Fotógrafo francês espalha rostos baianos em muros de Salvador

      



Num bairro, numa comunidade, numa cidade, diferentes identidades se cruzam cotidianamente. Um fotógrafo francês sai em busca de pessoas em sua rotina, e lhes faz retratos em preto e branco. Este é o projeto “Mostre-se”, de Hugues Anhes, artista que usa a fotografia como um meio que permite que os sujeitos se revelem, encontrando nas intimidades também aquilo que é universal. Os registros são então impressos em grandes dimensões, como lambe-lambe, colados sobrepostos em muros e paredes, e depois arranhados, revelando rostos distintos como se fossem um só: uma instalação que propõe ir além de nossos preconceitos e nos convida a buscar uma nova percepção dos outros e de nós mesmos. Desde 2016, ele vem viajando por diferentes lugares do mundo realizando esta empreitada. Agora, ele está encontrando e exibindo novos rostos em Salvador, como residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia, em parceria com a Aliança Francesa Salvador e apoio do Deutsch-Französische Kulturfonds.

 

Desde meados de outubro, Hugues fez sessões de fotografias em lugares como a Estação da Lapa, a Universidade Federal da Bahia (UFBA), a unidade feminina da Penitenciária Lemos de Brito, os bairros de Dois de Julho e Plataforma, entre outros. Já montou colagens no bairro do Campo Grande, na Rua Carlos Gomes, no Pelourinho e na própria sede do Goethe-Institut. Nos próximos dias, a agenda de construção de instalações seguirá no Centro Cultural Plataforma e outros muros do bairro, Penitenciária Lemos de Brito, Teatro Vila Velha, EcoSquare no Rio Vermelho e outras escolhas a serem definidas.

 

A técnica de Hugues Anhes, ao sobrepor retratos de pessoas diferentes uns sobre outros, em montagens com rasgos, acaba por alterar diferenças superficiais, misturando feições para criar a soma de indivíduos. Sua intenção é fazer pensar sobre o que é o mesmo e o que é diferente. Assim, as instalações constroem pontes culturais e proporcionam uma reflexão sobre quem somos como seres humanos, contribuindo para a criação de uma nova consciência coletiva.

 

Sobre o Goethe-Institut Salvador-Bahia – Instituto cultural da República Federal da Alemanha, o Goethe-Institut, fundado em 1951, se dedica a fomentar o diálogo entre culturas e é a maior instituição de ensino de alemão no mundo. Atualmente, dispõe de uma rede de 159 unidades em 98 países de todos os continentes. A unidade do Goethe-Institut Salvador-Bahia foi criada em 1962 e, desde então, promove a aprendizagem da língua alemã, divulga uma imagem abrangente da Alemanha e realiza colaborações locais, nacionais e internacionais na área da cultura, com numerosos parceiros públicos e privados. É um espaço disposto ao exercício artístico-cultural, realizando ações próprias e oferecendo suporte a iniciativas de variadas espécies. Dispõe de teatro, foyer, galerias, biblioteca, ateliês, estúdios, salas de aulas, praças, pátio e café. Após mais de meio século de atividades contínuas na cidade, iniciou, em 2016, o Programa de Residência Artística Vila Sul, com a proposta de fortalecer interlocuções entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir do acolhimento de artistas e agentes culturais de diversas áreas, linguagens e origens. Mais de 60 residentes já experimentaram esta oportunidade.

 

“Mostre-se”, de Hugues Anhes (França)

Agenda de instalações:

06/12 (qui): Plataforma

07/12 (sex): Unidade Feminina da Penitenciária Lemos de Brito

08/12 (sáb): Teatro Vila Velha – Passeio Público

09/12 (dom): EcoSquare – Rua Conselheiro Pedro Luiz, 348 – Rio Vermelho