Mulheres deixam a enxada e agora produzem e comercializam alimentos

      



Mulheres que vivem na zona rural de Feira de Santana estão trocando o trabalho pesado com a enxada pela produção de alimentos na cozinha industrial. A mudança, bem avaliada por elas, é proporcionada pelo projeto de economia popular solidária Feira Produtiva, desenvolvido pelo Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso).


É o que acontece com algumas agricultoras do povoado do Caroá, no distrito Governador João Durval. Elas estão trocando as incertezas da produção agrícola, debaixo do sol escaldante e constantes perdas de safras, pela fabricação de sequilhos, biscoitos e doces.


A iniciativa já conta com a parceria de sete mulheres, capacitadas pelo Feira Produtiva para a produção industrial dos alimentos com todas as técnicas que garantem a higiene e qualidade dos alimentos, formação de preço justo e comercialização.


E o sucesso é tanto que as produtoras cooperadas estão esticando os horários de trabalho para atender à demanda de solicitações de produção. Fornecem os alimentos para alimentação de alunos nas escolas da rede municipal, abastecem mercados e também comercializam seus produtos na Loja Solidária, na praça do Tropeiro.