Moradores do Centro reclamam de poluição sonora da Academia Seven

      



A "academia Seven", na avenida 7, região das Mercês, decidiu que as pessoas da área precisam ter uma vida mais ativa. Até aí, tudo bem. O incentivo é que é bem estranho. A academia tem acordado toda a vizinhança às 7h, com som nas alturas. O despertador não tem agradado aos vizinhos, que reclamam do barulho e já fizeram reclamação na prefeitura. Durma com um barulho desses.
A reportagem do Notícia Capital entrou em contato com a academia para obter uma posição, mas foi informada de que a empresa não iria se pronunciar sobre a denúncia.
Os moradores da região não estão sozinhos na luta contra o despertador alheio (disfarçado, nesse caso, de aula de "swing"). De acordo com o jornal A Tarde, Salvador é a "capital brasileira do barulho". Entre os meses de dezembro do ano passado e fevereiro de 2018, a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) realizou 66 operações de combate à poluição sonora.
A maior parte das queixas são de veículos automotivos, cerca de 34% das denúncias, seguido de residências, bares, restaurantes e casas de evento.
Depois do julgamento, é aplicada a multa, que varia de acordo com os decibéis excedentes e fica entre R$ 813 e R$ 135 mil, e após esse processo é feita solicitação de retirada.
De acordo com a Lei 5.354/98, o volume permitido entre 7h e 22h é de 70 decibéis, e de 60 decibéis das 22h às 7h. A fiscalização acontece mediante denúncia pelo Fala Salvador, no telefone 156.