A NOITE DA DUPLA BA VI

      



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus

Ufa! Enfim o Leão voltou a vencer na sua Toca, após três meses, para delírio de sua torcida. Uma vitória importantíssima, os 3 x 0 sobre o Palmeiras(SP). Primeiro porque tirou a equipe da zona de degola, agora com 38 pontos, o rubro-negro baiano favorecido também pela derrota de três concorrentes: o Sport, o Avaí e a Ponte Preta. Importante pela quebra da sequência de jogos sem vencer, pela recuperação da confiança perante o torcedor; e foi um resultado conseguido com muito sangue, a equipe com um atleta a menos em campo desde a metade do segundo tempo. Por tudo isso, valeu a pena a festa do torcedor, mais de 13 mil no estádio.
*
Mais cedo, em Santa Catarina, mostrando maturidade, amansando a bola e impondo seu ritmo, o Bahia enfim venceu fora de casa. Com o resultado ( 2 x 1 sobre o Avaí) , o Tricolor baiano chegou aos 45 pontos e está no 9º lugar na tabela de classificação do Brasileirão 2017; já pode sim até brigar por uma tão sonhada vaga na Libertadores da América, objetivo dos grandes. O triunfo tricolor ainda serviu para ajudar o rival Vitória, afundando mais o Avaí na zona de rebaixamento.
*
No Barradão
Enfim deu Leão...
Sem ter muito o que pensar da vida senão vencer ou vencer, o Vitória partiu pra cima do Palmeiras assim que a bola rolou no Barradão, a meia boca nas arquibancadas quando a bola rolou no gramado. Um Leão mais vibrante em campo, com fome de bola.
- Gol ! 1 x 0 Vitória, aos 6 minutos, Yago. Arrancada pela direita, Tréllez fez bem a parede no meio, ao receber a bola e Yago, livre, de frente, bateu forte para estufar as redes; a galera no delírio, acreditando.
- Gol ! 2 x 0 Vitória, aos 15’, Tréllez. Numa bobeira de Juninho, Tréllez recebeu de Walace, arrancou em velocidade e meteu entre as pernas de Prass, ampliando. Golaço.
- Gol ! 2 x 1 Palmeiras, aos 19’, Dudu. O Verdão entrou fácil trocando passes rápidos pela direita; bola cruzada por Keno, pelo alto para o lado oposto, e o baixinho Dudu estava livre para cabecear na pequena área. Vacilo de marcação.
Jogo aberto, em alta voltagem. Mas o Vitória sentiu o gol e o Palmeiras foi pra cima. Quase empatou logo depois, F. Miguel salvando com a ponta dos dedos, no rodapé. Equilibrou.
- Gol ! 3 x 1, Yago, aos 40 min. Zé Uélisson enfiou para David, na correria pela esquerda, rolando para a meia lua; Uíllian enfiou o pé mas foi travado e a bola sobrou para Yago que não tomou conhecimento do marcador e bateu forte, cruzado.
Um ótimo aproveitamento do rubro-negro no primeiro tempo, atuando como há muito não se via na Toca do Leão. Três gols, muita vontade. O torcedor gostou, aplaudiu, levou fé. E muita gente que estava fora do estádio, sem acreditar na equipe, entrou, melhorando muito o público nas arquibancadas.
*
O Verdão voltou da merenda com uma postura mais ofensiva, precisando mudar o resultado do jogo. Mas foi o Leão que assustou primeiro, aos 3 min, numa cabeçada de Tréllez que exigiu elástica defesa de Prass. Aos 9’, foi a vez de F Miguel salvar, tirando de tapa, no cantinho, a bola tocada por Walace, numa blitz palmeirense.
Aos 17 minutos, após uma falta por trás em Dudu, na meia lua da área, Uíllian Correia foi expulso, ao receber o segundo cartão amarelo. O rubro-negro com um atleta a menos em campo. Então, Mancini recompôs a marcação, retirando Filipe e pondo Ramon. A ordem era segurar o placar, a qualquer custo. Mancini pôs ainda em campo o zagueiro Renê Santos no lugar de Yago e fechou-se inteiro. Um paredão defensivo. Virou um ataque contra defesa. Mas o tempo foi passando e a equipe paulista não achava brechas para finalizar. Nenhuma inspiração.
Só aos 41’ o ‘Porco’ ameaçou, com um chutaço de londe de Tchê-Tchê para a espalmada de F. Miguel. Aos 48’, Roger Guedes acertou uma paulada no travessão do rubro-negro. Foi só. Deu Leão no Barradão, até que enfim.
*
Destaques
Yago, Zé Uélisson e Tréllez, os melhores. Toda a equipe pela bravura, pela vontade, pelos ótimos primeiros vinte minutos.
*
Ficha técnica
Vitória: - F.Miguel, Patric, Kanu, Walace e Géfferson; Zé Uélisson, Uilian Correia, Filipe e Yago; David e Tréllez. Treinador: Mancini.
Palmeiras: - F Prass, Mayke, Dracena, Juninho e Egídio; Tchê-Tchê, Moysés e Bruno Henrique; Keno, Erick e Dudu. Treinador: Alberto Valentim.
No apito, Dewson Fernando da Silva(PA)
*
Pela rodada 34ª, o Vitória vai ao Sul enfrentar o Grêmio, no domingo (dia 12) , às 16hs.
**
Na Ressacada (SC)
Deu Bahêêa !
Em Floripa, tempo bom, público fraco nas arquibancadas, o tricolor com o seu novo uniforme, todo em vermelho. O Avaí, sob pressão, na zona, ao tudo ou nada.
Com a bola rolando, depois de uma bobeira de T.Martins, aos dois minutos, atrasando mal uma bola de cabeça, quase o Avaí marcou. Jean salvou. Minutos depois, outras duas investidas pelo lado esquerdo defensivo do tricolor, T.Martins nervoso, perdido, Eduardo e Jean evitaram a abertura do placar. O Tricolor não começou bem, defensivamente. O Avaí mais ligado.
- Gol ! 1x 0, Avaí. Aos 16 min, Marquinhos batendo falta de meia distância no canto baixo, a bola quicou antes e enganou Jean, que falhou feio no lance.
Aos poucos o Bahia foi acalmando, tentando por a bola no chão, ter o comando, mas o time da casa se fechou, apostando no contragolpe, apenas. O Tricolor foi chegando.
- Gol ! 1x 1, Edigar Junio, aos 33 min. O empate saiu também numa cobrança de falta; Juninho bateu bem, acertou as duas traves, Renê Jr tentou, a bola sobrou para o artilheiro Edigar Junio, que encheu o pé.
Uma primeira etapa muito movimentada e equilibrada. O time da casa esfogueado, na correria, e o Bahia tentando ficar com a bola, trocar passes, depois de um começo nervoso.
*
Nenhuma mudança feita pelos treinadores nos vestiários. O Bahia deu o ar da graça aos seis minutos, numa cabeçada de Edigar Jr, após cobrança de falta de Juninho, para Douglas espalmar a escanteio. O time baiano mais na frente, apertando. Aos 12’, Mendoza recebeu em profundidade e encarou o goleiro, que evitou o gol baiano.
Aos 17’, Jean arrojou-se no pés do veterano Marquinhos, ficando com a pelota. A partida ganha ritmo, lá e cá, fica arriscada e franca. Os dois times querendo o gol, o triunfo. O Bahia trocando mais passes, evoluindo; o Avaí apostando nas bolas paradas, nos cruzamentos altos, no abafa. Poucas chances de gol.
Por volta dos 30,o treinador Claudinei tirou de campo os veteranos Marquinhos e Maicon (aquele mesmo da seleção de2014), pondo sangue novo, em busca do gol, mas...
- Gol ! 2 x 1 Bahia , Edigar Junio, aos 32’. Um bela tabela pela esquerda, com Maendoza, Allione foi ao fundo e rolou para a finalização de Edigar, com competência. Belo trabalho coletivo.
Carpegiani trocou Mendoza por Régis, aos 35’. Aos 39’, Feijão no lugar de Renê Jr, sentindo a coxa. Depois, Mateus Sales substituiu Allione. Jogo bem administrado até o final.
Belo e importante triunfo que faz a torcida tricolor pensar até em Libertadores ! Valeu !

*
Destaques:
Edigar Junio, dois gols e uma atuação de realce; Allione, Renê Jr, Juninho, Ze Rafael...
E, claro, Carpegiani, decisivo nos vestiários.

*
Ficha técnica:
Avaí – Douglas, Maicon, Alemão, Betão e J.Paulo; Pedro Castro, Judson e Marquinhos; Luanzinho, Júnior Dutra e Rômulo. Treinador: Claudinei Oliveira.
Bahia – Jean, Eduardo, Thiago, Tiago Martins e J. Capixaba; Juninho e Renê Jr: Ze Rafael, Allione e Mendoza; Edigar Junio. Treinador: Carpegiani.
No apito, Péricles Bassol (PE)
**
Próximo compromisso, na Fonte Nova, domingo (12), contra o Atlético, o Galo Mineiro, valendo já pela 34ª rodada, retão final.