Deputado quer transformar Sistema “Cacau-Cabruca” em patrimônio Cultural e Imaterial

      



Coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia e engenheiro agrônomo, o deputado estadual Marcelino Galo (PT) quer transformar o Sistema Agrícola Tradicional Cabruca em Patrimônio Cultural e Imaterial da Bahia e do Brasil. É o que sugere a Indicação Nº 46/2018, que o parlamentar apresentou ao Governo do Estado. Galo argumenta que o reconhecimento do Sistema conhecido como “Cacau-Cabruca” em Patrimônio Cultural e Imaterial é merecido porque, em sua opinião, a permanência e conservação da Mata nativa no Sul baiano deve-se quase que exclusivamente ao modelo de cultivo criado para o cacaueiro.

“Conhecido por Cacau-Cabruca, o Sistema Agrícola Tradicional Cabruca é um sistema ecológico de cultivo agroflorestal que se funda na substituição de estratos florestais por uma cultura de interesse econômico, implantada no sub-bosque de forma descontínua e circundada por vegetação natural sem prejudicar as relações mesológicas com os sistemas remanescentes. A floresta tropical situada no Sul da Bahia tornou-se uma referência devido a sua exuberância e magnitude, desde a chegada dos portugueses até a data de hoje”, argumenta Marcelino. “A soma de todos esses valores compõem um ecossistema único, diferenciado e extremamente diversificado, conhecido como ecossistema cacaueiro, sendo ele, sem sombra de dúvida, a maior riqueza que a Região Cacaueira da Bahia foi capaz de gerar para o mundo”, enfatiza o parlamentar, no documento encaminhado ao governador Rui Costa.