Ventos fortes e oxidação derrubaram "gordinha de Ondina", diz Fundação Gregório de Mattos

         



A queda da ‘gordinha de Ondina’, obra de Eliana Kertész, foi causada pela ação do vento e da oxidação da base da escultura, segundo a diretora de Patrimônio e Humanidades da Fundação Gregório de Mattos, Milena Tavares. “Fizemos uma inspeção e vimos que a fundação estava oxidada. Acredito que com o vento isso se agravou e acabou despencando”, contou, em entrevista ao Metro1.

Estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mediu ventos de 40 km na região da Avenida Adhemar de Barros, onde está o monumento, durante a madrugada. Agora, explica Tavares, a prefeitura deve retirar a escultura e fazer o reparo. “Estamos em diálogo com a secretaria de Obras para que ela possa intervir, remover a peça, colocar em uma cama de areia e fazer o serviço de escavação para reinserir a escultura”, apontou.

Como prevenção, outra gordinha, nomeada de Catarina, será estudada também. A obra está em Ondina desde 2004. O conjunto escultórico é composto por três mulheres gordas nuas, em bronze, medindo 3 metros de altura, pesando aproximadamente uma tonelada cada escultura e representando três etnias distintas, segundo Eduardo Fróes, em trabalho publicado na Universidade Federal da Bahia.
*Do Metro1