Jornada de Dança da Bahia celebra sua 10ª edição

      



De 14 a 18 de novembro, 13 espetáculos, uma residência artística, um workshop, quatro oficinas e dois debates compõem a X Jornada de Dança da Bahia. O evento, realizado pela Escola Contemporânea de Dança, sob a direção da dançarina Fatima Suarez, acontecerá no Teatro Castro Alves (TCA) e em sua Sala do Coro, na Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Goethe-Institut Salvador e em espaços públicos da cidade, com atrações gratuitas ou a preços populares. Propondo-se ao desenvolvimento da dança e, especificamente, da educação em dança, esta 10ª edição explora o tema “O artista é o espelho da vida”, exaltando o papel questionador, reflexivo e aglutinador do artista na sociedade.

 

Convidados da Bahia e de outros estados do Brasil estão confirmados, além da dançarina norte-americana Lori Belilove, referência internacional da dança moderna e diretora artística da Isadora Duncan Dance Foundation de Nova York. É, aliás, a filosofia de Isadora Duncan (1877-1927), considerada a mãe da dança moderna, que direciona aspectos técnicos e conceituais da Jornada.

 

“A Jornada de Dança da Bahia, há dez anos, vem investindo em uma programação focada na dança como proposta de educação inspirada nos ideais de Isadora Duncan. Esta é nossa principal missão como projeto cultural e educacional, e confiamos estar contribuindo firmemente e com responsabilidade para as futuras gerações do nosso país, na medida em que nos preocupamos com o aperfeiçoamento de professores e a formação de jovens e crianças”, afirma Fatima Suarez. “O tema desta Jornada nos coloca diante do poder do artista comprometido não só consigo mesmo, mas com a reflexão da sociedade através da sua atuação, sendo fonte de inspiração a todos que perseguem na vida algo mais do que o mero sobreviver”, completa.

 

O Fórum de Educadores de Dança, pelo sexto ano integrando do evento, é também uma grande jornada. Antes do marco efetivo agora em execução, o projeto advém de um processo permanente de intercâmbio, práticas artístico-pedagógicas e pesquisa. A Formação Itinerante de Professores de Dança, em todos estes anos, já circulou por cerca de 20 localidades da Bahia, envolvendo mais de 1.500 alunos/educadores e criando uma rede de comunicação e troca de saberes. Em 2018, de fevereiro a setembro, a iniciativa novamente mobilizou agentes locais e também extrapolou os territórios baianos, chegando ao Distrito Federal e outros quatro estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Minas Gerais.

 

A X Jornada de Dança da Bahia tem patrocínio da Termonorte, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com realização do Ministério da Cultura (MinC).

 

MOSTRA ARTÍSTICA – A programação de espetáculos se inicia com a performance coreográfica “Ex-passo”, de Claudio Machado (BA), que parte do encontro e da relação entre quatro intérpretes-criadores, suas experiências, pernas de pau e o mar. Sobre a areia da Praia da Preguiça, na Gamboa, os performers conduzem o público através dos seus movimentos, convidando a um mergulho pessoal nas imagens criadas a partir da conexão entre seus corpos e os elementos da paisagem. Serão duas apresentações: nos dias 14 e 15 de novembro (quarta e quinta), às 17h.

 

Já a noite de abertura, no dia 14, às 19h, será tripla, com três peças em sequência, na Escola de Dança da UFBA, começando com “...É SÓ ISSO!”, solo da dançarina Dina Tourinho, do Balé Teatro Castro Alves (BA), que pergunta: o que nos define? Onde cabemos? Onde querem que caibamos? Em seguida, “Tombé”, de Jorge Alencar (BA), é uma espécie de ‘stand up dance comedy’ que se desenrola em torno de uma companhia de dança ficcional, construindo diversos vocabulários corporais, teorias e desabafos. Para fechar, “Estilhaço-Cabeça”, de Leonardo França (BA), é uma dança que convida à relação de ver e ser visto por uma perspectiva estilhaçada.

 

Na quinta-feira, às 19h, na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, “Tombé” faz mais uma sessão, desta vez ao lado de “ZIRIGUIDUM – Ideias abertas para tocar e dançar”, do Grupo de Dança Contemporânea da UFBA (BA): espetáculo que busca enaltecer a cultura popular e carnavalesca e entender como a movimentação corporal se relaciona com as músicas de massa.

 

No dia 16, sexta-feira, a programação é intensa. Se inicia às 17h, na Praça Dois de Julho (Campo Grande), com “Escape”, do Nômades Grupo de Dança (GO). A criação é uma construção coreográfica de mão dupla, levando a dança contemporânea para a rua e trazendo a intervenção da rua para a dança na cidade. Limites, fronteiras, bordas, entre, dentro, fora e a realidade de habitar a cidade são princípios explorados. Às 19h, mais uma sessão dupla na Sala do Coro do TCA, com “O Corpo e a Cidade”, do Balé Jovem de Salvador (BA), resultante de instalações de dança realizadas em espaços públicos, e “Borda infinita”, da ExperimentandoNUS Cia. de Dança (BA), um encontro de festa, corpos e danças que celebra uma década da companhia, com trilha sonora ao vivo livremente inspirada em cantos tradicionais de terreiros, samba-reggae e sonoridades eletro-contemporâneas. Na noite de gala da X Jornada de Dança da Bahia, na Sala Principal do TCA, às 20h, o encontro de “Homenagem a Apolo”, coreografia de Isadora Duncan remontada por Lori Belilove (EUA) e Contemporânea Ensemble (BA), com “Um conto zen”, da Escola Contemporânea de Dança (BA).

 

No sábado, 17, o espetáculo em cartaz é para o público infanto-juvenil. “Bonito”, de Paula Lice (BA), se apresenta na Sala do Coro do TCA, às 17h. Indicada ao Prêmio Braskem de Teatro na categoria Melhor Espetáculo Infanto-Juvenil, a peça de dança-teatro tem em cena seis criadores e uma intérprete de Libras que reelaboram a imagem grotesca e assustadora dos monstros de infância e dão voz e movimento a novos monstros que são em si a força íntima de cada um.

 

O dia de encerramento, 18 de novembro (domingo), leva mais uma intervenção para a Praça Dois de Julho, às 17h: “Parquear Bando”, do grupo Dança Multiplex (MG) e convidados da Bahia, experimenta a utilização de bambus como um dispositivo para a desaceleração, equilíbrio e composição. Para fechar, uma tradicional ação da Jornada de Dança da Bahia, às 19h, na Sala do Coro do TCA, é o “INVente Experimente (INVEX)”, que reúne 12 cenas coreográficas protagonizadas por dançarinos e novos talentos selecionados em convocatória pública. Com representantes do interior e da capital da Bahia e ainda de outros estados, o “INVEX” revela novas faces da dança, abrindo espaço para experimentações e descobertas. O conjunto de apresentações será aberto com trecho do espetáculo “Terra Além Mar”, de Andrea Raw (RJ).

 

FÓRUM DE EDUCADORES DE DANÇA – Pelo sexto ano consecutivo, de 15 a 18 de novembro, a Jornada de Dança promove o Fórum de Educadores de Dança, que realiza um intercâmbio de experiências vividas em diferentes contextos, mas conectadas pelo interesse de se abranger repertórios diversos, questionar paradigmas, aprofundar o conhecimento e qualificar a prática de quem ensina dança. Na grade, estão oficinas, reservadas aos participantes selecionados em convocatória pública, e bate-papos, abertos ao grande público. Neste ano, doze profissionais convidados compartilham seus conhecimentos: Alexandre Molina (MG), Andrea Raw (RJ), Carmen Paternostro (BA), Cristiane Santos (GO), Denise Acquarone (RJ), Dorothé Depeauw (MG), Gisela Tapioca (BA), João Rafael Neto (BA), Jorge Alencar (BA), Lori Belilove (EUA), Neto Machado (BA) e Thembi Rosa (MG).

 

RESIDÊNCIA E WORKSHOP – A Jornada de Dança da Bahia inclui em seu escopo de atuação uma residência, para promover imersão em criação e contribuir na qualificação de dançarinos selecionados na Bahia. Artistas interessados em performances de intervenção urbana puderam se inscrever para ocupar as 20 vagas da residência “Parquear Bando”, vivência que resulta em apresentação dentro da programação. Já o “Workshop de Dança Moderna na Técnica de Isadora Duncan” será ministrado pela mestre Lori Belilove, apresentando a vida e a arte de Isadora Duncan através de master classes na sua técnica original e do seu repertório.

 

 

 

X JORNADA DE DANÇA DA BAHIA

Quando: 14 a 18 de novembro de 2018

Onde:

·         Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809 – Corredor da Vitória)

·         Sala Principal do Teatro Castro Alves (Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande)

·         Sala do Coro do Teatro Castro Alves (Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande)

·         Escola de Dança da UFBA (Av. Adhemar de Barros, s/n, Campus de Ondina – Ondina)

·         Espaços públicos: Praia da Preguiça (Gamboa) e Praça Dois de Julho (Campo Grande)

Quanto:

·         Goethe-Institut Salvador-Bahia: Gratuito

·         Sala Principal do Teatro Castro Alves: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), filas A a P; R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), filas Q a Z3; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), filas Z4 a Z11

·         Sala do Coro do Teatro Castro Alves: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

·         Escola de Dança da UFBA: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

·         Espaços públicos: Gratuito

Apoio: Conexões Criativas | Centro de Dança do DF | Centro Espanhol | Escola de Dança da UFBA | Goethe-Institut Salvador | Haus Kaffee | Guima Viagens | Hotel Bahia do Sol | Rádio Educadora FM Bahia | Balé Teatro Castro Alves | Teatro Castro Alves | Fundação Cultural do Estado da Bahia | Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

Gestão Integrada: Cardim Projetos e Soluções Integradas

Produção: Dimenti Produções Culturais

Patrocínio: Termonorte

Realização: Escola Contemporânea de Dança | Ministério da Cultura

www.jornadadedanca.com.br

www.facebook.com/JornadadeDancadaBahia

Instagram: @jornadadedancaba

 

MOSTRA ARTÍSTICA

14 e 15/11 (qua e qui) | 17h | Praia da Preguiça | Gratuito

“Ex-passo”, de Claudio Machado (BA)

Classificação indicativa: Livre

14/11 (qua) | 19h | Escola de Dança da UFBA | R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

“...É SÓ ISSO!”, do Balé Teatro Castro Alves (BA) + “Tombé”, de Jorge Alencar (BA) + “Estilhaço-Cabeça”, de Leonardo França (BA)

Classificação indicativa: Livre

15/11 (qui) | 19h | Sala do Coro do TCA | R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

“Tombé”, de Jorge Alencar (BA) + “ZIRIGUIDUM – Ideias abertas para tocar e dançar”, do Grupo de Dança Contemporânea da UFBA (BA)

Classificação indicativa: Livre

16/11 (sex) | 17h | Praça Dois de Julho | Gratuito

“ESCAPE”, do Nômades Grupo de Dança (GO)

Classificação indicativa: Livre

16/11 (sex) | 19h | Sala do Coro do TCA | R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

“O Corpo e a Cidade”, do Balé Jovem de Salvador (BA) + “Borda infinita”, da ExperimentandoNUS Cia. de Dança (BA)

Classificação indicativa: 14 anos

16/11 (sex) | 20h | Sala Principal do TCA | R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), filas A a P; R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), Q a Z3; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), Z4 a Z11

“Homenagem a Apolo”, de Lori Belilove (EUA) e Contemporânea Ensemble (BA) + “Um conto zen”, da Escola Contemporânea de Dança (BA)

Classificação indicativa: Livre

17/11 (sáb) | 17h | Sala do Coro do TCA | R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

“Bonito”, de Paula Lice (BA)

Classificação indicativa: Livre

18/11 (dom) | 17h | Praça Dois de Julho | Gratuito

“Parquear Bando”, do Dança Multiplex (MG) e convidados da Bahia

Classificação indicativa: Livre

18/11 (dom) | 19h | Sala do Coro do TCA | R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

“INVente Experimente”, com artistas diversos e Andrea Raw (RJ)

Classificação indicativa: Livre

 

6º FÓRUM DE EDUCADORES DE DANÇA

15/11 (qui) | 9h às 12h | Teatro Castro Alves | Para participantes selecionados

Oficina com Jorge Alencar e Neto Machado (BA)

15/11 (qui) | 14h às 16h30 | Goethe-Institut Salvador | Aberto ao público, gratuito

Bate-papo “As faces do espelho: caminhos para a formação do professor de dança”, com Alexandre Molina (MG), Carmen Paternostro (BA) e Denise Acquarone (RJ).

Mediação: Gisela Tapioca (BA).

16/11 (sex) | 9h às 12h | Teatro Castro Alves | Para participantes selecionados

Oficina com Dorothé Depeauw e Thembi Rosa (MG)

17/11 (sáb) | 9h às 12h | Teatro Castro Alves | Para participantes selecionados

Oficina com Andrea Raw (RJ)

17/11 (sáb) | 14h às 16h30 | Goethe-Institut Salvador | Aberto ao público, gratuito

Bate-papo “O outro lado do espelho: processos criativos que ocupam a cidade”, com Cristiane Santos (GO), Dorothé Depeauw (MG), João Rafael (BA) e Thembi Rosa (MG).

Mediação: Neto Machado (BA)

18/11 (dom) | 9h às 12h | Teatro Castro Alves | Para participantes selecionados

Oficina com Lori Belilove (EUA)

 

WORKSHOP DE DANÇA MODERNA NA TÉCNICA DE ISADORA DUNCAN

14 a 16/11 (qua a sex) | 9h às 12h | Teatro Castro Alves | R$ 250,00

Com Lori Belilove (EUA)

 

RESIDÊNCIA PARQUEAR BANDO

15 a 17/11 (qui a sáb) | 14h às 17h | Teatro Castro Alves | Para selecionados

Com Dança Multiplex – Dorothé Depeauw e Thembi Rosa (MG)