Furdunço reúne até mesmo músicos de outros países no Circuito Orlando Tapajós

      



A junção de culturas de toda ordem marcou a apresentação dos artistas e a recepção popular, durante mais uma edição do Furdunço. Com mais de 40 atrações, o segundo dia do pré-Carnaval de Salvador foi realizado no domingo (4), no circuito Orlando Tapajós, que faz o contrafluxo da folia no bairro da Barra, a partir do Clube Espanhol. A folia antecipada teve início no sábado, com o Fuzuê arrastando pessoas de idades e origens distintas ao som de bandas de sopro e percussão, astros da música baiana e minitrios, cumprindo o mesmo trajeto. Se o Carnaval é a África em movimento, onde quer que o cantor e compositor Jau se apresente é, sem dúvida, o ponto de interseção desse bolo cultural. A paixão do povo pelo artista – uma das atrações mais aguardadas do evento – é tão intensa que a cantoria começa antes mesmo dele subir no trio, sendo cercado pela multidão que cantarolava "Sandália de Prata" até a hora em que a porta do veículo foi fechada.

 

“É muito importante e gratificante esse encontro com essa galera linda. Isso só contribui para aumentar o nosso astral e faz com que a música possa fluir de uma forma mais agradável. E começar a festa com essa animação antes mesmo de subir no palco é lindo demais”, disse Jau.

 

Na outra ponta da festa, a cantora Maira Lins e o Boteco Elétrico busca lugar na folia com um repertório que remete aos antigos carnavais. É muito samba tradicional, chorinho, samba de roda e frevo para não deixar ninguém parado. “Nossa proposta é trazer esse samba clássico para essa galera linda. Essa alegria é a marca registrada da Bahia, e nada melhor que o Furdunço para fazer toda essa festa transbordar”, sentenciou.

 

“É um desfile que atrai muita gente e garante um público animado, que traz um aprendizado para todos nós. A Prefeitura busca a cada ano trazer novos produtos para a população e, ver as pessoas chegando e se concentrando ao lado da atração preferida, mostra que é um sucesso este pré-Carnaval”, assegura Cláudio Tinoco, secretário Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

 

Tambores do Mundo – Aquecendo o couro dos tamborins, o percussionista e compositor Wilson Café trouxe um pouco da música mundial para a maior festa popular de rua do planeta. Com cerca de cinquenta percussionistas de pelo menos seis países, o artista comandou o projeto Tambores do Mundo durante o Furdunço. Dentre as nações representadas no desfile, constam músicos da Espanha, França, Alemanha, Itália, Grécia e Tunísia.

 

“Desde o ano passado que acontece esse intercâmbio com gente das Américas, Europa e Ásia, por meio de um workshop chamado ‘Tambores em Cena’, que culmina no Carnaval de Salvador. Esse pessoal chega e se encanta imediatamente pela cultura e pela arte daqui. Essa variedade de sons dos blocos afro faz com que todos queiram retornar no ano seguinte e se juntar às pessoas e aos ritmos de nossa terra, nessa convergência artística”, falou Café.

 

Integrante do cortejo, a percussionista Sophie Clamoux, natural de Montpellier, no sul da França, mostrou que, além de ser boa de batuque, fala um português ainda mais claro. “Ä Bahia é uma festa sempre. É a minha sexta participação no Carnaval e eu sinto sempre essa energia positiva, deve ser todo esse axé de vocês”.

 

Atrações de peso – Pela primeira vez cantando na folia soteropolitana, a atriz e cantora global Stela Miranda participou, ao lado do também ator Luiz Salém, da apresentação de Café. Emocionada por estar em um trio elétrico, a atriz confessou que sempre quis cantar no Carnaval de Salvador.

 

“É algo muito gratificante e me dá extrema felicidade poder participar deste Carnaval da Bahia, em especial do Furdunço, que mostra o que de melhor nossa cultura produz. É um verdadeiro Carnaval de raiz”, celebra a atriz.

 

Festa pacífica, com ares de festival andante, o Furdunço reuniu famílias inteiras, idosos, grupos de cadeirantes, crianças e uma gama de personagens inusitados. Tinha super-herói acima do peso, cangaceiros motorizados, animais selvagens sem jaula nem coleira e a infinidade de fantasias dignas dos bailes mais sofisticados Brasil afora.

 

Com mais de 40 atrações tocando literalmente de tudo para fazer o folião dançar, o Furdunço entra pelo terceiro ano com molejo e distração trazidas por artistas como Quabales, Alavontê, Armandinho e os Irmãos Macedo, Bailinho de Quinta, Batifun, Duas Medidas e BaianaSystem. Quem perdeu esta edição, ainda tem mais uma chance: a atração retorna na quinta-feira (8), dia da abertura oficial do Carnaval, no Circuito Dodô (Barra/Ondina), desta vez com mais 24 atrações.