ANTOLOGIA DO VIOLÃO TENOR NO SEGUNDAS DO CHORINHO

      



Dando continuidade a programação do mês, no dia 10 de dezembro de 2018, o Projeto "Segundas do Chorinho" ano 7 apresenta o show "Antologia do Violão Tenor" com os músicos Eduardo Brandão (violão 7 cordas), Júlio Caldas (bandolim / violão tenor) e Ricardo Carvalho (percussão), trazendo como convidados o violonista Paulo Victor no seu dedilhar flamenco e "fingerstyle", o percuchavista Rui das Chaves e Vitório do Trompete, nonde juntos dão nova roupagem aos clássicos do choro e da música popular brasileira, assim como vários outros músicos que sobem espontaneamente ao palco no formato "roda de choro".

O evento tem data, hora e local fixos. Acontece em todas as segundas-feiras do ano, às 20h, na Varanda do SESI Rio Vermelho, quando apresenta grupos e artistas que trabalham com o Chorinho. Uma verdadeira Vitrine do Choro na Bahia, com vários grupos convidados, tendo o formato de um convidado a cada semana, numa parceria Hessel Produções, Siri Produções, Eco Pousada Tramela, Comida de Varanda e Teatro SESI Rio Vermelho / FIEB.


O couvert artístico custa R$ 20,00.

No projeto “Antologia do Violão Tenor” os músicos se unem para fazer uma pesquisa em torno do violão tenor e o repertório que o tornou um "instrumento brasileiro". Essencialmente utilizado no choro, quase desapareceu dos palcos e hoje encontra-se em processo de redescoberta, através de músicos que se dedicam a sua pesquisa. A idéia central dessa antologia é tocar os grandes compositores que ajudaram a imortalizar o instrumento bem como tocar novos temas que foram utilizados para o Tenor. Entre eles figuram nomes como Garoto (Anibal Augusto Sardinha), Alvaro Brochado, Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Pedro Amorim entre outros. Tendo também como base o repertório de clássicos do Choro escritos para Bandolim e Cavaquinho.

O Violão Tenor é um instrumento de cordas com características similares ao do violão e o bandolim. Seu formato é similar ao do violão, com proporções ligeiramente reduzidas, dispondo apenas de 4 cordas, com afinação "lá, ré, sol, dó".

O instrumento teria surgido nos EUA por volta dos anos 1920, sendo uma espécie de banjo-Tenor montado no corpo de um violão. Inicialmente, muito utilizado nos primórdios da musica country, como o Bluegrass A célebre Gibson foi a primeira grande empresa a fabricá-lo. No entanto, o Violão Tenor ganhou um significado e uma aplicação que tornou-se típica na música popular brasileira dos anos 1930, sendo parte da harmonização de conjuntos vocais e, posteriormente, tornando-se um instrumento alvo para virtuoses solistas do gênero do Choro.

Projetado e popularizado pelo músico Garoto (1915-1955), o instrumento desenvolvido no Brasil pelo Luthier Algelo Del Vecchio era também uma adaptação do banjo, dotado de uma membrana de alumínio na caixa de ressonância, sistema que viria a ser conhecido como "dinâmico", inspirado no Dobro norte-americano.

Serviço:

O que: Projeto SEGUNDAS DO CHORINHO - Ano 7

Quando: sempre as segundas-feiras de 2018

Horário: a partir das 20 horas

Dia 10/12/2018: ANTOLOGIA DO VIOLÃO TENOR & Convidados: Paulo Victor, Rui das Chaves e Vitório do Trompete

Couvert: R$20,00

Onde: Varanda do SESI Rio Vermelho
Endereço: Rua Borges dos Reis, 09 - Rio Vermelho.
Realização: Hessel Produções, Siri Produções, Eco Pousada Tramela, Comida de Varanda e Teatro SESI Rio Vermelho / FIEB.
Maiores Informações: Tel.: (71) 9.9160-9140.