Codesal inicia Operação Chuva 2018 neste domingo

      



Em cumprimento ao decreto assinado pelo prefeito ACM Neto, no último dia 13 de março, a Defesa Civil de Salvador inicia, à partir de abril, a Operação Chuva 2018, entrado em estado de alerta com o objetivo de responder às demandas que possam ocorrer ao longo do período tradicionalmente chuvoso em Salvador até o final de junho. Como órgão articulador, a Codesal atua sistematicamente na prevenção de risco indistintamente em todas as comunidades da capital baiana, localizadas em áreas passíveis de desastres naturais.
A Operação Chuva 2018 reforça uma série de medidas preventivas e emergenciais que ocorrem de forma rotineira na cidade, estando dividida em duas etapas: uma preparatória, que envolve justamente a intensificação das ações de prevenção, e outra de alerta, com intervenções de monitoramento e respostas a situações de risco e desastres.
Sob a coordenação e execução da Codesal, órgão vinculado à Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (Secis), a operação conta com a participação das secretarias de Manutenção (Seman), do Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), da Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Samu, além da Guarda Civil Municipal (GCM), Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb), Companhia de Desenvolvimento Urbano (Desal), Prefeituras-Bairro, Corpo de Bombeiros, Embasa e Coelba, órgãos integrantes do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC). No âmbito da Prefeitura, cerca de 650 pessoas participarão da operação.
Durante a Operação Chuva do ano passado, foram realizadas 4.192 vistorias, distribuídos 127.388 m² de lona e cadastradas 1.591 famílias e beneficiadas 956 outras famílias. Em caso de emergência o telefone 199 deve ser acionado.
“A Codesal e órgãos parceiros, integrantes do SMPDC, estão mobilizados e unidos de modo a atender aos apelos do cidadão e prover medidas de proteção da cidade. Estamos com equipes de plantão 24 horas procedendo vistorias e ações preventivas voltadas à preservação de vidas”, enfatiza o diretor geral da Codesal, Sosthenes Macêdo.
Ação contínua
Para melhor atender a população, a Prefeitura de Salvador, em conjunto com a Codesal, trabalha continuamente para adotar ações que mitiguem os efeitos da chuva. Estão sendo investidos cerca de R$ 60 milhões em projetos de prevenção, a exemplo de obras de micro e macrodrenagem, recuperação de escadarias, tapa-buracos, limpeza de canais e poda de árvores.
Ao longo da etapa preparatória foram intensificadas a implantação de geomantas (88 até agora), limpeza e relonamento de encostas, manutenção de redes de micro e macrodrenagem, plantio e georreferenciamento de muda e encostas, monitoramento de seis áreas de risco da cidade com sistemas de alerta e alarme e sensibilização da população, por meio da formação dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdecs).
As comunidades também foram mobilizadas a partir da capacitação de voluntários para o Projeto Mobiliza Defesa Civil, aplicado nas dez Prefeituras-Bairro. As capacitações são feitas em parceria com diversos órgãos, como a Ouvidoria, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Educação e Secis. Ao todo, a Codesal conta com mais de mil voluntários cadastrados, integrantes dos Nupdecs, do Projeto Mobiliza Defesa Civil e inscritos por iniciativa própria no órgão.
“Em acréscimo às medidas protetivas desenvolvidas pela Prefeitura de Salvador, o enfrentamento do período chuvoso também depende da população que deve evitar descartar lixo irregularmente e construir em encostas”, destaca do diretor geral da Codesal.
Fala Salvador
Uma outra inovação introduzida é o lançamento do aplicativo Fala Salvador Defesa Civil, por onde voluntários capacitados pela Codesal poderão solicitar serviços, como uma vistoria do órgão, além de registrar denúncias, sugestões, elogios ou reclamações. Além disso, durante a etapa de alerta, serviços como monitoramento, vistorias técnicas e produção e gerenciamento de mensagens de textos para celulares com informe de ameaças de desastres em áreas de risco serão intensificados.
Modernização
Em 2016, a administração do prefeito ACM Neto investiu na modernização da Codesal, que passou a contar com um avançado centro de monitoramento, o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), que funciona em regime de plantão. A unidade procede ao acompanhamento das condições do tempo e clima com a utilização de equipamentos de ponta, como satélite e equipe qualificada. Os equipamentos detectam espécies de aglomerados de nuvens de chuva que se aproximam, bem como o potencial de precipitação. A partir da análise desses fenômenos, o Cemadec emite alertas de situações que possam oferecer riscos à população.
A Defesa Civil também realiza simulados de evacuação nas comunidades localizadas em áreas de risco. Durante esses simulados, voluntários têm como missão ajudar na evacuação de moradores em casos de risco de deslizamento de terra ou alagamento. Caso chova 150mm, as sirenes implantadas nessas comunidades são disparadas de dentro do Cemadec, na sede da Codesal, para que ocorra a evacuação.
Geomantas
Entre as ações preventivas está a aplicação de geomantas nas áreas de maior risco. Com investimento total de R$ 6 milhões, a técnica já foi aplicada em 88 áreas, todas consideradas regiões de alto e médio risco. Para 2018, a previsão é de que sejam aplicados mais 20 mil m² do material.
Inovadora no país e adotada pela Prefeitura desde 2016, a técnica de proteção de encosta é formada por um composto de PVC e geotêxtil, com cobertura de argamassa jateada. A geomanta impermeabiliza o talude e erosões superficiais, absorção de água da chuva e possível risco de deslizamento do terreno. A duração do material é de 5 anos, em média – bem superior à da lona comum, que é de três meses.
Pluviômetros
A Defesa Civil conta ainda com 38 pluviômetros e sistemas de alerta e alarme como oito sirenes instaladas em seis áreas de risco: Marotinho (Bom Juá), Baixa de Santa Rita, Baixa do Fiscal (Pedro Ferrão), Alto da Terezinha, Calabetão e Vila Picasso (Boa Vista de São Caetano). A equipe técnica já procedeu a vistoria em todos os locais onde estão localizadas as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme Sonoro, onde se procedeu, quando necessária, a manutenção preventiva.
Encostas
Em 2017, a Superintendência de Obras Públicas (Sucop) realizou a contenção de encostas nos bairros Arraial do Retiro, Cosme de Farias, Federação, Vale das Pedrinhas, Novo Horizonte e Barro Branco (1ª etapa). Este ano, estão sendo feitas as contenções do bairro Sete de Abril, na Rua da França e no Barro Branco (2ª etapa). Ano passado, foram investidos aproximadamente R$ 15,6 milhões nessas obras. Em 2018, estão sendo investidos R$ 5,3 milhões nas duas encostas em execução.