BAHIA VENCE O CERRO E SEGUE NA SULAMERICANA

      



Por Zedejesusbarreto
Com um atleta expulso (Nilton) aos 13 minutos da segunda etapa, enfrentando as dificuldades de um gramado horrível, mais chuva, vento e frio uruguaio, o Bahia conseguiu, ontem, um empate contra o Cerro, em Montevidéu, e está classificado para a fase de oitavas de final da Copa Sulamericana. Era o objetivo.

*

Atlético Cerro do Uruguai 1 x 1 Bahia, muito frio em Montevideu, clima morno nas arquibancadas do estádio Luiz Trócolli, um campo de relvado ruim: alto, fofo, pesado e desnivelado. O Bahia tinha vencido a primeira, 2 x 0, em Pituaçu; era, portanto, o jogo de classificação.

*

Classificado, nas oitavas o Bahia pega o vencedor do duelo Botafogo (RJ) x Nacional do Paraguai. Os paraguaios venceram a primeira, em casa, por 2 x 1. O segundo e definitivo confronto será dia 16, no Rio.

*

Bola rolando

Como seria óbvio, a partida começou com o Cerro, precisando de gols, fazendo pressão total, ganhando as divididas e se impondo no corpo a corpo. O Tricolor apostando no contragolpe. Aos 12’, Edigar Junior arrancou, levou a zaga, mas chutou nas mãos do goleiro, na primeira investida do time baiano.

- Gol ! 1x 0 Bahia. Zé Rafael chutou forte, de longe, a bola desviou no caminho, quicou num tufo de grama e matou o goleirão. Aos 24minutos.

Os uruguaios não imaginavam levar gol em casa. Nervosos, começaram a bater, catimbando, intimidando, buscando melar o jogo, envolvendo a arbitragem. Eles chegaram perigosamente em bola alçada, um arremate de frente, mas Anderson resolveu. Minutos depois, o goleiro tricolor espalmou uma falta cobrada com perigo.

O Cerro em cima, na raça, fazendo pressão, jogando bolas altas na pequena área brasileira. E o Tricolor tentando tirar proveito do jogo truncado pelas faltas seguidas, ganhando tempo, administrando.

Boa vantagem na primeira etapa. No placar agregado, 3 x 0 Bahia, e com um gol feito na casa do adversário. De ruim, três cartões amarelos: para Ze Rafael, Ânderson e Nilton.

*

Além do frio, chuva e vento na volta dos vestiários. Jogo truncado, pegado e feio. Chutões, bolas altas, trombadas e raras trocas de passes. Aos 13’, noutra falta, comum, Nilton recebeu outro cartão amarelo e foi expulso. O Bahia com um atleta a menos em campo. Ênderson trocou o meia Régis pelo apoiador Elton, que não entrou ligado.

- Gol ! 1 x 1 Cerro, aos 17 min. Paiva, em boa jogada individual.

O Bahia já sem pernas e com um atleta a menos, recuou. Haja chutão. Aos 26’, por muito pouco o Cerro não fez. Aos 28’, com Anderson já vencido, Tiago salvou o desempate em cima da linha. Pressão total dos uruguaios em busca de gols. O Tricolor fechado, suportando.

Com as chuvas, o gramado que já é ruim ficou quase impraticável, impossível a troca de bolas no chão. O tempo passando. Aos 47’, Anderson fez uma elástica defesa em chute de Paiva, evitando o gol de desempate dos uruguaios.

Destaque individual para o goleiro Anderson. Nilton fazia um bom jogo mas terminou expulso pela sequência de faltas no meio campo. Coletivamente, a equipe administrou a boa vantagem com inteligência, sem entrar na pilha do adversário.

*

Ficha técnica:

Bahia - Ânderson, Éverson, Tiago, Grolli e Leo; Nilton, Gregore, Régis (Élton) e Zé Rafael; Élber (Flávio) e Edigar Junio (Brumado). Treinador, Ênderson Moreira.

Cerro - Irrazabal, Nuñez, Torrez, Izquierdo e Zazpe; Tamareo, Hernandez, Klein e Paiva; Lopez e Ciganda. Treinador, Fernando Correa.

Arbitragem venezuelana; no apito, José Ramon Argote.

**

Sequência

Próximo jogo do Tricolor é contra o América (MG), pelo Brasileirão, na Fonte Nova, sábado.

No dia 16, meado da próxima semana, às 19h15, o Bahia encara o Palmeiras, no Pacaembu, no jogo de volta pela Copa do Brasil.

*

O Vitória atua domingo, 19 h, em Porto Alegre, contra o Grêmio, pelo Brasileirão. Ainda com treinador interino.

**

Bichados ?

A diretoria do Bahia anunciou a contratação por empréstimo do avante Clayton, de 22 anos, atleta do Atlético Mineiro. Apareceu como uma grande revelação no Galo Mineiro mas sofreu uma lesão no joelho, fez cirurgia e não mais retomou o ritmo; precisa de jogo para se mostrar recuperado. O Tricolor apostou e fica com ele até o final do ano. Tomara que não esteja bichado.

*

Por falar em bichado, o meia argentino Allione, vinculado ao Palmeiras e emprestado ao Bahia, desde a temporada passada, está retornando ao Fazendão de Itinga, depois da malograda manobra dos empresários em negociá-lo para o Racing de Avellaneda/Argentina. Não teria sido aprovado nos exames médicos, por conta de uma artrose num joelho. O departamento médico do time baiano nega. O fato é que este ano Allione não rendeu o que se esperava dele, sempre mal fisicamente em campo.

*

Quem fechou de verdade com o Racing foi o lateral esquerdo Mena, chileno. Já se picou. Para o lugar dele o Bahia trouxe Paulinho, mais jovem, do interior paulista. Já estreou contra o Fluminense (RJ) no empate de 1 x 1, no Maracanã, sem tremedeira.

**