BAHIA É BICAMPEÃO BAIANO

         



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus

Numa partida muito disputada até o minuto derradeiro, gol de pênalti decisivo decidido pelo VAR, goleiro defendendo penalidade (também marcada com o auxílio da tecnologia VAR), bolas nas traves, gols perdidos, mais de 40 mil torcedores nas arquibancadas da Fonte Nova, o Bahia da Capital venceu a final do Baianão/2019 contra o valente Bahia de Feira ( 1 x 0)  e conquistou seu 48º titulo de Campeão Baiano.

 Mais um título de glória na história do clube, fundado em 1931 com o slogan “Nasceu para vencer”.  Salvador em festa.

*

  Um domingo especial

- Dia da Páscoa, a ressurreição de Jesus, segundo a crença católica.

 - Dia do sacrifício de Tiradentes, o herói maior da Inconfidência Mineira / ‘Libertas quae sera tamen’(Liberdade, ainda que tardia).  

  - Dia oficial também da Fundação de Brasília, por JK, o presidente Juscelino, mineiro. Obra extraordinária de Lucio Costa e Oscar Niemeyer.

 *

  Fonte Nova linda, domingo de sol forte outonal, calor, mais de 40 mil pessoas nas arquibancadas em vermelho, azul e branco, clima festivo.

  O Bahia da Capital com camisetas brancas, calções azuis e meias vermelhas; o Bahia de Feira com vistosas camisas em azul escuro, meias e calções brancos.

 

*

 Com a bola rolando

  Como não poderia deixar de ser, o jogo começou muito pegado, marcado, nervoso mas leal, na bola. O time da casa com as iniciativas, buscando o ataque, tentando encurralar, atuando mais no campo adversário.

  - Aos sete minutos, A Caike cobrou falta da lateral da área inimiga, lado esquerdo, fechado e acertou o travessão de Jair, no primeiro lance de emoção.

  -  Aos 23’, após boa trama do Tricolor da Capital pela direita, Gilberto fez a parede e Élton pegou forte, rasteiro, da entrada da área, mas errou o alvo por pouco. Dois minutos depois, o mesmo Élton teve a chance, livre, na frente da pequena área, mas a bola subiu um pouco. Quase!

O time da casa melhor em campo. A equipe de Feira com a estratégia de explorar os contragolpes, sem pressa, apostando num erro do adversário. Mas até os 30 minutos quase não assustou.   

  -  Aos 38 minutos, o primeiro chute em gol do Bahia de Feira, o ‘Tremendão’, e perigoso; Jarbas bateu forte, de longe, pelo alto e Ânderson espalmou a escanteio.

  - Aos 41’, Nino Paraíba fez ótima jogada pela direita e rolou para Gilberto que encheu o pé, mal, por cima.

*

Uma primeira etapa com predomínio do tricolor da capital – teve mais posse de bola, atuou mais no campo adversário, chutou mais, criou mais chances de gol, meteu uma na trave, mas...   nada de gol. E isso era tudo o que a equipe da Barbosinha queria, segurar os primeiros 45 minutos para se soltar e arriscar mais na segunda etapa, surpreendendo, apostando no cansaço da equipe de Roger, que jogou no meio da semana.

  Alguns atletas rendendo abaixo do esperado, como Gilberto e Ramires, bem marcados e errando muito. Bruninho, Van e Jarbas os melhores do time interiorano. Jogo limpo, arbitragem tranquila, sem VAR.  O empate levaria a decisão à cobrança de penalidades da marca de pênalti.  

*

  As mesmas equipes em campo para os 45’ derradeiros.  Com um minuto, Artur Caike perdeu uma chance incrível na pequena área, livre; furou o chute  e caiu de bunda. O Bahia todo em cima, na pressão, buscando o gol.

 E logo aos 4’, após Ramires cair na área adversária, numa dividida, o árbitro  foi consultar o VAR pela primeira vez.  E marcou o pênalti de Victor Hugo em Ramires, atingido na perna pelo zagueiro.

 - Gol !  1 x 0 Bahia ! Gilberto cobrando a penalidade com calma, deslocando Jair. Aos 8  minutos.

 Barbosinha, com um gol contra, tirou o apoiador Edimar e colocou o avante Ebinho. Foi pra cima.  No Tricolor da Capital, saiu Lucas Fonseca, machucado, entrou Xandão. O jogo fica uma pouco mais ríspido e arriscoso. Tudo ou nada.

  Aos 20, Vitinho bateu falta próxima da área, colocado, raspando !  Houve desvio no ombro/braço de Gilberto e o árbitro foi consultar o VAR. Deu pênalti !

Vitinho bateu o pênalti e Ânderson defendeu, na sobra, o arremate e Ânderson, milagroso, salvou.   No contragolpe, Ramires ficou de cara com Jair, bateu seco no canto e o goleirão espalmou. 

  O jogo ficou quente, eletrizante. Aos 28’, Jair salvou outro gol, numa defesaça. Aos 30, Gilberto tamancou de fora, deu Jair de novo. Roger trocou A Caíke por Rogério. Barbosinha tirou Vitinho e pôs Dionísio. Gregore no lugar de Ramires, sem pernas.  

Lá e cá, emocionante.  Aos 32, Cazumba bateu falta da quina da área, carimbou o travessão de Ânderson, paradão, vencido.   Aos 34’, Rogério recebeu livre na grande área, limpou a marcação e bateu de canhota, mal, errando o alvo e perdendo gol feito.

 Nada definido. Um Bahia de Feira tinhoso e guerreiro, fustigando também, cavando faltas nas proximidades da área, assustando. Dramático para o torcedor nas arquibancadas. Aos 48’, Artur arrancou de contra-ataque, sem marcação, invadiu a área e bateu mal, com dois companheiros livres para marcar e matar o jogo.  

Deu Bahia !  48 vezes Campeão Baiano.  

*

  Destaques

  O goleiro Ânderson, fundamental, defendeu um pênalti, segurou o placar e a pressão do adversário até o final. Nino Paraíba, Élton, Artur atuaram bem.  Gilberto fez o gol do título. E Roger Machado mostrou-se pé-quente.

  O Bahia de Feira vendeu caro. Um ótimo e dedicado conjunto.  Jair, goleiraço.  Van, o melhor lateral direito da competição.  Cazumba pelo lado esquerdo. Jarbas , bem; Bruninho é o craque do time.

  *

Ficha Técnica

- Bahia : Ânderson, Nino Paraíba, Lucas Fonseca (Xandão) e Moisés; Douglas Augusto, Élton e  Ramires (Gregore); Artur, Gilberto  e Artur Caike (Rogério).  Treinador, Roger Machado.

- Bahia de Feira : Jair, Van, Paulo Paraíba,  Victor Hugo e Cazumba; Capone, Edimar (Ebinho), Bruninho e Jarbas (Menezes);  Vitinho (Dionísio) e Deon.   Treinador, Barbosinha, o Quintino Barbosa.

 No apito, o paulistano Luis Flávio de Oliveira (FIFA)  //  Com o uso do VAR.

**

 Brasileirão

 O Bahia estreia na Série A domingo, na Fonte Nova, contra o Corínthians.

 O Vitória inicia sua jornada na Série B, a Segundona, no sábado, contra o Botafogo (SP)  em Ribeirão Preto.

 

**

  Outros Campeões  

  - O Grêmio é o Campeão gaúcho, depois de derrotar o rival Internacional na cobrança de penalidades da marca penal. O jogo foi no meio da semana.

  - No sábado, o Cruzeiro (a raposa) empatou com o Atlético (o galo) no Independência, em BH, 1 x 1, e sagrou-se Campeão Mineiro.

Outros resultados no domingo:

-  Em São Paulo, Corínthians 2 x 1 São Paulo. Timão Tricampeão da Arena Itaquera;

-  No Rio de Janeiro, Flamengo 2 x 0 Vasco da Gama. Deu Mengão com folga.  

-  Em Pernambuco, Sport 1 x 2 Náutico. Sport campeão nos pênaltis.

- No Ceará, Fortaleza 1 x 0 Ceará. A equipe de Rogério Ceni se impôs.  

*

-  Na Itália, a Juventus de Turim conquistou seu oitavo título italiano seguido – é  octacampeão, inédito, cinco jogos antes de acabar a competição, tal a superioridade da ‘Velha Senhora’, 35 vezes campeã da ‘Bota’.  

-  Na França, o PSG de Neymar, Marquinho, Dani Alves e Tiago Silva sagrou-se também campeão com antecedência. Neymar voltou a campo neste domingo, depois de três meses parado, machucado no pé.

**