Nelson Leal diz que tragédia ocorrida em escola de Suzano é reflexo de “sociedade contaminada pelo ódio”

      



O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado estadual Nelson Leal, manifestou o seu pesar pela tragédia que abalou hoje (13.03) o país, com a chacina ocorrida na Escola Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano/SP. “Em nome da Assembleia Legislativa da Bahia, manifesto o meu profundo pesar com o ocorrido. É mais uma tragédia que se soma às que já ocorreram este ano no Brasil. Sem sombra de dúvidas, é um ano de calamidades no país e reflexo de uma sociedade fortemente contaminada pelo ódio. Precisamos parar, fazer uma reflexão muito séria sobre o que está acontecendo conosco. O brasileiro afável, hospitaleiro e amoroso cada vez mais está dando lugar ao rancor, à xenofobia e ao ódio”, disparou Leal.

Apresentando condolências e “os mais sinceros sentimentos às famílias das vítimas”, o chefe do Legislativo estadual acredita que os dois atiradores que cometeram suicídio, depois de matar um comerciante e sete estudantes, respondem à pregação de intolerância que se disseminou pelo país nos últimos anos. “São dois jovens – um de 17 e outro de 25 anos - que se imolaram depois de cometer esse ato absurdo, inexplicável. Se foram vítimas, ou não, de bullying, não se justifica este massacre”, condena o presidente da ALBA.

Em razão do episódio, Nelson Leal disse que fica evidente que o Brasil não vai resolver o problema da violência com o discurso do rancor e do ódio. “A sociedade brasileira precisa se conscientizar de que a violência não é a melhor forma de resolução de conflitos no país. É um chavão, mas não custa repetir: violência gera violência. Precisamos entender porque esses dois jovens acharam que matar outras pessoas resolveria seus problemas com o mundo. Quem são os exemplos deles?”, enfatiza Leal.