Polícia e Embasa retiram “gatos” na adutora de Santa Brígida

      



Com o apoio da Polícia Militar, a Embasa retirou no dia 14 de dezembro, ligações clandestinas da adutora de Santa Brígida, próxima ao município de Paulo Afonso. Foram encontradas irregularidades em um assentamento do Movimento dos Sem Terra (MST) e em três propriedades rurais. A ação é uma das vertentes adotadas para melhoria do abastecimento de água no município de Santa Brígida.

De acordo com o gerente de Abastecimento de Água de Paulo Afonso, João Carlos Almeida, com a retirada das ligações clandestinas do assentamento do MST houve um ganho de vazão de três metros cúbicos por hora, o suficiente para atender 179 imóveis do povoado Riacho, localizado logo após o assentamento. “A Embasa está investindo na ampliação do sistema de abastecimento de água de Santa Brígida, mas sem a retirada das irregularidades, o problema continuaria sem solução”, reforça o gerente.

A presença da Polícia Militar foi fundamental, já que são frequentes as ameaças sofridas por colaboradores da Embasa que atuam na região: “No verão, temos dificuldade para abastecer a sede de Santa Brígida. O consumo aumenta devido ao calor e são muitas as fraudes ao longo da adutora”, afirma Flávia Bezerra, gerente do Escritório Local de Paulo Afonso.

“Vamos continuar com essas ações ao longo da adutora, que é extensa. Nosso objetivo é inibir novas ilegalidades e melhorar o fornecimento de água na região”, disse Zorobabel Filho, gerente da Unidade Regional de Paulo Afonso.

Também foram investidos recursos para a ampliação da estação de tratamento de água de Santa Brígida e, recentemente, foi colocada em operação uma elevatória (bomba) para aumentar o volume ofertado.

Crime contra o patrimônio | O furto de água é qualificado como crime contra o patrimônio, de acordo com o artigo 155 do Código Penal Brasileiro, cujo parágrafo 3º, ao tratar de furtos, equipara “à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico”. A pena prevista na lei é reclusão de um a quatro anos e multa.