Num cochilo, deu Palmeiras

      



Por Zedejesusbarreto
A despeito de ter feito um bom jogo, sobretudo no primeiro tempo, o Bahia não conseguiu passar pelo Palmeiras, no Pacaembu, e está fora da Copa do Brasil. Encarou, teve chances de vencer mas não deu; levou 1 x 0 num detalhe, num lance isolado, uma falha de marcação do lateral Nino Paraíba que permitiu a cabeçada na pequena área do baixinho Dudu, quase aos 30 minutos do tempo final. Frio e chuva na noite de inverno paulistano ...

*

Com o resultado, ficaram assim definidos os jogos das semifinais da Copa do Brasil, que começam dia 12 de setembro:

- Flamengo x Corínthians; Cruzeiro x Palmeiras.

*

Bola rolando

Gramado molhado e escorregadio, a partida começou equilibrada e nervosa, muito corpo a corpo na disputa do meio campo, marcação dura. Primeiras bolas alçadas, lá e cá, levando perigo. Precauções.

A primeira grande chance foi do Bahia, aos 13 minutos: Leo tabelou com Zé Rafael e cruzou rasteiro, da esquerda, Edigar Junio chegou na bola primeiro e tocou, a pelota bateu no pé do poste, Gilberto ainda tentou finalização mas ela não entrou porque bateu nas costas de Edigar, caído quase em cima da linha fatal.

Aos 25’, após cobrança de lateral de Leo, Gilberto raspou de cabeça Zé Rafael tentou de chicotada, errou. Na sequência, uma saída de bola equivocada de Lucas Fonseca e William entrou livre, de cara, mas Ânderson apareceu bem e salvou. Dinâmico e equilibrado.

Aos 35’, a defensiva baiana cochilou, os paulistas cobraram uma falta rápida e Moisés entrou de cara mas Ânderson cresceu na frente dele e salvou mais uma vez. Aos 38’, o Tricolor entrou tabelando pelo meio, mas o chute de Vinícius foi em cima de Weverton. Na sequência, Borja, mesmo acossado por Lucas Fonseca na área, achou espaço e bateu seco, por baixo, acertando o pé do poste de Ânderson. O Palmeiras tentou uma pressão nos minutos finais, em bolas alçadas.

Primeiro tempo duríssimo e igual. Muito boa partida do Bahia, até com mais volume de jogo que o Verdão. Chances de gol iguais para os dois, muita dinâmica, velocidade.

*

Nos vestiários, Ênderson trocou Bruno (com cartão amarelo) por Nino Paraíba, na lateral direita. O Palmeiras voltou dos vestiários aceso, na pressão, a torcida inflamando.

Logo no primeiro minuto, chutão da defesa paulista, a bola quicou e enganou Tiago, Borja entrou de cara, Anderson saiu bem, Tiago evitou o gol, recuperando-se. Aos 6’,William pegou um rebote na entrada da área, após cobrança de escanteio, mas errou o alvo. O Tricolor respondeu com uma trama em tabela pelo meio, mas o goleirão Wéverson salvou nos pés de Élton.

A partida continuou acirrada, mas caiu muito, tecnicamente, na segunda etapa. Muito chutão. E um Palmeiras mais em cima, atacando mais. O Bahia sem encaixar bem o contragolpe, criando pouco. Nada aconteceu até os 25 minutos. Os paulistas mostravam-se fisicamente mais inteiros.

- Gol ! 1 x 0 Palmeiras. Dudu, testando cruzamento da direita, da linha de fundo, de Maykon, o avante baixinho superando Nino Paraíba na pequena área. Aos 29 minutos.

Ênderson Moreira tirou Edigar Junio, já sem pernas, e colocou Régis. Aos 37’, Felipão retirou o centroavante Borja e reforçou a marcação com o apoiador Tiago Santos, trancando-se. No Bahia, saiu o meia Vinícius e entrou o avante Elber. No final, Hyoran no lugar de William; Felipão na experiência quebrando o ritmo, garantindo a vantagem.

O Tricolor lançou-se ao ataque, mas os palmeirenses começaram a mastigar o jogo, ganhar tempo, truncando. Aos 44’, Zé Rafael bateu falta da entrada da área, por cima. Pressão baiana, mas nada aconteceu.

Foi uma partida parelha, o Palmeiras definiu numa falha individual de marcação do adversário. Assim é o futebol. Aos tricolores resta o consolo de ter feito uma boa partida, sobretudo nos 45 minutos iniciais.

*

Destaques

O goleiro Ânderson, a zaga segura, Leo dinâmico na esquerda, a luta de Gregore e Élton, o bom primeiro tempo de Vinícius e Elton.

O Palmeiras é uma equipe encorpada, marca duro, difícil de ser batida, sobretudo em casa. Dudu, Felipe Melo e Moisés foram os melhores.

*

Ficha Técnica

Palmeiras – Wéverton, Mayke, Antonio Carlos, Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; William, Borja e Dudu. Treinador, Felipão.

Bahia – Ânderson, Bruno,Tiago, Lucas Fonseca e Leo; Gregore, Élton e Vinícius; Zé Rafael, Gilberto e Edigar Junio. Treinador, Ênderson Moreira.

No apito, Marcelo de Lima Henrique (RJ), sem problemas, sabe conduzir.

*

No domingo, pelo Brasileirão, o Bahia enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão.

 

**