‘Lula deveria ter voltado em 2014’, diz governador, ao criticar ‘perseguição brutal’

      



O governador Rui Costa (PT) afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deveria ter sido candidato ao Palácio do Planalto, quando Dilma Rousseff (PT) se reelegeu. De acordo com o chefe do Executivo baiano, o aliado sofre uma “perseguição política, ideológica e partidária”. “Lula deveria ter voltado em 2014. Dilma é digna de todos os elogios do ponto de vista da ética e dignidade. Mas não é fácil ser presidente se não sabe lidar com o coletivo. Se nunca foi prefeito, governador, presidente de sindicato, nunca lidou com o ambiente que precisa gerir. Infelizmente, houve um grande acordo da oposição e membros do Judiciário para retirar Dilma do poder. E ela não conseguiu se desvencilhar das armadinhas. Naquele momento, Lula dizia que era um direito dela: ‘Só vou se ela abrir mão’. Ela não abriu”, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole.

Ao comentar a batalha jurídica no final de semana sobre a soltura de Lula, o governador disse que o ex-presidente não tem sido tratado com “imparcialidade”.

“Eu, na história democrática do Brasil, não lembro de ter visto nada. Infelizmente, o líder de todas as pesquisas sofre uma perseguição brutal que ficou clara nesse domingo. Eu gostei de um card que vi nas redes sociais sobre ‘o Brasil que eu quero é o Brasil que meu processo seja julgado no domingo com juiz de férias’. É uma vergonha, tristeza, que o ex-presidente sofre uma implacável perseguição política, ideológica e partidária, por quem deveria ser isento. Essas pessoas mostram que não têm nenhuma imparcialidade”, pontuou.