Operação da PF visa combater organização criminosa na Bahia, Sergipe e Pernambuco

         



Foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, 4, a Operação Acesso Negado, nas cidades de Aracaju, Poço Redondo, Frei Paulo, Macambira, Campo do Brito, Salvador e Petrolina. A ação é comandada pela Polícia Federal e visa desarticular uma organização criminosa responsável por desvio de recursos públicos.

A ação compõe a terceira, quarta e quinta fases da Operação Acesso Negado, que foi desencadeada em novembro de 2015, com segunda fase deflagrada em fevereiro de 2019. As novas fases investigam irregularidades na contratação feita pelos municípios de Frei paulo, Macambira e Poço Redondo, da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), denominada Instituto Sócio Educacional Solidariedade (ISES).

A operação

De acordo com a PF, as operações indicam que após vencer um concurso de projetos que seriam corrompidos, o ISES foi contratado pelas prefeituras de Frei Paulo, Macambira e Poço Redondo. O instituto teria realizado contratos superfaturados com pessoas físicas e jurídicas, que seriam integrantes do seu próprio grupo econômico. Os contratados não estariam prestando os serviços que estavam obrigados e assim, o ISES estaria recolhendo os valores pagos pelos municípios.

A ação policial possui 76 agentes federais que cumprem 27 mandados de busca e apreensão expedidos pela 6ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Itabaiana (SE). Os mandados serão cumpridos nos estados de Sergipe Bahia e Pernambuco. Também foram expedidas medidas cautelares de proibição de contratar com o poder público por parte da OSCIP e de bloqueio de cerca de R$ 440.000 do patrimônio dos suspeitos.

Os envolvidos no crime irão responder por delitos de participação em organização criminosa, desvio de verbas públicas praticado por prefeito, fraude em licitação e lavagem de dinheiro.
*Do A Tarde