BAHIA É CAMPEÃO DE 2018

      



Foto: Romildo de Jesus
Com muita raça e entrega em campo, o Bahia não apenas fez valer a vantagem do empate que tinha, mas bateu o Vitória por 1 a 0 no Barradão e conquistou seu 47º título de Campeão Baiano. O gol do triunfo foi o volante Élton, aos 2 minutos do 2º tempo.

O time agora se prepara para sua estreia no Brasileirão, domingo que vem, contra o Internacional, em Porto Alegre, mas antes faz sua estreia na Copa Sul-Americana, quarta-feira, contra o Blooming, na Bolívia.

O Bahia do técnico Guto Ferreira atuou com Douglas; Nino, Tiago, Lucas Fonseca (Douglas Grolli) e Léo; Elton, Gregore, Vinícius (Régis), Marco Antônio (Allione) e Zé Rafael; Edigar Junio.

No jogo, o primeiro tempo começou com o Vitória marcando sob pressão e o Bahia esperando oportunidades no contra-ataque. A aposta Tricolor quase custou caro, mas o goleiro Douglas estava em uma tarde inspirada e com três grandes defesas salvou o Esquadrão aos 10, aos 11 e aos 12 minutos.

Após os 15, o adversário manteve maior posse de bola, mas já não conseguiu mais assustar no ataque, ao passo que o Bahia ficou muitos vezes por uma passe final para ficar na cara do gol. A melhor chance apareceu apenas aos 45, quando Zé Rafael recebeu de Marco Antônio na entrada da área e chutou forte no cantinho, obrigando Fernando Miguel a uma grande defesa.

A etapa final começou com o Bahia já superior, com domínio da posse e mais inteiro fisicamente. Situação que ficou ainda mais evidente e tranquila com o gol de Élton logo aos 2 minutos. No lance, Marco Antônio e Zé Rafael repetiram a tabelinha da jogada do fim do 1º tempo, mas dessa vez o chute de perna esquerda do meia foi rebatido para frente por Fernando Miguel, e Élton chegou tocando de cabeça para o gol vazio.

À frente no placar, o Tricolor passou a jogar com mais cadência e sem correr muitos riscos. O Vitória jogava na base dos lançamentos longos e ‘chuveirinho’ na área. Douglas, em dia inspiradíssimo, acertou todas as saídas de bola e ainda fez uma grande defesa em um chute de Jonatas Belusso, aos 26.

Depois disso, nenhum outro grande lance. O Bahia só tocou a bola quando tinha a posse e aguardou o apito final e Rafael Claus para comemorar seu 47º título estadual.
*Do EC Bahia