6º CASO DO FREUD DE CÂNDIDO SALES: O HOMOSSEXUAL?

      



Por Henrique Ribeiro
O cliente é um velho amigo do analista que sempre desfilou no bloco

dos Filhos de Gandy. Chegou no consultório e fez questão de pagar a
consulta e justificou:

- Negócios são negócios, amigos á parte.

A secretária agradeceu e ofereceu a água na caneca em formato de seio
de mulher. O mesmo aceitou sorrindo do formato da caneca. Depois
entrou na sala, foi saudado com um forte abraço e uma declaração de
amizade.

- Há quanto tempo, maxo-veio? Que saudade do amigo? O que tu tá
fazendo aqui? Aceita um chá de tapete de oxalá?

- Não, esse teu chá amarga que só uma porra…

Tou com um problema que só você pode resolver.

- Eu não sabia que porra amargava, mas qual é o problema, maior
pegador da Bahia?

- Homi, de uns tempo pra cá dei para ficar com uns hábitos, estranhos,
tou gostando de camisa florida, calça apertada, uso brilho nos lábios
igual William Borner e de andar sempre acompanhado de rapazes, será
que tou ficando homossexual?

- Não existe gay que seja meu colega e que desfila nos Filhos de
Gandy, esta hipótese tá descartada, deixe de frescura, se você tá
indeciso...é melhor você trocar de bloco, sair nas Muquiranas e depois
decidir se vai virar a lata ou não, mas não esqueça que vai perder
suas mulheres, inclusive Creuza. Como vai encarar essa sua prima
gostosa que agora é dona do bordel cheia de quengas na Ladeira da
Montanha? Pense bem maxo-veio...o prejuízo é muito grande…é enorme e
irrecuperável.