MPF acha que Lula transformou sede da PF em comitê eleitoral

      



O Ministério Público Federal apresentou à Justiça uma série de questionamentos sobre as visitas de políticos e o comportamento de Lula (PT) , preso na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde 7 de abril. A defesa do ex-presidente não quis se manifestar. No documento, protocolado na noite de terça-feira (14), os procuradores afirmam que políticos ligados ao Partido dos Trabalhadores, cadastrados como advogados no processo, têm livre acesso ao ex-presidente em uma tentativa de "ludibriar as regras" e interferir no processo eleitoral. Para os procuradores Lula tem transformado a sede da PF num verdadeiro comitê político.

Em nota, o PT afirma que o MPF cria caso com Lula e que a procuradora-geral Raquel Dodge atua fora da lei para manter o ex-presidente preso.

Para os procuradores, as condutas praticadas pessoalmente pelo petista ou por meio dos advogados dele não estão de acordo com os limites impostos Lei de Execução Penal.