Imprensa de Alagoinhas dá o primeiro passo para consolidação de associação da classe

      



Reunidos anteontem no auditório do Hotel Kasagrande, profissionais dos mais diferentes veículos de comunicação de Alagoinhas e região deram o primeiro passo para a consolidação da tão almejada associação representativa da classe.

Jornalistas, radialistas, publicitários e profissionais de sites acompanharam e opinaram sobre a constituição do primeiro estatuto do que será a Associação dos Profissionais de Comunicação de Alagoinhas e Região Agreste e Litoral Norte da Bahia.

A ideia é congregar profissionais da comunicação de pelo menos 30 municípios, a maioria desassistida pelos sindicatos que representam constitucionalmente o segmento.

O próximo passo será a eleição da primeira diretoria, constituição do regimento e nomeação dos delegados e sub-delegados de cada município da região em que atuará.

A proposta de criar a entidade é dar representatividade, voz e oportunidade de celebrar convênios com instituições públicas e privadas na realização de atividades como seminários, cursos e treinamentos, atualizando os profissionais sobre as novas ferramentas utilizadas.

Acompanhando a reunião e desde já convidado para compor a diretoria, o advogado Paulo Ott será o responsável pela revisão do estatuto da classe, que será analisado na próxima reunião.

Belmiro Deusdete, Vanderley Soares, Márcio Ramos, Reinaldo Silva, Jair Lisboa, Davidillan Ribeiro, Hanna Larissa e Maria Eduarda Neres participaram da primeira reunião.

A próxima reunião será agendada para os próximos 15 dias, data em que pretendem selar a criação da entidade, com sede provisória e apresentação dos projetos que serão desenvolvidos.

“Não temos a presença de nossos sindicatos de classe aqui, daí a necessidade de criarmos a nossa entidade e buscar parcerias para a realização das atividades da classe”, disse Belmiro Deusdete.

Vanderley Soares, que na década de 1990 apresentou ao Sinterp um projeto de criação da Casa do Radialista, disse que agora terá a oportunidade de realizar seu sonho, quase 30 anos depois. “Além disso tem o museu do rádio, o estúdio para treinamento, uma redação e instrumentos de desenvolvimento dos profissionais”, disse ele.

Em Alagoinhas a ideia é que seja criada a Casa da Mídia, uma forma de compor os profissionais da comunicação de uma forma mais ampla. Depois de constituída, a entidade vai solicitar à Câmara Municipal e à Assembleia Legislativa o reconhecimento como de Utilidade Pública, o que vai facilitar na celebração de convênios com os entes federados.