Vitória em alta vence e Bahia em baixa empata

      



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus
Pela quarta rodada do baianão, a mesma toada. O Rubro-negro, no Barradão, enfiou três no Bahia de Feira, sobrando na segunda etapa, e assumiu a liderança do Baianão, com 10 pontos ganhos. O Fluminense, em Feira, ganhou do Jequié (2 x 1 ) e também foi a 10 pontos.
O Bahia, jogando feito uma equipe de seminaristas em férias, lento e burocrático, sem criar nada, decepcionou mais uma vez: 0 x 0 contra o Jacobina (lanterna), no sertão, alto da Chapada. Com o resultado, o Tricolor continua em 6º lugar, com apenas 5 pontos, fora da zona de classificação. O torcedor indócil

*
Bahia decepcionou
Jacobina 0 x 0 Bahia / templo nublado, muito mormaço. Estádio José Rocha com um público de 1.800 pagantes, um gramado alto mas em dia e o Jacobina na lanterna, precisando pontuar. Já o Bahia, em 6º lugar, também precisando vencer para encostar no grupo dos quatro primeiros, os classificados.
Bola rolando
O Bahia rondando, tendo a bola mas modorrento, e o time da casa se defendendo com denodo, fechadinho e dando chutões.
Aos 7 min, Zé Rafael bateu forte e cruzado, da esquerda, rasante, o goleiro triscou e quase Kayke chegou, carrinhando. Aos 26’, outra bola cruzada da esquerda por trás da zaga do Jacobina, mas ninguém do Bahia chegou finalizar. Aos 36’, a melhor chance do tricolor, com um chutaço de Nino Paraíba para a espalmada do goleirão Lukita.
Daí, aconteceu um lance estranho e decisivo: Aos 40 minutos, o lerdo Lucas Fonseca atrasou uma bola boba muito mal, de cabeça, e o goleiro Douglas precisou dividir com o atacante, fazendo falta feia na linha da grande área, frontal. Douglas terminou bem expulso pelo árbitro Jaílson. Guto tirou Allione e colocou o goleiro Rafael Santos, estreando enfim. E o Bahia ficou com um atleta a menos em campo.
Primeiro tempo fraco, só uma equipe tentando jogar, mesmo assim com lentidão burocrática, e a equipe da casa se safando no chutão. Difícil de ver. Na segunda etapa serão 10 contra 11 no gramado, outra leitura.
*
Guto mexeu nos vestiários do Tricolor; tirou Elton e pôs Vinícius no meio campo. Mesmo com 10 em campo, a equipe da capital continuou no comando do jogo, tendo mais a bola, mas com dificuldades para penetrar e chutar. Uma equipe lenta e bem previsível, que não criu situações de gol. O Jacobina na dele, segurando.
Aos 48’, talvez a melhor oportunidade do Tricolor: Vinícius arrancou em jogada individual e, já na grande área, arrematou de canhota, acertando o travessão. E Só.
Mais uma partida medíocre, péssima campanha do Bahia, até agora, na temporada. Preocupante. Mal coletivamente, nenhum destaque individual na equipe tricolor.
*

Ficha técnica
- Jacobina: - Lukita, Kauê (Cassim), Mayko, Vermelhão e Da Silva; Reinaldo, Caio Ulisses (Dias), Vitinho (Savoia) e David; Michael e Teco. Técnico, Orlando da Hora.
- Bahia :- Douglas (Rafael Santos), Nino Paraíba, Tiago, Lucas Fonseca e Leo; Édson, Elton (Vinicius), Allione e Ze Rafael; Edigar Junio e Kayke (junior Brumado). Treinador, Guto Ferreira.
No apito, Jailson Macedo Freitas.
*
- Bahia x Náutico / dia 22, pelo Nordestão, na Fonte Nova. Antes, tem o Vitória da Conquista, pelo Baianão.

**
Leão mandou na Toca
Vitória 3 X 0 Bahia de Feira. O duelo de líderes no Barradão, praticamente vazio (3.800 pagantes). Tarde abafada mas sem chuvas. Uma boa segunda etapa.
*
Bola rolando
O Vitória se impôs desde o início, trocando passes, valorizando a posse de bola e o tricolor de Feira encarou, ficou na espera do erro adversário. Boa movimentação em campo, mas com pouca criatividade.
O time visitante criou algumas oportunidades, não fez. O Vitória só chegou de vera aos 43’, com um chute de Yago que Jair pegou; logo depois, Denilson perdeu um gol, arrematando pra fora.
Na saída pros vestiários, os atletas e treinadores reconheceram que as duas equipes não atuaram bem, renderam muito pouco ofensivamente.
*
O rubro-negro voltou da merenda com mudança: Rhayner em campo. Mais correria. O time do interior voltou marcando bem, mas chegou pouco, foi morrendo em campo. Aos 10’, o árbitro enxergou um pênalti de Gil Baiano em Denílson. E o lance mudou totalmente o panorama.
- Gol ! 1 x 0, Neilton cobrou a penalidade com classe, abrindo o marcador. Aos 16 min.
Com o placar, o Bahia de Feira teve de sair e o Vitória tomou conta. Abriu-se a porteira.
- Gol ! 2 x 0 , Kanu, aos 18 min. O homem surpresa, de cabeça, desviando cobrança de escanteio. Jogada ensaiada, mortal.
- Gol ! 3 x 0, Denílson, que não estava bem no jogo, aos 23’, fez um golaço, de longe, por cobertura, achando o goleirão Jair fora da pequena área.
Daí em diante, só deu Vitória, tocando e administrando a partida com superioridade. Até o final.
*
Ficha Técnica
- Vitória: Fernando Miguel, Lucas Marques, Kanu, Bruno e Bryan; Uillian, Fellipe Soutto (Rhayner), Juninho e Yago; Neilton e Denilson (Jhemerson). Treinador, Mancini.
- Bahia de Feira : Jair, Van, Menezes, Paulo Paraíba e Cazumba; Fausto, Gil Baiano e Bruninho (Carlos); Candinho, Jarbas e Robert. Técnico, Quintino Barbosa.
No apito: Bruno Pereira Vasconcellos.
*
- O Vitória tem o Globo pela frente, pela Copa do Brasil, fora, meio da semana. Depois, pelo Nordestão, sábado, 10 de fev, às 16 h, ABC de Natal x Vitória.
- As novas caras no rubro-negro: o meia alemão Alexander Baumjohann, 31 anos; o atacante Belusso, 29 anos; o lateral esquerdo Pedro Botelho, baiano, 28 anos; e o zagueiro Walisson, 26 anos. Não estrearam ainda.
**
Outras partidas
Baianão, 4ª rodada: Jacuipense 1 x 1 Atlântico; Vitória da Conquista 1 x 2 Juazeirense;
Fluminense de Feira 2 x 1 Jequié.

**
Da coluna de Tostão - “Craque, irreverente e brega”:
“ Neymar é um supercraque. Fora dos gramados, não me desperta curiosidade, admiração nem rancor. Como a maioria das celebridades, ele curte os prazeres, as breguices e as idiotices do estrelato. A fama costuma empobrecer o ser humano”.

**