Percussionista baiano Marco Lobo lança projeto Yam í com italiano Federico Puppi

      



Mescla da percussão brasileira e tons eruditos com o cello e a música eletrônica, Yamí é a união do percussionista baiano Marco Lobo e o violoncelista italiano Federico Puppi. Com shows em festivais pelo país e parcerias nos palcos com nomes como Criolo, Tulipa Ruiz e Castello Branco, o projeto lança sua estreia musical com o single “Siroco”. A faixa já está disponível em todas as plataformas de música.

Siroco é o nome dado para o vento que sopra do Saara em direção ao Mediterrâneo. É um ar quente que transporta areia - também conhecido como ghibl em árabe e scirocco em italiano. O fenômeno é responsável pelas nevascas laranjas nos Alpes e é citado na música “Reconvexo”, de Caetano Veloso (“Eu sou a chuva que lança areia do Saara, sobre os automóveis de Roma”).

“Esse fenômeno acontece pois o Siroco transporta a areia do Sahara até Roma e mais. Escolhemos esse nome porque o vento é algo que vem de longe, atravessa barreiras, é uma energia de movimento, ao mesmo tempo é algo impalpável mas muito perceptível. Atravessa muitos lugares, culturas, povos assim como a música do Yamí”, refletem os músicos.

 

O nome do duo vem do tupi-guarani e significa “noite”, remetendo às sensações e experiências musicais noturnas que o projeto busca em sua mistura inusitada de elementos. Yamí tem suas fundações nos atabaques, representando a ancestralidade e o pulsar, e no violoncelo, remetendo à melodia e ao lirismo.

 

Italiano radicado no Brasil, Puppi é violoncelista e lançou em 2018 o disco “Marinheiro de Terra Firme”, seu segundo trabalho autoral - sucessor da estreia, “Canto da Madeira” - e que já flertava com a música eletrônica. Como produtor, trabalhou ao lado de Maria Gadú no disco “Guelã”, indicado ao Grammy Latino, entre outros nomes da cena brasileira.

 

Já Marco Lobo é um dos grandes nomes da percussão, com três álbuns solo e tendo trabalhado com artista importantes, tais como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Virginia Rodrigues, Lenine, João Bosco, Ivan Lins e Marisa Monte. Além disso, ele tem desenvolvido projetos com músicos de todo o mundo, como o baterista Billy Cobham e o trio Elf, e ainda participa do grupo World Percussion Ensemble. A percussão de Lobo em Yamí inclui, além dos atabaques, instrumentos do folclore brasileiro como berimbau, gungas e tambor de onça, além de pads eletrônicos e outros instrumentos experimentais como hang drum, tubos e sucatas.

 

Yamí é um encontro de culturas e tempos diferentes, onde ancestralidade e futuro dançam juntos. O álbum de estreia do projeto, incluindo “Siroco”, será lançado em setembro.

Ouça “Siroco”: https://sl.onerpm.com/1654159602

Ficha Técnica:

 

Federico Puppi - cello + eletrônica

Marco Lobo - percussão

 

Gravado por Federico Puppi e Marco Lobo no estúdio Ouvido em Pé (Rio de Janeiro)

Mix: Diogo Guedes

Mastering: Giovanni Versari - La Maestà Mastering (ITA)

Capa: Gualtiero Terrealte

Compositores: Federico Puppi e Marco Lobo

Produzido por Marco Lobo e Federico Puppi

Produção executiva: Yamí Music/Casa de Fulô