Candidatos do DEM reclamam de repasses para Alexandre Aleluia

      



A briga pelos repasses da naca do fundo partidário também chegou ao ninho democrata baiano. O vereador Alexandre Aleluia (DEM), candidato a deputado estadual, virou o principal assunto das rodas de conversa. Tudo porque o edil, segundo fontes da Tribuna, estaria sendo mais "agraciado" pela agremiação. Ele é filho do presidente estadual, deputado federal José Carlos Aleluia (DEM). Segundo informações do site DivulgaCand, do Tribunal Superior Eleitoral, Aleluia já recebeu um total de R$ 103.100,00 em recursos. Mais da metade (R$ 60.000,00) veio do fundo partidário. A outra parte (R$ 41.000,00) foi de recursos próprios. Ele ainda declarou ter recebido R$ 2.000,00 de doação de pessoas físicas e R$ 100,00 do financiamento coletivo. Outros nomes importantes do partido estão tendo que bancar a campanha com recursos próprios. O deputado estadual veterano Targino Machado (DEM), por exemplo, declarou um total de R$ 160.000,00 - só que a maior parte (R$ 150.000,00) é de recursos próprios e o resto (R$ 10.000,00) veio de doação de pessoas físicas. Ele ainda não recebeu recursos do fundo. O deputado estadual Alan Sanches (DEM) também declarou R$ 50.000,00 de recursos próprios. Já o presidente da Câmara Municipal, Leo Prates (DEM), declarou um montante de R$68.000,00, mas também não recebeu recursos do fundo: foram recebidos R$ 58.000,00 de recursos próprios e R$10.000,00 de doação de pessoas físicas.

Indagado pela Tribuna sobre o assunto, Alexandre, que atualmente exerce o primeiro mandato na Câmara Municipal, rebate. "Não estou sabendo de nenhuma reclamação dessas. Não acompanho a transferência de recursos para os outros candidatos", assegura. "Faço a minha campanha olhando o meu futuro, o que eu defendo, sem me preocupar muito com os outros. Acho que esse é o caminho melhor para obter a vitória. Isso aí não faz parte da minha preocupação. Os recursos que recebi, tenho certeza, que correspondo com as ideias do partido. Inclusive sei bastante sobre o estatuto e os valores que o partido defende. Tenho certeza que isso aí talvez seja determinante nessa remessa de recursos", completa. Procurado, José Carlos Aleluia não atendeu as ligações da reportagem. Alexandre tem se destacado por protagonizar polêmicas na mídia. O edil, que levanta a bandeira da ultradireita e do conservadorismo, demonstra ter admiração especial pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) - mesmo com o DEM apoiando Geraldo Alckmin (PSDB) nacionalmente.

Questionado se pode declarar apoio ao deputado federal em um eventual segundo turno, ele se posiciona. "Acho que está muito cedo para falar o que vai acontecer. Acho que você está criando um cenário de Bolsonaro com alguém da esquerda. Sou Bolsonaro. Sou contra qualquer partido [de esquerda], qualquer candidato como Haddad. Sempre serei Bolsonaro. Para deixar bem claro: entre Haddad e Bolsonaro, sou Bolsonaro". Ele também rejeita a ideia de apoiar o segundo colocado nas pesquisas, Ciro Gomes (PDT) - que chegou a negociar com o DEM um apoio no primeiro turno. "Ciro não tem preparo nenhum para ser presidente do Brasil. Na minha opinião, além de despreparado, é a volta do estatismo, da intervenção total na economia e tem os mesmos não valores morais que o PT prega. Além de tudo, Ciro é ligado ao Foro de São Paulo".
*Da Tribuna