O FURACÃO DERRUBOU O TRICOLOR NA FONTE NOVA

      



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus
A equipe do Bahia fez uma boa partida, lutou muito, teve mais posse de bola, tomou as iniciativas, atacou bem mais, até fez dois gols, que foram anulados pelo sistema VAR de arbitragem – um deles, o de Ramires, mal anulado –,  mas nada disso adiantou.  Perdeu o jogo por 1 x 0, diante de sua torcida.

  O Atlético Paranaense, mesmo encurralado, achou uma bola no segundo tempo, num chutão do goleiro que foi parar na área baiana, fez o gol e ...  praticamente garantiu a vaga nas semifinais da Copa Conmebol Sul-Americana. Vai para a partida decisiva em casa, apoiado pelo seu torcedor, e onde há meses não perde nem toma gol, com a vantagem de ter vencido fora de casa a primeira. Isso conta muito.  Mas ...  é futebol e o Tricolor, pelo que jogou na Fonte, mostrou que pode encarar. Quem sabe?   

*

Pré-jogo

A Fonte Nova de gramado novo, em placas recém-postas, para o primeiro confronto eliminatório entre as equipes, valendo pelas quartas de final da Sul-Americana. Lua cheia, céu limpo, cerca de 30 mil pessoas nas arquibancadas, arbitragem argentina.

 O ‘Furacão Paranaense’, há 10 jogos sem perder. O Tricolor, quatro. Valendo a tecnologia VAR,  para tirar dúvidas dos árbitros. Fatal.    

 

**

Bola rolando

Muita rivalidade, clima de decisão, e a partida começou pegada, corpo a corpo e faltas seguidas no meio campo a cada disputa pela bola. Muito equilíbrio de ações no começo. A equipe da casa mais ofensiva, ousando mais. Os atleticanos marcando forte, cometendo muitas faltas seguidas.

  Não valeu ! O VAR anulou.

  - O gol do Bahia, de Clayton, que aconteceu aos 23 minutos. Foi um belo voleio de Clayton, após uma blitz tricolor, com vários chutes seguidos a gol.  Os paranaenses chiaram. Após rever o lance no VAR, por vários minutos, o árbitro invalidou o gol. Enxergou um pé alto do atacante baiano, na conclusão. A torcida não gostou.

  O Tricolor continuou em cima, na pressão. Mas os atleticanos se soltaram mais, a partir do lance de gol anulado, uma paralização de uns cinco minutos. 

  Aos 39’, Gregore arrancou do meio campo, livrou-se da marcação e bateu da entrada da área, mas errou o alvo.  Só aos 44’ o goleiro Douglas precisou trabalhar, rebatendo bem um chute forte de fora da área do meia Lucho. Só.  

  Foi uma primeira etapa muito disputada, boa de ver. O Tricolor teve mais iniciativa e posse de bola, chegou bem mais na área adversária. A equipe paranaense é rodada, matreira, pega duro e claramente apostou em não tomar gols, povoando o meio campo, dificultando as manobras dos tricolores e aqui e ali arriscando contragolpes em velocidade pelos lados.

 *

   Polêmica !  Outro gol anulado do Bahia, logo no começo do segundo tempo. O tal VAR.

  - O gol do Bahia foi de Ramires, aos dois minutos, completando uma boa trama tricolor que culminou num chute cruzado de Nino. Os árbitros do VAR registraram um impedimento de Ramires que não ficou claro nas imagens de tevê. As imagens mostram um zagueiro, à distância, na mesma linha do atacante tricolor quando a bola é lançada na área. O torcedor foi à loucura.   

  Aos 6’, o goleiro Santos salvou em cima da linha uma cabeçada de Lucas Fonseca; Aos 9’, Nikão assustou acertando a rede, por fora. A partida, no segundo tempo, é lá e cá, mais aberto.  Aos 15’, saiu Clayton, com cãibras, entrou Marco Antonio.  Aos 19’, após ótimo cruzamento de Ramires,  Ze Rafael dividiu na pequena área com Paulo André e o goleiro Santos salvou o gol em cima da linha. Na sequência, cobrança de escanteio, blitz do Bahia, Santos salvou de novo. Aí, na sequência ...

- Gol !  1 x 0 Atlético, Pablo, aos 21’.  Um  chutão da defesa, do goleiro, alto, Nikao ganhou de Lucas, raspou de cabeça e Pablo acreditou, enchendo o pé na bola enviesada, acertando o alvo. Numa das raras finalizações da equipe paranaense. Futebol é jogo cruel.

  Aí, com esse gol achado é que o Furacão fechou-se inteiro atrás, defendendo-se de toda forma, dando faltas, chutões, mascando, fazendo cera, garantindo o resultado. Ênderson Moreira tirou Élton e pôs Vinícius, aos 30’. O Bahia acossando, fazendo pressão, e o Furacão se defendendo, ganhando tempo. Aos 39’, Jackson ganha pelo alto a bola alçada em escanteio, mas a testada passa a um palmo da trave. Aos 43’, após boa trama coletiva, Vinícius soltou uma bomba da entrada da área, a um palmo do travessão. E o Furacão soube cozinhar até o final, na manha.

  Bem, para seguir adiante na competição, o Tricolor vai ter de jogar muito, agora na casa do adversário, e fazer dois gols.  O problema é que na sua arena, em Curitiba, o Furacão tem 11 triunfos seguidos, há meses não perde e não leva gols.

 

*

 

 

Destaques

 Boa partida dos laterais Nino e Paulinho. Gregore sempre guerreiro. Ramires crescendo, amadurecendo a cada jogo; Edigar Junio pelo primeiro tempo. Ze Rafael foi bem.

 No Furacão, o bom goleiro, a aplicação na marcação, a segurança defensiva e o artilheiro Pablo – a bola que teve para finalizar, marcou.

*

 Ficha Técnica

 Bahia -  Douglas, Nino, Jackson, Lucas Fonseca e Paulinho; Gregore, Élton,  Ramires e Ze Rafael; Clayton e Edigar Junio.    Técnico, Ênderson Moreira.

 Atlético (PR) – Santos, Jonathan, Paulo André, Leo Pereira e Lodi; Wellington, Lucho, Gabriel Veiga e Nikão; Cirino e Pablo.  Técnico, Tiago Nunes.

No apito , Fernando Rapalline (Argentino).  Boa atuação, deixa o jogo correr. A chiadeira do torcedor é pelos gols anulados. O segundo mal invalidado.

*

Próximos embates

O jogo de volta, decisivo será na Arena do Atlético, em Curitiba, de gramado sintético, dia 31 próximo, às 21h30. Quem vencer o duelo segue na competição/ já na fase de semifinais.

*

Pelo Brasileirão, o Bahia joga no sábado,  dia 27,  às 19h, contra o Corínthians, em São Paulo/ Arena Corintiana, pela 31ªrodada.

 

*

  Leão na zona

   O Vitória, também pelo Brasileirão, recebe o São Paulo, na sexta-feira, 19h30, no Barradão.

 Esse jogo é importantíssimo para o Rubro-negro baiano, agora com a corda no pescoço, depois do triunfo (na noite dessa quarta) do Ceará (2 x 0) sobre o Cruzeiro, no Mineirão (cumprindo partida atrasada na tabela), com dois gols do centroavante Artur.

Com o resultado, o Ceará foi a 34 pontos e saiu da zona de rebaixamento, deu um salto para o 14º lugar. Pior para o Leão. O Vitória tem 33 pontos e desceu agora ao 17 º lugar, está dentro da zona de perigo.   A partida contra o São Paulo é pra pirão.

**

 

  Libertadores das Américas

  Os primeiros jogos dos confrontos nas semifinais da competição, entre times brasileiros e argentinos, foram em campos de Buenos Aires.  O Grêmio se deu bem mas o Palmeiras levou ferro do Boca.

  Na noite de terça-feira o Grêmio venceu o River Plate, 1 x0, no Estádio Monumental de Nuñes, jogando uma  partida competitiva, brava, coletivamente correta. Leva boa vantagem para o jogo de volta em Porto Alegre.

  Nessa quarta, Boca Juniors 2 x 0 Palmeiras, no La Bombonera. Vai ter de se virar no jogo de volta, na Arena Palmeiras, para reverter esse resultado.  

 

**