Prefeito de NY diz que Bolsonaro é um

      



O prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, chamou no (4) o presidente Jair Bolsonaro de "valentão" e completou dizendo que ele não aguenta uma briga ao lembrar a desistência do Planalto da viagem para a cidade americana.

Pelo Twitter, o prefeito novaiorquino escreveu: "Jair Bolsonaro aprendeu da maneira mais difícil que os nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão. Nós chamamos atenção para sua intolerância. Ele fugiu. Nenhuma surpresa —valentões não aguentam um soco. Já vai tarde, Jair Bolsonaro. Seu ódio não é bem-vindo aqui", escreveu o democrata em uma rede social.

A ida de Bolsonaro para Nova York seria para receber uma homenagem, no dia 14 de maio, no prêmio de "Pessoa do Ano" em jantar promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Contudo, na sexta (3), o Planalto anunciou o cancelamento, chegando a citar De Blasio na resposta.


Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo e candidato derrotado do PT à Presidência pelo próprio Bolsonaro no 2º turno em 2018, elogiou a postura de De Blasio.


Em abril De Blasio chamou Bolsonaro de "racista", "homofóbico”e "destrutivo”, ressaltando que não era bem-vindo em Nova York.

CANCELAMENTO

Nos motivos elencados pelo porta-voz da Presidência da República, De Blasio foi citado. "Em face da resistência e dos ataques deliberados do prefeito de Nova York e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade".

Após o Museu de História Natural de Nova York se recusar a receber o evento, manifestações contrárias ao evento fizeram patrocinadores desistirem de bancar o prêmio. O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, também seria homenageado na noite.

Nesta sexta, o jornal Folha de S.Paulo revelou que o Banco do Brasil e o consulado-geral do país em Nova York ajudaram a financiar a festa. O banco concordou em pagar US$ 12 mil (R$ 47,5 mil) para ter uma mesa com dez lugares no jantar de gala anual da entidade, cujo objetivo é arrecadar fundos para patrocinar interesses de empresas brasileiras e americanas nos Estados Unidos.
*Do Yahoo