Nos pênaltis, Bahia venceu Botafogo e está nas quartas da Sul-americana

      



Por Zedejesusbarreto
Pela primeira vez na sua história, o Bahia chega a uma fase de quartas-de-final de uma competição internacional, a Copa Sul-Americana, derrubando no estádio Engenhão, o Nilton Santos, a equipe do Botafogo. O jogo foi duro, bem equilibrado e terminou 2 x 1 para a equipe carioca, o mesmo placar que o Bahia impôs na Fonte Nova.

Assim, a decisão foi para a cobrança de tiros livres diretos da marca penal, como reza o regulamento da competição. Deu Bahia, 5 x 4. Classificado, o Tricolor baiano já tem seu próximo adversário na competição definido: Mais uma equipe brasileira, o Atlético paranaense.

*

Bola rolando

Jogando em casa, com o apoio massivo da torcida, e precisando reverter os 2 x1 que tomou na Fonte Nova, o Botafogo entrou com postura ofensiva, buscando o gol, alçando bolas na área tricolor, tentando o gol. Um Bahia bem postado, e boas saídas de contragolpe, com Zé Rafael pela esquerda e Edigar Junio na direita. O goleiro Douglas (Bahia) trabalhando mais que Saulo (Bota).

- Aos 17 minutos, a primeira grande chance do time carioca; depois de uma disputa pelo alto, Lindoso pegou de primeira, na arriada, de frente, para ótima intervenção de Douglas. Aos 20’, o Tricolor respondeu com uma arrancada de Gilberto, batendo forte e cruzado, acertando a rede por fora, assustando. Um Botafogo muito perigoso nas bolas altas.

- Gol ! 1 x 0, Pimpão, aos 26 min. Aproveitando-se de uma saída de bola equivocada pelo meio, Pimpão roubou a bola, ganhou na velocidade do zagueiro Tiago, visivelmente sem condições atléticas, e tocou com competência na saída do goleiro Douglas.

Na sequência, saiu Tiago, sentido a perna machucada, entrou Jackson, há muito tempo (mais de ano) parado curando lesões no joelho. O Bahia continuou jogando, não se abalou.

- Gol ! 1 x 1 , Edigar Junio, aos 32’, completando na frente da pequena área uma escorada de cabeça de Gilberto, após cruzamento da esquerda.

- Gol ! 2x1, Luis Fernando, aos 40’. Noutro vacilo na metade do campo, a bola boba roubada e enfiada nas costas de Grolli e Flávio, que pararam no lance pedindo impedimento (não houve); O atacante entrou livre com a bola dominada, livrou-se de Douglas e rolou para as redes.

Um primeiro tempo equilibrado. O Bahia trocou mais passes, teve mais a bola no pé, e o Botafogo explorou bem as laterais, em velocidade, ganhando mais as divididas na força. Os gols cariocas saíram em erros bisonhos na saída de bola defesa-ataque pelo meio. Apostaram no erro e nas bolas alçadas, aproveitaram bem. Sem lateral de ofício pela esquerda, o Tricolor sofreu muito defensivamente por esse lado.

Esse placar (2 x 1) no intervalo, o mesmo da Fonte Nova, levaria a decisão para a cobrança de tiros livres da marca do pênalti. Foi o que deu.

*

O mesmo desenho tático, outro panorama emcampo. Aos 4’, Gilberto ganhou da zaga aos trancos mas o chute passou longe. As bolas cruzadas na área baiana são um tormento. Aos 12’, numa boa e rara enfiada de bola de Vinícius pelo meio, Edigar Junior entrou de cara mas demorou de finalizar, a zaga mandou a escanteio. Aos 14, Élton arriscou forte, de fora, Saulo rebateu. O Bahia mais ofensivo, mais vivo em campo nesse tempo de jogo.

Aos 19’, Grolli ganhou de cabeça um cruzamento de escanteio, passou perto.Aos 26, entrou Allione no lugar de Vinícius, apagado e sem pernas. Aos 27’, boa finalização de Ze Rafael, a bola desviou na zaga e quase enganou o goleiro Saulo, cobrindo o travessão. Aos 29, saiu Edigar Junio e entrou Clayton. Jogo aberto, indefinido.

Aos 39’, enfim, o Botafogo chegou forte, atacando com Pimpão e Moisés pela esquerda, duas finalizações perigosas, duas providenciais defesas de Douglas. Jogo intenso até o apito final. O gol não saiu, a despeito de uma superioridade tricolor na segunda etapa, e a decisão foi para a cobrança de pênaltis.

*

Os pênaltis

Seis tiros da marca do pênalti, de cada lado. O Bahia acertou cinco (Gilberto, Zé Rafael, Allione, Nilton e Flávio). Só Jackson perdeu, defesa de Saulo. Pelo Botafogo, Marcinho chutou um na trave e Douglas catou o tiro de Moisés (um dos melhores em campo durante a partida).

*

Destaques:

Bem, Douglas, sem culpa nos gols sofridos, e pegou um pênalti. Os laterais Nino e Flávio (improvisado) sofreram horrores com as investidas de Moisés e Pimpão de um lado, Marcinho e Luis Fernando do outro. Nilton o melhor no meio campo. Elton correu muito. Zé Rafael, Vinícius e Edigar abaixo do que podem render.

De todo modo, um grupo que está escrevendo sua história no clube.

 

*

Ficha Técnica

Botafogo – Saulo, Marcinho, Carli, Rabello e Moisés; Lindoso, Matheus (Renatinho), Luis Fernando (Aguirre) e Bochecha (Benevenuto); Pimpão e Kieza. Treinador, Zé Ricardo.

Bahia – Douglas, Nino, Tiago (Jackson), Grolli e Flávio; Élton, Nilton, Vinícius e Zé Rafael; Edigar Junio e Gilberto. Treinador, Ênderson Moreira.

No apito, Germán Delfino, da Argentina.

*

Sequência de jogos

O Tricolor baiano volta a campo sábado à noite, contra o Grêmio, em Porto Alegre, valendo pela 28ª rodada do Brasileirão.

*

Em virtude das eleições, no domingo (não teremos jogos), a 28ª rodada começa na sexta-feira :

- Vitória x Santos ; Sport x Internacional; Corínthians x Flamengo.

Sábado, além do Grêmio x Bahia, teremos:

- Atlético (PR) x América (MG); Chapecoense x Atlético(MG); São Paulo x Palmeiras.

Na segunda-feira : Fluminense x Paraná.

Na terça: Botafogo x Vasco ; Cruzeiro x Ceará.

 

**

Leãozinho na fita

O Sub-20 do Vitória está na final do Campeonato Brasileiro da categoria, depois de eliminar o Flamengo; atropelou o rubro-negro carioca no Barradão (6 x 1) e perdeu (2 x 0) o jogo de volta no Rio, na noite dessa quarta.

Disputa o título com o Palmeiras, em dois jogos.
*Foto: EC Bahia