BRASIL VENCE PARAGUAI NOS PÊNALTIS E ESTÁ NAS SEMIFINAIS

         



Por Zedejesusbarreto
Foi no sufoco, chorado, na cobrança de penalidades após o 0 x 0 no tempo normal, mas valeu!

Dessa vez deu Brasil, os paraguaios voltam pra casa e os brasileiros seguem adiante, vivos na competição e com boas chances de chegar à final, brigar pelo título.

Não foi um grande jogo. Muito travado, muitas faltas, os paraguaios fechados atrás num ferrolho difícil de transpor trocando passes pelo meio. Mesmo com um atleta a mais em campo a partir da metade do segundo tempo finalizamos pouco e com pouca precisão. Nada encantador, mas o resultado foi justo porque jogamos mais, atacamos, tivemos mais e as melhores chances de golear. Mas não tivemos calma e competência para fazer o gol.

*

Agora é pensar no próximo confronto, também decisivo e muito difícil. No dia 2 de julho, próxima terça, no Mineirão, encaramos o vencedor da briga entre Argentina e Vnezuela, que duelam nesta sexta, no Maracanã.

*

O jogo foi na Arena Grêmio, Porto Alegre, RS, com um público acima das 45 mil pessoas.

 

*

Sequência :

- Venezuela x Argentina (Maracanã, dia 28, nesta sexta, 16h)

- Colômbia x Chile (Arena Corínthians, na mesma sexta, 20h)

- Uruguai x Peru (Fonte Nova, diia 29, sábado, 16h)

*

Pré-jogo

- Padrão: Brasil de camiseta amarela, calções azuis; Paraguai com camisas em listras vermelhas, fundo branco. Arbitragem: no apito, Roberto Tobar, chileno.

- Gramado verdinho e bonito, visto de cima, mesmo que muito reclamado durante a semana. Na tevê tudo parece vistoso, só lá pisando pra saber. Parece fofo, grama com falhas e soltando tufos. Visto mais de perto, bem pior que a Fonte Nova.

 

 

- Equipes :

O Brasil de Tite - Álisson, Daniel Alves /cap, Tiago Silva, Marquinhos e Filipe Luiz; Allan, Artur, Phillipe Coutinho; Gabriel Jesus, Firmino e Éverton ‘Cebolinha’.

O Paraguai de Eduardo Berizzo - Gatito Fernandes (já foi goleiro do Vitória), Pires (ex-São Paulo), Gustavo Gomes (do Palmeiras), Balbuena, Alonso e Arzamêndia (Valdez); Sanches, Almiron, Gonzalez e Mathias Rojas; Cardozo.

- Sò lembrando. Nos dois derradeiros confrontos contra o Paraguai, pela Copamérica, empatamos nos 90min e perdemos na cobrança de tiros livres da marca do pênalti. E como cobramos mal !

Em 2011, em La Plata, Argentina, 0 x 0, fomos eliminados na quarta de final. Em 2015, com Dunga de treinador, também caímos nas quartas, depois do 1 x 1 no tempo de jogo. Adversário tradicionalmente encardido, pois.

- Richarlison, de caxumba (papeira), fora de jogo. Está isolado do grupo, em função do contágio. Verá pela tevê. Doença de menino, pega.

- Em casa, em alta, Cebolinha tornou-se, de repente, a ‘estrela’ da companhia. Nordestino, 23 anos, o ponta arisco está no Grêmio desde os 16. Conhece os quatro cantos do gramado. Na seleção, substitui Neymar. Quer é jogar.

 

*

Bola rolando...

- A proposta de jogo paraguaia, manjada: fechadinho na defesa, com três zagueiros de área, marcando justo e duro, se possível o campo inteiro, e metendo muita bola esticada para velocidade de contragolpes, sobretudo pelos lados.

- Os brasileiros começaram bem, trocando passes, Daniel Alves fundamental na saída de bola. Foi dele a primeira chance, após trama em tabelas pelo meio, aparecendo na meia lua para o chute; deu Gatito. Aos 3 min.

- A equipe de Tite trama bem nas intermediárias e trabalha próximo da área inimiga, mas não acha espaço para a finalização. Muitas faltas dos dois lados.

- Aos 28’, a melhor chance ... e dos paraguaios. Bola cruzada da esquerda para a direita achou o peito de Gonzalez, livre de marcação na área; o chute saiu forte, cruzado para providencial defesa de Álison, espalmando.

- O tempo passando e os vizinhos sentindo-se mais à vontade, gostando, saindo pro jogo e chegando junto nas divididas. Nenhuma surpresa. Nossa seleção com muitas dificuldades para penetrar.

- Aos 40’, caindo pela esquerda, Coutinho recebeu, arrancou e chutou meio mascado no corpo do ágil Gatito.

- Foi-se a metade do tempo. O Brasil teve a bola, a iniciativa, tramou, mas chutou pouco. A melhor chance foi paraguaia. Continua encardido.

*

- Nos vestiários, Tite trocou de lateral esquerdo: Alex Sandro em lugar de Filipe Luiz, que tinha tomado cartão amarelo. O ritmo e a postura continuam o mesmo.

- Aos 10 min, Firmino recebeu em profundidade e foi derrubado por Balbuena, em cima da linha da grande área. O árbitro apitou pênalti, os paraguaios alegaram que a infração aconteceu fora da área. Consulta ao VAR. Cinco minutos de bola parada.

Falta marcada quase na linha, na meia lua, e cartão vermelho para o zagueiro Balbuena. O Paraguai com 10 atletas em campo, pois.

- Daniel Alves bateu a falta forte, por baixo, e Gatito espalmou no rodapé. O treinador Barizzo põe Valdez, zagueiro, para substituir o expulso, recompondo a defensiva. Agora em diante, retranca total paraguaia, todos fechando os espaços na frente da área. Entrar pelo meio é muito difícil.

- Pressão brasileira. Mas cadê o chute? Um de Artur, de fora da área, aos 23’, para a rebatida de Gatito Fernandes. Tite tira o apoiador Allan e põe o meia William. À frente, abrindo mais as jogadas pelos lados, a intenção da troca. Mais gente atacando.

- Aos 28’, após ótima jogada de Cebolinha pela esquerda, o cruzamento de fundo, Coutinho não consegue finalizar na pequena área e Gabriel, de frente, chuta fora. Melhor chance, desperdiçada.

- Aos 30’, o chute de Everton Cebolinha é desviado na zaga, a bola parece não querer entrar. Firmino, Gabriel e Coutinho também não ajudam, apanham da bola no momento da definição.

Falta inspiração ou qualidade?

- Aos 37’, Paquetá no lugar de Daniel Alves. São 39 faltas marcadas até então pela arbitragem. Um absurdo. Aos 41’, Gatito no reflexo evitou o gol, espalmando uma cabeçada à queima-roupa.

- Aos 44’, William tabelou com Firmino e chutou de canhota; a bola passou do goleiro mas bateu no poste.

- O árbitro dá um acréscimo de sete minutos ao tempo de jogo. O Brasil tem mais de 70% de posse de bola, mas os paraguaios armaram um contragolpe raro e quase chegam. Ganham tempo, querem a decisão por pênaltis... de novo?

- Antes do apito final, aos 49, Ceboliha perdeu de frente, bateu alto; aos 52, Phillipe Coutinho tentou colocar e errou o alvo. Esperávamos muito mais de Coutinho, Gabriel e Firmino.

E mais uma vez a decisão contra o Paraguai vai para a cobrança das penalidades. Sina ?

 

*

As penalidades

Nas cobranças, 4 x 3 Brasil. Só Firmino desperdiçou, chutou pra fora. William, Marquinhos, Coutinho e Gabriel Jesus converteram. Álisson defendeu a cobrança de Gustavo Gomes e Gonzalez chutou o dele pra fora.

 

**

Mundial Feminino

A Inglaterra é o primeiro país classificado para as semifinais da Copa do Mundo que acontece na França. Venceu com superioridade a Noruega, 3 x 0, na tarde dessa quinta.

As inglesas, na próxima fase, encaram (dia 2 jul) as vencedoras do confronto França x EUA, que acontece nesta sexta, 16 h. Boa pedida.

 

**