Presidente do PCdoB/BA celebra pré-candidatura comunista à Presidência

      



O presidente estadual do PCdoB na Bahia, deputado federal Davidson Magalhães, comemorou a decisão do Comitê Central do Partido, anunciada no último domingo (05/11), de lançar a deputada gaúcha Manuela D’Àvila pré-candidata a presidenta da República. Na avaliação de Davidson, a pré-candidatura comunista é uma necessidade da atual conjuntura política.

 

Segundo ele, o PCdoB está legitimado a ‘sentar na mesa dos debates’ porque tem um projeto de enfrentamento aos retrocessos e de retomada do desenvolvimento no Brasil. “Nós estamos em uma conjuntura de incertezas, em que nós estamos enfrentando uma agenda regressiva […] Uma verdadeira ofensiva neocolonialista. Nós precisamos resistir a essa agenda”, disse.

 

Davidson Magalhães também rebateu as críticas sobre uma possível dispersão da esquerda, com a pré-candidatura do PCdoB. “A dispersão da esquerda só vai ocorrer se não tivermos uma unidade das candidaturas. Nós estamos em uma fase de pré-candidaturas. Com todo respeito ao PT e aos outros partidos, ninguém pode falar sozinho em nome da esquerda. Nós temos nossas opiniões, temos nossas posições e é nesse sentido que queremos contribuir”, garantiu.

 

O PCdoB permanece com a defesa da unidade nas eleições de 2018 e essa é, inclusive, um dos principais pontos do 14º Congresso, que acontece em Brasília, entre os próximos dias 17 e 19 de novembro. “O PCdoB é o partido que mais tem ajudado na construção da unidade política das forças progressistas e a candidatura de Manuela vem se somar a esse esforço. […] A construção política dessa unidade passa, nesse momento, pelo PCdoB ter mais protagonismo”.

 

O presidente do PCdoB-BA ainda criticou ‘exclusivismos’ na esquerda. “Vários partidos já têm seus candidatos, como o PT, o PDT, entre outros. É nesse contexto de ajudar no debate e de expor as ideias do PCdoB, e, dentro desse movimento, ajudar na construção da unidade. […]. A nossa voz e o nosso pensamento não vão vir pela boca de outro partido, mas pelo protagonismo e luta que nós temos”.

 

Lula candidato

Sobre o ex-presidente Lula, já posto como pré-candidato do PT, Davidson explicou que a decisão do PCdoB “não quer dizer um enfraquecimento ou arrefecimento do combate à perseguição ao ex-presidente Lula enfrenta”. Nessa questão, segundo ele, o Partido continua solidário e permanece com uma atuação protagonista em defesa do direito da candidatura do petista.

 

“O PCdoB, diferente de alguns, nunca vacilou nessa questão, sempre defendeu a integridade política e moral de Lula, mas, diante das incertezas, é preciso ter alternativas. Nós estamos solidários a Lula, como sempre estivemos, desde a luta contra o golpe da presidenta Dilma, diferentemente de alguns partidos e lideranças que vacilaram nesse processo. O PCdoB esteve na linha de frente, com a sua bancada e a sua militância”, afirmou.

 

Manuela presidenta

Indicada do PCdoB para a pré-candidatura, Manuela D’Àvila é jornalista e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, já tendo cumprido dois mandatos como deputada federal, quando foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados. Davidson Magalhães elogiou a escolha, principalmente, pelo fato de Manuela ser jovem e pelo diálogo que possui junto à juventude, que está, nesse momento, descrente da política.