Dívida de R$ 20 milhões com o Ecad ameaça festas de São João na Bahia

      



Correio
Uma dívida de aproximadamente R$ 20 milhões com o Ecad ameaça deixar parte das festas juninas na Bahia sem som este ano. O montante se refere a débitos em direitos autorais contraídos por eventos de São João no estado, cobrados judicialmente pela entidade responsável por arrecadar, para compositores, os valores sobre a execução de músicas.

Entre os grandes devedores na lista do Ecad, estão três tradicionais forrós privados do interior baiano, proibidos pela Justiça de executar músicas este ano: Brega Light e Ticomia, ambos realizados em Ibicuí, e o São João do Allambicki, o mais badalado de Barreiras. Os dois primeiros devem desde 2012, respectivamente, R$ 1,5 milhão e R$ 700 mil apenas com festas no período junino. Dos R$ 690 mil devidos ao Ecad pela produtora do Allanbicki há 13 anos, R$ 80 mil tem origem no São João.