No duelo dos Leões nordestinos venceu o baiano, na sua toca

      



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus
Não foi um grande jogo, bastante sofrível tecnicamente, mas valeu pelo triunfo do Leão da Barra, o Vitória, sobre o Leão da Ilha, o Sport do Recife, no clássico rubro-negro nordestino, com o magro placar de 1 x 0. O duelo, ontem, 26, foi no Barradão, com público bem abaixo do normal; até compreensível porque o torcedor ainda estava meio ressabiado com a goleada sofrida pelo rubro-negro domingo(4 x 1) contra o rival Bahia, na Fonte Nova.

A torcida do Sport com sua ‘moquequinha’ presente. A equipe pernambucana ainda não conseguiu pontuar depois da retomada do Brasileirão pós-Copa do Mundo.

Com os resultados da rodada, até agora, o Vitória subiu um pouco na tabela de classificação, afastando-se mais da zona maldita. Está com 18 pontos, em 13º lugar. O Sport tem 19. O Bahia, que não jogou nessa rodada, tem portanto um jogo a menos, está com 16 pontos, na porta da zona.

*

Outros resultados

Fechando a 15ª rodada na noite de quinta:

Grêmio 2 x 1 São Paulo; Botafogo 1 x 0 Chapecoense; América (MG) 2 x 1 Internacional.

*

Bola rolando no Barradão

A partida começou muito equilibrada, a bola disputada mais no meio campo, poucas iniciativas ofensiva de parte a parte. Tanto que o primeiro lance de perigo só rolou aos 14 minutos, após cobrança de escanteio pelo lado direito do ataque pernambucano; o goleiro Ronaldo saiu mal, a bola sobrou para Gabriel (aquele mesmo que jogou pelo Bahia) que bateu rasteiro, na rede por fora, um susto. O Vitória respondeu aos 17’, com um chute desviado a escanteio.

Aos 23’, Michel Bastos despejou uma bomba, pegando sobra na entrada da grande área baiana, e a bola passou queimando o poste, o goleirão do Vitória só espiando. Aos 25’, o avante Rogério sentiu estirão na coxa e foi substituído por Hygor, no Leão da Ilha. Aos 28’, Felipe lançou em profundidade para Michel Bastos que encarou o goleiro Ronaldo, tentou o canto e errou o alvo, por pouco. Aos 33 min, saiu Luan, lesionado, entrou Érick.

O Sport teve mais volume de jogo, trocou mais passes e esteve mais próximo do gol na primeira etapa.

*

Os Leões da Barra voltaram da merenda com mais apetite, postados mais no campo adversário, marcando na frente, fustigando.

- Gol ! 1 x 0 Vitória, Érick, aos 15 min. William Farias puxou o contragolpe em velocidade e serviu Erick na esquerda; ele quebrou para o meio e meteu a direita na bola, acertando chute rasteiro no canto, indefensável.

Aos 30’, o lateral Sander aproveitou-se de uma saída de bola equivocada da defesa baiana, rompeu pela esquerda e bateu forte, cruzado, para defesa salvadora de Ronaldo. Na sequência, saiu Yago, exausto, e entrou o meia argentino Meli, no Vitória, que recuou, fechando-se como de hábito, optando pelos contragolpes.

Aos 39’, defesa milagrosa de Ronaldo, evitando o empate do Sport nos pés de Hygor. E o Leão baiano foi ganhando tempo e administrando o placar na manha até o final.

Valeu pelos três pontos, essenciais. E pela recuperação do moral da equipe depois da derrota para o rival Tricolor.

Destaques

Duas ótimas intervenções do jovem goleiro Ronaldo. O estreante zagueiro Ruan mostrou segurança; muito confiante e fogoso o lateral Mateus, garoto da casa; William Farias recuperando ritmo; Neilton sem brilho e Érick entrou no segundo tempo e acertou bem o chute do gol. Só, pelo Vitória, que jogou a conta do chá para vencer.

No Sport, gostamos mais dos Bastos meio-campistas, o Felipe e o Michel. A equipe caiu muito de produção em comparação àquela do começo da competição.

 

*

Ficha técnica:

Vitória - Ronaldo, Ramon, Aderllan, Ruan e Mateus; William Farias, Arouca, Yago e Luan (Erick); Neilton e André Lima (Bou). Treinador, Batatais (Mancini suspenso)

Sport Recife – Magrão, Raul Prata, Ronaldo, Ortiz e Sander; Felipe Bastos, Deivid, Michel Bastos e Gabriel; Rafael Marques (Marlone) e Rogério (Hygor). Treinador, Claudinei Oliveira.

No apito, o paulistano Vinícius Gonçalves.

*

O Vitória viaja para o Paraná e enfrenta o Atlético Paranaense domingo, 16h, em Curitiba, pela 16ª rodada do Brasileirão.

**

Felipão de volta

Com a derrota para o Fluminense (1 x 0) nessa rodada, a diretoria do Palmeiras demitiu o treinador Roger e, menos de 24 horas depois, anunciou a contratação de Luis Felipe Scolari, o velho Felipão, como o novo técnico da equipe. O ex-campeão do mundo em 2002, que fracassou feio em 2014 à frente da seleção, aquele dos 7 x 1, está de volta ao futebol brasileiro. E de volta a sua velha casa, o verdão paulista.

 

**