BAHIA VENCE CORÍNTHIAS NA FONTE E LARGA BEM

         



Por Zedejesusbarreto
Foto: Romildo de Jesus
De virada e jogando um bom futebol perante sua devotada torcida, o Bahia venceu o duelo de campeões (Paulistas x Baianos), começando de forma alvissareira a jornada da Série A/2019 : 3 x 2 sobre o Corínthians (SP), com golaços de lado a lado. Um espetáculo de primeira, o torcedor deixando o estádio cheio de confiança.

*

Encontro de times de massa e campeões estaduais. Um bom público nas arquibancadas, com presença também marcante de corintianos. Tempo nublado. O Coringão de preto e o Tricolor de beca branca, calções azuis e meiões vermelhos.

**

Bola Rolando

O Tricolor começou ofensivo, marcando na frente, apertando. O Timão bem postado, como de costume. Marcação forte no meio campo, jogo de bola no chão, troca de passes, poucas faltas. Equilíbrio de ações.

Aos 13’, numa cochilada infantil de Lucas Fonseca, Fagner lhe roubou e bola na linha da grande área e quase os corintianos chegam. O Tricolor respondeu aos 17’, numa cabeçada de Artur Caíke, livre, de frente, após cobrança de escanteio, por cima.

Aos 23’, Fernandão (machucado na testa, meio tonto após um choque de cabeça com um zagueiro) cedeu seu lugar a Gilberto, no ataque tricolor. Troca de estilo.

Aos 35’, Nino foi agarrado e caiu na área paulista; a torcida e os jogadores baianos pediram pênalti, o árbitro chegou a consultar o VAR/arbitragem de vídeo e nada marcou.

- Gol ! 1 x 0 Corínthians, aos 46’, Pedrinho. Moisés com a bola na lateral esquerda, foi apertado, enroscou-se todo e perdeu; o garoto Pedrinho cortou para o meio e, quase da linha da meia lua, bateu forte, rasteiro e no canto, de canhota; Ânderson não chegou nela.

O Bahia reagiu rápido.

- Gol ! 1 x 1, aos 48’, Artur Caíke, antecipando-se à zaga e testando forte na pequena área um ótimo cruzamento da direita, de Nino Paraíba; Cássio ainda tocou na bola mas não conseguiu detê-la.

Empate justo na primeira etapa; equilibrada, bem disputada.

*

O segundo tempo começou faltoso, com muitas paralizações. E o mesmo equilíbrio, muita briga pela posse de bola no miolo do gramado. Um ritmo travado.

Aos 11 minutos, Moisés arriscou de longe, de canhota, a bola passou por Cássio e bateu na trave; na volta, Eric Ramires tentou mas errou o alvo. Incendiou a torcida tricolor.

Por volta dos 20’, os paulistas trocaram passes pela esquerda e Sornoza bateu forte de fora, a bola desviou na zaga e passou a um palmo do travessão. Susto.

Aos 24’, o meio campo tricolor deu mole, Clayson bateu forte mas Anderson espalmou bem. O Bahia respondeu com boa jogada de Gregore, fazendo fila, e o arremate rasteiro de Gilberto, da entrada da área; Cássio catou bem. Lá e cá.

- Gol ! 2 x 1 Bahia ! Aos 30 minutos. Boa arrancada de Ramires pela esquerda, Gilberto recebeu do lado da área e cruzou rasteiro; Artur antecipou-se ao zagueiro, batendo forte, de frente, alto, desempatando e endoidecendo as arquibancadas.

O Corínthians foi pra cima mas o Tricolor não arrefeceu.

- Gol ! 3 x 1 Bahia , golaço de Rogério, aos 38 minutos; Na puxada de contragolpe, o avante recebeu em profundidade de Ramires, viu Cássio fora do gol e o encobriu com um belo lençol do meio da rua. Que belo gol !

O Tricolor, bem arrumado, administrava bem, não passava sustos, corria, marcava, incomodava na frente. Mas, no último lance do jogo ...

- Gol ! 3 x 2 Corínthians. Aos 49’, Clayson levou Nino Paraíba e bateu largo, enviesado encobrindo o goleiro Anderson, adiantado, mal colocado. A bola ainda bateu na trave antes de chegar nas redes. Mas não tinha mais tempo pra nada.

Ótimo resultado, bom começo do Tricolor baiano.

**

Destaques

Bom jogo de Nino e Moisés, os laterais. Firme o central Ernando, talvez tenha feito o melhor jogo com a camisa tricolor. Gregore, como sempre, garra. Ramires voltou a jogar bem. Artur, Artur Caíke ... Gilberto trabalha melhor as jogadas do que o gigante Fernandão. O goleiro Ânderson levou dois gols defensáveis. Lucas Fonseca assusta.

Roger mostrou uma equipe bem arrumada e consciente em campo.

*

Ficha Técnica

- Bahia : Ânderson, Nino, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Élton e Gregore; Eric Ramires, Artur, Artur Caíque (Rogério); Fernandão (Gilberto). Treinador, Roger Machado.

- Corínthians : Cássio, Fagner, Manoel, Pedro Henrique e Carlos Augusto; Ralf, Ramiro (Mateus Vital), Pedrinho e Sornoza; Clayson e Boselli (Vagner Love). Treinador, Fábio Carille.

No apito, Wilton Pereira Sampaio (GO). Não complicou, mas é um árbitro que para demais o jogo e usa de critérios distintos para a marcação de faltas, costuma favorecer os times de mais camisa.

 

**

 

Na sequência ...

- Quinta-feira, dia 2 de maio, no Rio/Estádio Engenhão, Botafogo x Bahia.

**

Outros jogos

Rodada de abertura - Sâo Paulo 2 x 0 Botafogo; Atlético Mineiro 2 x 1 Avai

Chapecoense 1 x 0 Internacional ; Flamengo 3 x 1 Cruzeiro

Grêmio 1 x 2 Santos ; Ceará 4 x 0 CSA; Athlético PR 4 x 1 Vasco

Palmeiras x Fortaleza ; Fluminense x Goiás (ainda no domingo à noite).

 

**