Paulinho Boca, em tom intimista, canta a história da música na Bahia

      



Em 1999, com o parceiro Edil Pacheco, Paulinho Boca fez um levantamento da produção musical baiana, idealizou e produziu o CD duplo “Do Lundu ao Axé”,” que teve a participação de Gilberto Gil, Brown, Moraes, Lazzo, Margareth, Armandinho, Luiz Caldas e muitos outros artistas baianos.

Em 2012 Paulinho Boca editou uma revista contando essa história e fez o show “A História da Música na Bahia por Paulinho Boca de Cantor”. O show foi realizado no Teatro Castro Alves e virou DVD. E é esse show num formato acústico, com Carlinhos Marques no violão e Eduardo de Dalva na percussão, que ele fará na próxima sexta, 01/02, às 20h, no “Arte no Paschoal”, ação do Pelourinho Dia e Noite.

No show Paulinho homenageia os compositores(as) músicos cantores (as) baianos e conta a história da nossa música desde o início. “Em- 1902 a primeira música brasileira gravada no Brasil foi o Lundu “Isto é Bom”, de Xisto Bahia. Nossa pesquisa vai daí até os dias atuais, do Axé, dos Blocos Afros. do Carnaval e dos fenômenos de popularidade que acontecem sem parar na música da Bahia”, diz o artista, que garante também no repertório Caymmi, João Gilberto, Tropicalia, Samba da Bahia, Ijexas, Samba de Roda, Frevos e muito, mais recheados de histórias.

Artistas do bairro podem participar – Dentro do “Arte no Paschoal” vai acontecer o Movimento Som do Bairro, que promoverá a apresentação de grupos musicais oriundos do Santo Antônio Além do Carmo. Antes dos shows principais, dois grupos por noite se apresentarão mostrando porque o bairro é um dos mais artísticos da capital.

Para participar do Movimento Som do Bairro basta entrar no site- pelourinhodiaenoite.com.br - e obter todas as informações. Mas é imprescindível que esses grupos possuam alguma sintonia artística com o show principal da noite. Por isso, serão selecionados através de uma curadoria as propostas que mais se aproximarem da MPB, chorinho , jazz, bossa nova...

O projeto Pelourinho Dia e Noite é coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), por meio da Diretoria de Gestão do Centro Histórico.
Sexta, 01/02, às 20h na Cruz do Paschoal. Totalmente gratuito