ARGENTINA E PARAGUAI EMPATAM E A COLÔMBIA SE CLASSIFICA

         



Por Zedejesusbarreto
Argentinos e paraguaios, vizinhos também nossos no Sul, guerrearam muito mas deu empate, 1 x 1, deixando em aberto a briga entre ambos para uma classificação à fase seguinte da competição. Jogo duro. O Paraguai perdeu um pênalti e Messi, cobrando pênalti, fez o primeiro da equipe na Copa e o seu 68º gol com a camisa argentina. No outro duelo pelo grupo, a Colômbia fez 1 x 0 no Catar, gol já no final.

Com esses resultados, Colômbia lidera com 6 pontos ganhos, o Paraguai tem dois, e com apenas um pontinho estão Argentina e Catar, que se enfrentam na rodada final, definidora.

*

Não vencem

- Argentina 1 x 1 Paraguai no Mineirão, com bom público, mais argentinos que paraguaios nas arquibancadas.

- As duas equipes, vizinhos nossos no sul do continente, entraram em campo precisando vencer ou vencer para continuar buscando uma classificação no Grupo B da competição.

- O treinador portenho Lionel Scaloni fez mudanças na equipe que perdeu para a Colômbia na Fonte Nova, decepcionou e saiu falando mal do gramado. As mexidas na escalação renderam muito tititi entre as vaidosas, milionárias estrelas argentinas e o jovem treinador.

- Para ‘los hermanos’, seria uma partida como se fosse a primeira, o começo de uma arrancada na competição.

- Todas as fichas no astro Messi, tido como o melhor, o mais completo jogador de bola do planeta, pelo menos quando veste a camisa do Barcelona. O ‘La Pulga’ é o maior artilheiro da história da seleção, uns 30 a mais que Maradona.

- O treinador paraguaio, Berizzo, nascido na Argentina, também modificou a equipe, tentando apagar a má atuação do primeiro jogo, quando apenas empatou com o Catar. O Paraguai jamais venceu a Argentina em jogos valendo pela Copa América.

- Na Argentina, caras diferentes do meio para frente: Messi com Lo Celso, Paredes, Pereyra, De Paul, Martinez ... e, acreditem, com Aguero, Di Maria e Dibala no banco.

- Do lado paraguaio, alguns bem conhecidos, jogam (ou jogaram) no Brasil; como Gatito, o lateral Piris, o becão Gustavo Gomes (do Palmeiras), Gonzalez ... e lá na frente um grandão camisa nove de nome Santander.

- Argentinos de azul clarinho e branco; paraguaios de azulão total.

- Arbitragem brasileira. No apito, Wilson Pereira Sampaio.

*

Com a bola rolando

- A partida já começou renhida, encardida, como dizem os boleiros. Marcação em cima, entradas duras, clima de decisão. Mais suor que talento. Passes errados, futebol feijão com arroz.

- Muitas tentativas, poucas penetrações, as defensivas prevalecendo. Nenhum chute a gol em 25 minutos.

- E o Paraguai chegou primeiro, aos 27 min. O camisa 10 Gonzalez arrancou pela direita em veloz contragolpe e já na grande área bateu cruzado, forte e baixo, a bola desviou na zaga e passou a palmo da trave, do lado oposto.

- Paraguai 1 x 0 , gol aos 36’. Sanches, completando de frente um cruzamento de fundo do lateral esquerdo Almyron, em puxada de contragolpe. A defesa argentina desarrumada.

- E os ‘hermanos’ sentiram a pancada. Algum tempo de desnorteio, nervosismo, erros ... e a turma do capitão Messi voltou pra cima, forçando. Os ‘guaranys’ se defendem com aplicação até os 52 minutos.

Intervalo, hora da merenda e dos esporros nos vestiários. E das ‘estratégias’, de lado a lado.

- A Argentina voltou a campo com Aguero no lugar de Pereyra. Ao ataque, única alternativa. Os ‘Guaranys’ na moita, querendo o contragolpe.

- Aos 5’, o primeiro grande lance argentino. Uma blitz, chute de Martinez no travessão, Messi arrematando o rebote, defesaça salvadora de Gatito.

O lance provocou dúvidas na arbitragem. O VAR mostrou que a bola bateu no braço de Piris, dentro de sua área. Pênalti marcado em favor da Argentina.

- Messi cobrou bem, forte e alto, fazendo o primeiro gol da Argentina na Copa América, empatando o jogo. O gol de número 68 do ‘la pulga’ com a camisa azulzinha e branco.

Gol ! 1 x 1 , aos 12 minutos ( o jogo ficou parado por mais de cinco minutos, em função do VAR)

- Aos 16’, Otamendi chegou atrasado numa cobertura, atingiu Gonzalez que entrava em velocidade: Penalti, claro, marcado. Mas Gonzalez bateu a penalidade previsível, o goleiro argentino Armani acertou o canto e defendeu.

- Aos 21’, saiu Martinez e entrou Di Maria. Jogo quente, corrido, brigado. Com Messi mais na armação das jogadas, ligado, a Argentina cresceu muito na segunda etapa, acreditando, ‘peleando’. Os paraguaios mais recuados, marcando, só esticando bolas longas na frente, pra correria.

- Aos 38’, novamente o goleiro Armani evitou o desempate paraguaio, rebatendo no chão o chute venenosa de uma falta de meia distância; deu rebote mas o avante ‘guarany’ já estava impedido.

- A Argentina tentando a pressão, o sufoco final em busca de um triunfo. O Paraguai suportou bem, pouco arriscou, satisfeito com o empate.

 

 

 

**

Colômbia classificada

Abrindo a segunda rodada do Grupo B, Colômbia 1 x 0 Catar , no Morumbi, com muitos vazios nas arquibancadas e arbitragem venezuelana.

- Curiosidade: A Colômbia treinada por um português, Carlos Queiroz; o Catar tem como técnico um espanhol, C. Sanchez. Ibéricos no comando.

- Colombianos superiores tecnicamente, atuando no campo adversário. Aos 13’, após cruzamento da direita, James Rodrigues, livre na pequena área, testou e a bola lambeu o poste. Desperdiçou. Aos 16’, Cuadrado arrematou de longe mas o goleirão do Catar espalmou.

- O domínio absoluto dos latino-americanos não se traduz em gols. E o GOL é o objetivo do jogo.

- Defender é sempre mais fácil, no futebol. Construir é sempre mais difícil que destruir. Por isso os atacantes ganham mais; é preciso talento e astúcia para golear.

- Final de primeiro tempo. Sete finalizações da Colômbia, uma apenas da seleção das arábias.

*

- Logo aos 4 minutos o árbitro, todo enrolado, marcou pênalti numa bola cruzada que teria sido desviada no braço de um defensor árabe. Mas foi ver no VAR e recuou, deu escanteio.

- O tempo passando, os jogadores do Catar correndo, marcando, batendo... Os colombianos sem achar espaço para penetrar e finalizar, nervosos ... e o jogo foi ficando encardido, faltoso, com os atletas envolvendo na roda o fraco árbitro. Trinta minutos e nada.

- Gol ! 1 x 0 Colômbia, Zapata, colhendo de testada um lançamento primoroso do canhoto James Rodrigues, no canto, indefensável. Aos 40 minutos. Justo.

- Aos 48’, Zapata foi lançado em profundidade, entrou de cara e perdeu, chutou fora.

- Acabou. Venceu a equipe que mais procurou o gol, tecnicamente melhor.

Os colombianos chegaram a seis pontos, com dois jogos e dois triunfos, e está matematicamente classificada, independente do que aconteça na última rodada.

**

Grupo C

Nesta quinta-feira: - Na arena do Grêmio, 20 h, Uruguai x Japão.

Na sexta, dia 21, 20 h, na Fonte Nova: Equador x Chile.

O Brasil volta a campo no sábado, Arena Corínthians, contra o Peru.

 

**

 

Na cama :

- Te Amo !

- Vou ver o VAR ...

 

**