Bombeiros militares atuam em cinco frentes simultâneas em incêndios florestais

      



Buritirama, Boquira, Campo Alegre de Lourdes, Barreiras e Rio de Contas, são os cinco municípios que o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), atua paralelamente, no combate a incêndios florestais, através do Programa Bahia Sem Fogo, coordenado pelos Bombeiros e pela Secretaria de Meio Ambiente da Bahia (Sema).
 
"Neste momento, Rio de Contas é a cidade que o incêndio está mais complexo e Boquira é a mais duradoura, porém, estamos atuando nas cinco cidades de forma célere com todo o equipamento necessário", explica o capitão BM, Murilo Rocha. Conforme ele, dois aviões estão sendo utilizados para auxiliar no combate aos incêndios, com o lançamento de água e secundariamente com o monitoramento aéreo", completa o capitão.
 
Os incêndios florestais, acontecem na maioria das vezes pela ação humana, quer seja na forma dolosa ou culposa, ou ocasionalmente, por descargas atmosféricas, os raios, o que não foi registrado ultimamente naquela região. "O descuido do fogo colocado em propriedade é uma das principais causas, a pessoa perde o controle em muitos casos e as chamas atingem uma proporção grande", acrescenta o Capitão Murilo.
 
 Utilizado em muitos casos para limpar os pastos, o fogo causa dano aos biomas, a fauna e flora, além do empobrecimento do solo, comprometendo ainda a sua fertilidade e a capacidade de produção da terra.
 
Crime - Segundo o Código Florestal (Lei n° 12.651/12), o uso do fogo é permitido apenas com autorização do órgão responsável, no caso da Bahia, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Quando não existe essa autorização, as queimadas tornam-se crime, conforme a Lei  n°9.605/98 de Crimes Ambientais.