BAHIA VOLTOU A PERDER FORA DE CASA

      



Por Zedejesusbarreto
O Tricolor não conseguiu acompanhar o ritmo do Atlético Paranaense, o ‘Furacão’ da Arena da Baixada (PR), em seu terceiro jogo seguido fora de casa, e voltou a perder (2 x 0), levando gols na segunda etapa. A equipe não jogou bem. Até suportou no primeiro tempo, graças à brilhante atuação do goleiro Douglas, que saiu no intervalo, machucado. Encaixou melhor a marcação no segundo tempo, mas a defesa falhou, entrou água, faltou perna.

*

Classificação

Com o resultado adverso, o Bahia continua com 25 pontos e volta a se aproximar da zona de perigo, ocupando o 14º lugar na tabela de classificação. O rival Vitória, com os mesmos 25 pontos, é o 13º.

Na zona do rebaixa estão o Sport, com 23 pontos; a Chapecoense tem 21 mas ainda joga na rodada; o Ceará com 22 e o lanterna Paraná 15, apenas.

Na liderança continua o São Paulo, com 46 pontos ganhos, seguido do Internacional (que ainda joga ) com 42.

 

*

Bola rolando

O Tricolor começou ofensivo, jogo aberto, mas quem perigou primeiro foi o time da casa, com um cruzamento rasante da esquerda que exigiu agilidade e bom reflexo de Douglas, evitando a finalização na pequena área, aos cinco min. O Bahia trocava passes pelo meio e o Atlético explorava a velocidade pelos lados, sobretudo o esquerdo em cima do lateral Bruno. Bom ritmo, de lado a lado, mas, aos pouco o Atlético foi se impondo em campo.

Aos 19’, com Douglas já vencido, Lucas Fonseca salvou quase em cima da linha. Os paranaenses chegavam com vontade, mais objetivos, finalizando mais. Aos 29’, Pablo testou por cima, livre, um cruzamento da direita. Aos 32’, Douglas novamente teve de fazer outra defesa difícil, espalmando no rodapé uma cobrança de falta da entrada da área.

O Bahia perdeu o meio campo e a marcação pelas laterais mostrou-se frouxa. O rubro-negro paranaense tinha o domínio da partida. Em determinados momentos era um bombardeio. Só aos 46’, após cobrança de escanteio, quase o Tricolor fez; criou duas chances claras e numa delas o goleiro Santos salvou. Aos 48’, foi a vez Douglas mergulhar no cantinho, fazendo uma defesa milagrosa, após cabeçada de frente.

*

Como faz falta o Zé Rafael ! Muito mal no jogo Elber, Edigar Junio e Vinícius, perdidos. Era preciso povoar mais o meio campo, encaixar melhor a marcação. A Atlético foi melhor e Douglas salvou a pátria, na primeira etapa.

*

Nos vestiários, duas trocas que já assustaram o torcedor baiano: saiu o goleiro Douglas, sentindo pancada no joelho e entrou o garoto Fernando, estreante, fazendo sua primeira partida como profissional. Saiu Bruno, entrou Nino Paraíba na lateral-direita. Preocupante.

O sufoco continuou na segunda etapa, os atleticanos em cima. Os baianos pareciam melhor posicionados na marcação, sem permitir as finalizações do adversário, porém atacavam pouco, sem penetração.

- Gol ! 1 x 0, Palblo, para o Atlético, em bela jogada individual. Livrou-se no corpo a corpo do marcador, Lucas Fonseca na saudade, avançou e bateu firme da entrada da área, de frente. Aos 27’.

O Tricolor sentiu o golpe e não mostrou forças pra reagir.

- Gol ! 2 x 0, aos 32’, Rony completou livre, forte, na frente da pequena área, um passe da direita de Pablo. O miolo de zaga espiando, apenas, preso no chão.

A zaga baiana morreu. Já não tinha pernas para acompanhar o ritmo, a velocidade do ataque atleticano. Os paranaense, com o resultado favorável, postaram-se mais defensivamente e os baianos tentaram alguma coisa, mas ... nem o chamado gol de honra rolou.

Uma atuação sem brilho, sem forças e sem inspiração da equipe tricolor. Leseira ou cansaço das viagens e jogos seguidos?

*

Destaques

Douglas, pelo belo primeiro tempo. A luta de Gregore, Élton... e só. Edigar Junio e Élber apagadíssimos, Gilberto sem inspiração, pouco tocou na bola. Lucas Fonseca vinha bem, até a banda que levou de Pablo, permitindo a penetração e o gol do artilheiro. Ele e Tiago acabaram no bagaço.

O ‘Furação’ atleticano é uma equipe competitiva, sobretudo em casa, tem um bom conjunto, fez uma partida taticamente inteligente e sobrou fisicamente, mantendo ritmo forte até o final. Pablo é um avante perigoso, insinuante.

 

*

 

Ficha Técnica

Atlético/PR – Santos, Jonathan, J. Ivaldo, Leo Pereira e Lodi; Wellingnton, Bruno Guimarães, Raphael Veiga (Nazario) e Marcinho (Rony); Nikão e Pablo (Bergson). Treinador, Tiago Nunes.

Bahia – Douglas (Fernando), Bruno (Nino Paraíba), Tiago, Lucas Fonseca e Leo; Elton, Gregore (Cleiton), Élber e Vinícius; Edigar Junio e Gilberto. Treinador, Ênderson Moreira.

No apito, Leandro Vuaden (caseiro).

*

- O próximo jogo do Bahia, já pela 23 ª rodada do Brasileirão acontece na quarta-feira, 19h30, na Fonte Nova, contra o Sport Recife (que é o primeiro da Z-4, com 23 pontos).

O Vitória joga na quinta, 19 h, no Maracanã, contra o Fluminense/RJ.

*

Sul-Americana

Definidas as datas dos confrontos pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O Bahia enfrenta o Botafogo/RJ. São dois jogos, perdeu cai fora. O primeiro será na Fonte Nova, dia 20 de setembro, uma quinta-feira, às 21h45. A definição se dará no dia 3 de outubro, uma quarta-feira, mesmo horário, no Engenhão/RJ.

**

Outros resultados

Rodada 22, ainda em curso:

- Vitória 1 x 0 América (MG); Grêmio 4 x 0 Botafogo; Vasco 0 x 3 Santos;

Corínthians 1 x 1 Atlético (MG); Flamengo 0 x 1 Ceará (a grande zebra, Maracanã lotado, manhã de domingo)

- São Paulo 1 x 1 Fluminense; Sport 1 x 0 Paraná.

Ainda na noite do domingo: Cruzeiro x Internacional; Chapecoense x Palmeiras.

 

**