Avianca encerra sete voos em Salvador em abril; veja embarques cancelados

         



Em recuperação judicial desde dezembro do ano passado, a companhia área Avianca decidiu encerrar sete voos que tinham Salvador como destino ou partida. Outras capitais do país também serão afetadas com a decisão. A descontinuidade de algumas rotas vai acontecer em abril, como parte de uma estratégia para evitar a falência da empresa. Rotas como Salvador/Aracaju (SE), Brasília (DF)/ Salvador, Recife (PE)/ Salvador e Petrolina (PE)/ Salvador serão suspensas. (Confira lista completa de voos abaixo)

Em nota, a assessoria da empresa informou que "está readequando a sua operação e reduziu o tamanho de sua frota com o objetivo de operar 23 destinos, com 26 aeronaves".

A empresa informou ainda que a readequação acontecerá progressivamente durante o mês de abril e a diminuição implicará na descontinuidade dos voos e no fechamento de três bases operacionais - Galeão (RJ), Petrolina (PE) e Belém (PA).

"A Avianca Brasil informa que as 32 rotas remanescentes são estratégicas e continuam a ser operadas normalmente, com seus pousos e decolagens mantidos dentro do cronograma previsto. Para os passageiros com bilhetes emitidos para os destinos que deixam de ser atendidos, a empresa informa que cumprirá a resolução 400 da Anac", informou a Avianca.

Os passageiros serão comunicados pela empresa e poderão optar pelo reembolso integral do valor pago na tarifa ou, ainda, por serem realocados em voos de empresas parceiras. "Os passageiros serão contatados em ordem cronológica. Ou seja, aqueles que tiverem voos marcados para datas mais próximas serão contatados antes", completou a empresa.

Para pedir o reembolso, o cliente deve acessar o site da Avianca e selecionar a opção “Cancelamento de voo gerado pela Avianca”.

A Vinci Airports, empresa que administra o Aeroporto de Salvador, afirmou que trabalha com a companhia aérea e autoridades para minimizar o impactos sobre os passageiros.

A Vinci não divulgou o impacto do encerramento dos setes voos no número de passageiros por considerar "prematuro".

"É prematuro quantificar o impacto em número de passageiros, uma vez que a demanda pela região de Salvador é forte e deverá manter este ritmo nos próximos meses. Só o tempo permitirá fazer uma avaliação mais precisa", diz a nota.

A empresa ainda afirmou que suas equipes atuam com todas as companhias aéreas para trazer novas capacidades e rotas para Salvador.

"Em 2018, todas as companhias aéreas cresceram significativamente em Salvador e nosso objetivo é manter sempre uma conectividade eficiente e rica com todos os mercados onde há demanda significativa por viagens", acrescentou.

Trade Turístico
O presidente do Conselho Baiano de Turismo e do Salvador Destination, Roberto Duran, lamentou a decisão da companhia área de suspender as linhas que ligam a capital baiana as outras cidades. Para ele, em consequência da suspensão, haverá um aumento natural nos valores das passagens áreas já que há uma redução na oferta.

“Uma cidade com muitas rotas de destino, com voos indo e vindo, com o maior volume de localidades do mundo, facilita a atração de visitantes, turistas e possíveis investidores. Mas no momento em que você começa a ceifar essas possibilidades, você, por consequência, dificulta essa vinda. Com isso, aumenta consideravelmente os custos [das passagens]. Ou seja, tornando cada vez mais a cidade em um local inatingível e de difícil desenvolvimento”, disse Duran.

Outras empresas áreas, assim como a Avianca, também resolveram descontinuar voos em Salvador. A Latam informou aos seus clientes no ano passado que não faria mais voos entre o Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, e três capitais do Nordeste: Fortaleza, Recife e Salvador.

Em nota, a Secretaria do Turismo do Estado da Bahia (Setur) afirmou que torce para que a Avianca possa restabelecer sua atividade e expandir sua malha aérea na Bahia. "Nossa meta de ampliar a oferta de voos está mantida e abrange todas as companhias aéreas com objetivo de atender à demanda crescente de passageiros", disse a pasta.

Crise
A Avianca acumula dívidas devido a prejuízos e atrasos em pagamentos de arrendamentos de aeronaves. A companhia também deve salários de pilotos e comissários de bordo.

Nesta sexta-feira (29), a empresa realiza uma assembleia com credores para avaliar o plano de recuperação. Uma consultoria também foi aberta para buscar possíveis compradores. As empresas Aircastle e GE Capital Aviation Services já demonstraram interesse na companhia.

Rotas que serão descontinuadas em todo Brasil:

Aracaju-Salvador

Salvador-Bogotá

Petrolina-Salvador

Recife- Salvador

Brasília-Salvador

Galeão-Salvador

Maceió-Salvador

Belém-Guarulhos

Fortaleza-Bogotá

Brasília-Cuiabá

Brasília-Fortaleza

Brasília- Galeão

Brasília-Maceió

Florianópolis-Galeão

Fortaleza-Galeão

Guarulhos-Galeão

Galeão-Foz do Iguaçu

Galeão-João Pessoa

Galeão-Natal

Galeão-Porto Alegre

Petrolina-Recife
*Do Correio