Solla cobra celeridade na investigação contra ACM Neto: “vai se juntar a Geddel”

      



O deputado federal Jorge Solla (PT) cobrou celeridade na investigação aberta nesta semana pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) contra ACM Neto (DEM). O prefeito de Salvador é alvo de delação do André Vital Pessoa de Melo, ex-diretor superintendente da Odebrecht na Bahia, que afirmou ter pagado R$ 2,2 milhões de propina após acerto em reunião com ACM Neto em seu escritório, na Ondina.


“A gente sabe a velocidade do Judiciário do Brasil quando se trata de apurar crimes da elite, da direita, é muito devagar, quase parando. Em abril André Vital delatou com detalhes como operacionalizou o pagamento de propina ao prefeito ACM Neto. Teve R$ 1,8 milhão em malas de dinheiro, igual a de Aécio. O delator mostrou telefonemas, registro, todas as provas. Espero que o MPE e o MPF apurem e que ACM Neto venha se juntar ao seu comparsa, Geddel Vieira Lima, no limbo da história de nosso estado”, disse, em pronunciamento no plenário da Câmara, na quinta-feira (9).


“Propina de superfaturamento da obra da Barra. Dinheiro vivo entregue a seu ex-cunhado. Não foi o primo, como no caso de Aécio, nem ele disse que ia mandar matar, como Aécio disse que ia mandar matar o primo, mas tá provado, igual a Aécio, é propina, mala de dinheiro”, completou Solla.