Jonathan, Wanderson, Tiago Heleno e SIdclay; Pavez, Lucio Gonzalez(Rosetto), Guilherme e Gedoz; Douglas Coutinho e Ribamar. Técnico: Fabiano Soares.
No apito, o goiano André Luis de Freitas Castro.
**
Outros resultados:
Palmeiras 2 x 0 Ponte Preta; Sport 1 x 1 Santos.
**
Tem Ba Vi domingo. Pega pra capar.